04
JUL
Luxa é assintomático da covid-19; e essa molecada solta por aí que transmite a doença?

Vanderlei Luxemburgo
Vanderlei Luxemburgo

O fato de o treinador do Palmeiras Vanderlei Luxemburgo ter sido diagnosticado com a covid-19 na sexta-feira, quando do exame de rotina feito pelo clube, atesta o protocolo de responsabilidade das agremiações em geral para isolar o contaminado, de forma que o grupo seja resguardado.

Diagnosticado como assintomático para a covid-19, é lógico que Luxa sequer reclamou de dor ou qualquer anormalidade de comportamento.

Esse troço de assintomático pra doença é o grande perigo de contaminação pra quem compartilha o mesmo ambiente.

JOVENS IRRESPONSÁVEIS

Em época de quarentena, que pai consegue prender o filho em casa?

Eles 'batem asas', e não precisa ser infectologista para constatar que esses jovens estão entre os maiores disseminadores da doença.

São mantidos hábitos de contatos com a 'patotinha' e os naturais descuidos de recomendações previamente estabelecidas nos protocolos médicos de uso de máscara, distanciamento social e higienização.

Pelo contrário: abusam de aglomerações. Dividem o mesmo copo em goladas de bebidas. E quando laçam os elásticos das máscaras nas orelhas, ajeitam-nas no queixo pra evitar o desconforto de respiração e fala.

Aí são contaminados, e o tal de assintomático é o xis da questão. Levam a doença pra casa, a transmitem aos país e demais familiares, e as pessoas ainda ficam se perguntando por aí como tanta gente adoece mantida em quarentena.

Eis aí uma grande falha de comunicação do poder público, ao organizar campanhas publicitárias preventivas da doença.

Foi injetado dinheirão nas mídias, sem que se dessem conta de que a campanha deveria direcionar esse agente perigoso de contaminação, que é o jovem.

DANIEL ALVES

Na prática da velha mania de navegar em portais esportivos, constato publicação do veículo Lance sobre o polivalente Daniel Alves, quando cita que usá-lo na lateral-direita seria uma loucura do São Paulo.

Que pose desse boleiro, hein?

Está se achando a última bolacha do pacote, talvez decorrente do milionário e irreal salário que recebe.

Citam que o clube paga-lhe R$ 1,2 milhão por mês, e isso implica em postura soberba.

“No meio ajudo a equipe ser mais equilibrada, ser muito melhor, gerar mais o jogo, com muito mais ocasião de gols, de que colocado pegado a uma partezinha do campo”.

Pois é, um dia um filósofo de botequim disse que é preferível ouvir bobagem de que ser surdo. Então, ouçamos bobagens e pronto.

  • João da Teixeira
    06/07/2020 23:33

    Com 481caracteres para escrever no blog, muitas vezes temos que se virar nos 481 e acabamos sendo mal entendidos. Estava falando do Petković sobre aprender o português e abrir as portas. Qto a eles terem uma característica de um Brasil melhorado, eu não tenho dúvida. São irreverentes, brigões, gostam dos esportes que o Brasil gosta e são bons de bola, principalmente qdo faziam parte da antiga Iugoslávia. Bom, não conheço o país pessoalmente, mas leio sobre todas as culturas.

  • Eugenio
    06/07/2020 20:22

    A Servia é a cara do Brasil ?? Eles tem conhecimento da lingua Portuguesa ?? Joao, pare com seu cha de cogumelo, vc esta tendo alucinacoes ... o que vc sabe da Servia ? Resposta : nada. Entao para de vomitar asneiras. 120 anos sem titulos ja esta te deixando sinais de demencia.

  • João da Teixeira
    06/07/2020 01:27

    Esse final de semana está sendo sinistra para o povo brasileiro e seus personagens legendário. Morreu outro dia o ator piracicabano Leonardo Villar, o eterno "Pagador de Promessas" e ontem morre a soteropolitana Martha Rocha, a eterna miss Brasil. Vamos assim perdendo os nossos ícones, que não foi miss Universo por causa de 2" a mais no quadril, assim reza a lenda. Foi tão famosa que até emprestou seu nome a alcunha de uma elegante caminhonete Chevrolet 1953. Uma beleza, ambas.

  • João da Teixeira 4
    05/07/2020 18:42

    A Sérvia é bem a cara do Brasil, povo alegre, irreverente e com costumes parecidos e conhecimento da língua portuguesa, a adaptação fica mais fácil. Por falar em jogadores estrangeiros no Brasil, o jogador Honda não foi tudo aquilo que eu imaginava no jogo do Botafogo x Fluminense. Tanto que seu time não conseguiu sair do empate contra o time medíocre do Flu. É olha que o Flu fez por merecer a classificação nesse jogo. Sabe de uma coisa, Covid 7 x Futebol Brasil 0, ou melhor 1?

  • João da Teixeira 2
    05/07/2020 11:36

    Além da visão na mídia, posições no meio campo são mais valorizadas no mercado. O Daniel sabe disso. Ari, não tem jeito, os craques desapareceram e o Daniel percebeu, que ele é a "última bolacha do pacote", sim! Craques tendem a se "perpetuar no futebol" como jogador. Tiro por base o Sidorf, que veio aqui e pôs muita gente nova no chinelo. Agora veio o veterano Honda para o Botafogo, lógico, ganhando menos, mas não temos ninguém melhor para por no lugar. É isso aí, então...

  • João da Teixeira 3
    05/07/2020 11:35

    Os casos de Sidorf e Honda, jogadores que adoram fazer o que gosta e que no mercado que atuavam, a competitividade era maior, além de todo jogador ter sonho de jogar no Brasil. Depois que vê que o nosso futebol já não é mais tudo aquilo, perde o tesão e cai fora. Há exceções, ccomo o caso do sérvio Petković, que veio jogar no Brasil da mesma forma, aprendeu bem a língua, engrenou de comentarista e ficou. Um dos motivos de ficar, aqui é a cara da Sérvia, mas sem muitas guerras.

  • João da Teixeira
    05/07/2020 11:34

    Casos iguais ao do Daniel Alves vão aparecer mais é mais. Os João Ninguém, os que tem um Olho etc vão se achar os banbanbans. Longe de dizer que o Daniel Alves enquadra nesses casos, pois realmente com a deficiência técnica atual, o jeito é fazer isso mesmo, por alguém técnico em posições estratégicas. O Daniel não é o primeiro é não será o último mesmo. O Júnior no Mengo, da mesma posição praticamente, tbem foi migrado para uma posição no meio, de maior visão na mídia.

03
JUL
Desta vez prefeito Jonas deu o devido tratamento ao futebol

Em tempo de pandemia do coronavírus, a realidade é que nos transformamos em barata tonta. É um vaivém de informações desencontradas que provoca escorregões na maioria.

Começa pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que com habitual imponência havia afirmado que o pico da doença seria na Páscoa passada.

O que aconteceu? Ainda morre gente pra caramba.

Aí o governador paulista João Dória havia colocado a volta de treinos presenciais dos jogadores no final da fila, conforme processo de flexibilização adotado para aberturas.

Determinado momento, indeciso sobre a decisão, resolveu transferi-la aos prefeitos das cidades de clubes envolvidos no Paulistão, e disso se aproveitou Jesus Chedid, de Bragança Paulista, para autorizar o reinício das atividades do Bragantino no começo do mês passado.

JONAS

Presidentes de clubes pegaram carona naquela autorização para reivindicarem dos 'alcaides' o retorno, inclusive Sebastião Arcanjo e Ricardo Moisés, de Ponte Preta e Guarani, em reunião com Jonas Donizete.

O trouxa aqui se antecipou em manchete, numa das publicações, 'que prefeito teria coragem de tomar decisão impopular contra a volta do futebol?'

Ora, com aglomerações em centros comerciais, shoppings e transporte coletivo, por que o futebol, com protocolo de saúde de responsabilidade, seria preterido? E foi.

Risco de atletas e comissões técnicas se contaminarem com o vírus durante treinos é reduzidíssimo. E caso isso ocorra, recorrem a planos privados de saúde, diferentemente do povão que fica basicamente na dependência do SUS (Sistema Único de Saúde).

De certo os dirigentes explicaram isso nos mínimos detalhes. Até 'desenharam' que treino é treino e jogo é jogo.

Pois caí do cavalo, assim como os dirigentes citados, que jamais esperam o 'não' de Jonas.

No dia posterior, o Guarani transformou o 'não' do prefeito em 'sim', para treinar na vizinha Americana.

DÓRIA

Aí, só pra contrariar, não dar o braço a torcer, eis que Dória retirou a bola que havia passado aos prefeitos. Ele disse que a sua equipe de governo decidiria sobre a data da volta do futebol no Estado.

Assim, por mais duas semanas os clubes ficaram de quarentena, com retorno às atividades para treinos físicos apenas na quarta-feira passada.

Com flagrante descontrole do coronavírus em Campinas, a cidade foi recuada ao plano vermelho do mapeamento de flexibilização, o que implica em abertura do comércio apenas para atividades essenciais.

CONSCIENTIZAÇÃO

Apesar disso, pelo menos o prefeito Jonas se conscientizou que o plano médico apresentado pelos clubes campineiros demonstra segurança, e por isso não colocou restrições sobre prosseguimentos dos treinos em Campinas.

Melhor assim. O cenário de agora em nada difere daquele em que Jonas disse não, mas como essa pandemia deixou quase todo mundo como barata tonta, os erros de avaliação são toleráveis.

  • João da Teixeira
    06/07/2020 20:21

    Márcio, ninguém conhece bem o processo de atuação do Corona, mas sabem que é um vírus. Os remédios citados, hidroxicloroquina, Ivermectina, azitromicina, sulfato de zinco, vitamina D, anticoagulante. Claro que alguns fazem parte de um conjunto para o tratamento e depende de médico para seu uso. Alguns como a Ivermectina e a hidroxicloroquina podem ser usados como profilático. São esses que estou falando e se já estamos na chuva, não custa nos molharmos um pouco mais.

  • João da Teixeira 2
    06/07/2020 20:20

    Pelo jeito vc não deve fazer parte da população que está passando fome por não ter trabalho ou perdeu. Uma grande maioria desesperada ao saber que hoje amanheceu tudo parado novamente.

  • Marcio
    06/07/2020 01:26

    Então. você tem todo direito de chupar balinha, injeção, comprimidos e até supositório de hidroxicloroquima, se não der certo vai reclamar com o teu MICTO , mas abra mão de UTI e respirador talkey ???

  • João da Teixeira
    04/07/2020 15:40

    Ari, ninguém quer conhecer o protocolo da Índia contra a Covid19, utilizado tbem pelo prefeito de Porto Feliz e que vem conseguindo resultados bem satisfatórios em termos de contaminação e mortes por Corona. Usando hidroxicloroquina como profilaxia (1 comprimido por semana durante 8 semanas). Por isso, para não ficar mais puto com essa ladainha toda, não comento mais nada sobre volta ou não do futebol. Os políticos não manjam nada é querem ficar fazendo política contra o Mito

  • LÉO - PR
    04/07/2020 15:39

    quando parou o futebol morria 20 a 30 pessoas por dia agora morre quase 1500 tá voltando escancarando tudo vai entender,esses campeonato deveria ter terminado antes da paralisação total.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo