29
JUN
Esquema tático dos colombianos do Patriotas quase surpreende o Corinthians

De fato o Corinthians está iluminado. Sem repetir atuações anteriores, estava na iminência de ser derrotado pelo Patriotas Boyacá quando aos 46 minutos do segundo tempo o zagueiro Balbuena cabeceou e marcou o gol de empate, em partida disputada na noite desta quarta-feira em Tunja, na Colômbia, pela Copa Sul-Americana.

Para estudiosos do futebol valeu observação tática durante o primeiro tempo, quando o treinador Diego Corredos, do Patriotas, montou uma armadilha e o time corintiano caiu.

Mesmo desfalcado do lateral-esquerdo Arana, meia Jadson e atacante Jô, individualmente o Corinthians tem mais qualidade, sem contudo colocar isso em prática durante o primeiro tempo.

É praxe no futebol brasileiro a ‘treinadorzada’ optar por equipes bem compactadas quer para se defender, quer para atacar.

TESTE DIFERENTE

De repente, a marcação tida como infalível do Corinthians é submetida a um teste diferente do convencional

De posse de bola, o Patriotas colocou em prática um esquema ofensivo à moda antiga com dois ponteiros abertos, que raramente fechavam em diagonal.

Logo, Carlos Mosquera pela direita, e Mauricio Gómez pela esquerda, recebiam seguidos lançamentos de inversão de jogadas.

Como o lateral corintiano Facner tem hábito de marcar por dentro quando a jogada se transcorre do lado oposto, se descuidou de Gómez aos 30 minutos do primeiro tempo, que aproveitou um rebote e marcou o gol dos colombianos.

Curioso é que sem a bola os colombianos não se diferenciavam em nada da convencional marcação compactada dos brasileiros, de reduzir espaços e ponteiros fecharem por dentro.

Assim, ao longo do primeiro tempo o Corinthians chutou duas bolas à meta adversária, e sem perigo.

GÓMEZ MACHUCADO

Dois fatores contribuíram para decréscimo de rendimento dos colombianos no segundo tempo.

Gómez, o principal jogador do Patriotas, permaneceu em campo lesionado, o que provocou queda brutal de produção, até que fosse substituído.

Segundo porque o treinador corintiano Fábio Carilli ajustou a marcação de lado de campo, quer com mais atenção dos laterais, quer com aproximação dos volantes por ali.

Assim, os colombianos só provocavam desconforto devido à velocidade de Mosquera e numa cabeçada de Robayo com a bola chocando-se na trave. No mais, algumas defesas normais do atento goleiro Cássio.

Já o Corinthians, mesmo sem a devida organização, se soltou mais em busca do empate, sem que isso resultasse em chances de gol.

O goleiro Alvaro Villete só havia sido exigido em cobrança de falta de Facner, até que o zagueiro Balbuena mudou a configuração para a partida de volta em São Paulo, quando um empate sem gols já será suficiente à classificação dos corintianos.

Ainda não existem comentários.

27
JUN
Eficiente futebol de Auremir tem contribuído para o Guarani

A boa campanha do Guarani no Campeonato Brasileiro da Série B tem muito a ver com o futebol eficiente do volante Auremir.

A força física dele impressiona. Tem sido incansável na marcação. Nada a ver com aqueles volantes que cercam aqui, cercam ali, e não roubam a bola.

Auremir dá o ‘bote’ certo e por isso se transformou num dos principais ‘ladrões’ de bola da competição.

Erra passes? Sim, erra. Todavia não se omite. Tem sido o condutor de bola para transições rápidas pelo lado direito do campo, e por vezes até arrisca finalizações de fora da área.

PROGRESSO

Vê-se claramente que Auremir é aplicado naquilo que faz. Isso justifica o progresso de seu futebol.

Se antes ele se arriscava timidamente ao ataque, e o torcedor bugrino cobrava postura de volantes que organizassem a saída de bola da defesa, agora até abusa de passadas ao ataque.

Abusa porque a sua condição física permite que a recomposição ao setor seja rápida.

A boataria anda solta por aí que o futebol turco pode ter interesse para levá-lo.

Caso a sondagem se transforme em negociação real, perde o Guarani. Mesmo com Richarlyson na espera para se fixar no time titular, prescindir de Auremir é perigoso.

Ainda não existem comentários.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo