27
JUL
Blog do Ari: A sala foi se esvaziando devido ao pobre futebol de Corinthians e Palmeiras

Num domingo friorento o recomendável é se acomodar em lugar fechado, preferencialmente uma sala de casa para se entreter com partida de futebol.

Teoricamente o clássico Corinthians e Palmeiras seria uma boa pedida, mas o meu testemunho pode ser o de muita gente. A sala lotada de familiares de repente vai se esvaziando pelo desinteresse daquele joguinho sem graça, sem beleza plástica, sem nada pra quem não torce para ambos.

Salvou apenas a arrumação tática do Corinthians, bem compactado, com bom esquema de marcação, e explorando a única individualidade da partida: o volante Elias.

Dois lances de lucidez dele e dois gols do Corinthians, um do atacante Guerrero e outro do meia Petros.

O Palmeiras? Ora, nos tempos em que a ‘italianada’ o identificava como ‘Parmeira’ era diferente. Havia uns ‘caras’ que sabiam jogar bola, que faziam ‘salseiros’ contra defensores adversários. Havia!

Pobre Palmeiras. Quem te viu, quem te vê!

CAMISA TÉRMICA

Do Corinthians, acrescente mais dois detalhezinhos: por volta de 30 minutos do segundo tempo Petros deu um carrinho no campo ofensivo corintiano e se vangloriou do feito, gesticulando para a torcida aplaudir.

Duro é saber que meias do passado glorioso do Corinthians recebiam aplausos por jogadas fantásticas. O torcedor se deliciava com dribles elásticos e aquelas ‘bombas’ de Roberto Rivelino, ou com lançamentos e precisão em cobranças de faltas de Zenon. É o que faltava se pedir aplauso para um carrinho desnecessário!

Outro detalhezinho é que o brutamonte do zagueiro Cléber, do Corinthians, usou aquela camisa térmica sob o uniforme para se proteger do frio, a exemplo do lateral-direito Fagner e o goleiro Cássio, pelos lados do Timão.

Claro que o goleiro palmeirense Fábio também se protegeu do frio com a camisa térmica, já que se movimenta menos que os companheiros. Eis a questão: por que o goleiro Roberto, da Ponte Preta, usa camisa de manga curta mesmo com um frio de ‘bater queixo’?

Cabe como sugestão de pauta. De certo muita gente fica curiosa em saber os motivos que levam o goleirão da Ponte a desafiar baixas temperaturas.

Alô jornalista Elias Aredes Júnior, referência na reportagem esportiva de Campinas: embarque nesta.

  • adolfo
    28/07/2014 21:32

    Roberto é fraco,qdo o time está bem,naquele 0x0 dificílimo ele dá uma Robertada e pronto,menos uma vitória.Busquem urgente Paulo Vitor do Flamengo ou Yamada do Audax Rio.Sei o que estou falando,falei isso do Navas da Costa Rica e Diego Alves em começo de carreira.

  • Dorival
    28/07/2014 09:14

    Escutei no programa do Flavio Prado na TV Gazeta do grande numero de passes errados no jogo Palmeiras e Corintians. Acho que este é um dos motivos para o jogo ser feio com estão afirmando

26
JUL
​Blog do Ari: Bastaram correções do interino Parraga pra Ponte melhorar e empatar com o Vasco

Novos cartolas do futebol se impressionam facilmente com treinadores que têm facilidade de expressão, que na teoria mostram caminhos para tudo, mas na prática ainda precisam aprender muito da matéria.

Dado Cavalcante, que até a derrota para o Avaí era o treinador da Ponte Preta, mostrou equívocos de conceituação de futebol e falta de controle do grupo, tanto que fisicamente alguns jogadores estão em escala inferior àquela exigida para o competitivo Campeonato Brasileiro da Série B.

Se para Dado o lateral-direito Daniel Borges era o homem de todas as bolas paradas, Jorge Parraga, que o substituiu interinamente, percebeu o erro do fundamento passe do jogador, observou que quando ele conduzia a bola ao ataque provocava contra-ataques, e que tem deficiências na marcação que precisam ser corrigidas.

Logo o sacou do time, deslocando o volante Juninho para desempenhar a função. De certo Parraga projetou que ele tomaria conta do atacante vascaíno Kléber - que ocupa frequentemente o setor esquerdo do ataque -, como tinha convicção que o jogador saberia se mandar ao ataque com segurança.

Parraga, experiente na bola, mostrou como se atua na prática desde a derrota por 2 a 0 para o Vasco na quarta-feira passada em Campinas, pela Copa do Brasil. Sem tempo pra trabalhar, naquela ocasião tentou posicionar o time na base do blá-blá-blá. E conseguiu durante aquele primeiro tempo, mesmo obrigado a escalar o fraco zagueiro Rafael Silva por falta de opção.

Neste sábado à tarde, novamente em Campinas contra o Vasco, agora em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro da Série B, além dos acertos na escalação, Parraga soube posicionar o time pra não corre risco durante o primeiro e se soltar posteriormente. E o empate por 0 a 0 reflete mais as oportunidades de gols desperdiçadas pelo time pontepretano.

Sabiamente o treinador adiantou o volante Élton pelo lado direito e com isso conseguiu neutralizar as descidas do lateral-esquerdo Diego Renan. Além disso, fosse Elton jogador afeito à finalizações, não desperdiçaria excelente oportunidade no primeiro tempo.

A fixação do volante Adilson Goiano foi outra visão de Parraga. O time ganhou mais combatividade na cabeça da área. O problema é que Alef, um dos três volantes, convence defensivamente, mas ainda não foi trabalhado para melhorar as finalizações. Tivesse melhor pontaria jamais desperdiçaria grande oportunidade já nos acréscimos, depois que o atacante Cafu chutou a bola no travessão.

A rigor, a Ponte se resguardou durante o primeiro tempo, mas apesar disso criou pelo menos duas boas oportunidades de gols, contando com bolas lançadas meia Adrianinho, que tem pernas pra jogar durante um tempo.

ALEXANDRO

Parraga teve peito ao sacar o atacante Alexandro, que não justificava a escalação. Assim, deu camisa para Rafael Costa, mesmo sabendo que fisicamente ele precisa melhorar. Pelo menos havia convicção que Rafael faria a parede, como ‘pivozão’ que é.

De certo, Parraga só não mandou Edno pra reserva de imediato pra não desmontar totalmente o compartimento ofensivo. Todavia não hesitou em tirá-lo do time no intervalo ao observar a improdutividade dele, o que tem muito a ver com o descuido na preparação física.

Claro que apesar das trapalhadas de Cafu com a bola, seria impossível não ter rendimento melhor que Edno. Com certeza correria mais, como correu, alternando-se nas duas extremidades do campo.

A correria de Cafu entusiasmou seus companheiros que passaram a pressionar mais o adversário a partir da metade do segundo tempo, período em que fisicamente o time vascaíno havia caído bastante.

Agora, com a chagada do meia Renato Cajá e do treinador Guto Ferreira, fica a expectativa de novo astral e melhoria de qualidade deste time pontepretano, que tem tempo de sobra para reagir e ainda objetivar o acesso à elite do Campeonato Brasileiro.

  • TIO LEI p/ ADOLFO
    29/07/2014 01:59

    Todos nós sabemos que temos um time limitado tecnicamente falando. Porem esta Série B esta nivelada por baixo, e se for bem esquematizado, eu acredito que temos condições sim de brigar pelo acesso.Quanto a subir para cair, devemos levar em conta que independente de qualquer colocação, a grande maioria do elenco atual, tem contrato até o final do ano. Então SE subirmos, será outra receita, e com certeza será outro nível de jogadores;É só não vierem com apostas novamente. abs.

  • adolfo menezes donizetti
    28/07/2014 21:31

    Goleiro mau de pau que arma sempre mal a barreira,Daniel Borges é horroroso(saudades de Picerni,Abobrão e Toninh'oliveira),um zagueiro classe C,dois meias que não sabem chutar a gol e erram passes de 1m e meio...que que vcs acham que vai acontecer com a Macaca?

  • adolfo menezes donizetti
    28/07/2014 21:31

    Time com Sacoman,Daniel Borges,Magal,Goiano e um goleiro irregular...Alef precisa aprender a chutar a gol,Juninho é ótimo,Elton é bom,Thiago zagueiro nunca deveria ter saído de Cps,os atacantes são úteis,todos!É subir pra cair!

  • TIO LEI - p/ ARI
    28/07/2014 17:46

    É meu caro... pelo elenco, a escalação não pode fugir disso ai...eu digo que treinamento específico não só ao Daniel, mas aos quatro laterais do elenco, pois ta parecendo "deficiência cronica". Se tivermos bons laterais, o Juninho retornaria ao meio, no lugar do Alef, e espero que ao menos um dos atacantes reencontre a "boa fase", e possa converter em gols as chances criadas.

  • DE ARI PARA TIO LEI
    28/07/2014 12:39

    Prezado Tio Lei, a sua escalação é praticamente a minha. O problema na zaga é que o Sacoman ainda está machucado. O time carece sim de treinamentos técnicos. Quanto a cruzamentos de laterais, o Juninho sabe fazer o serviço. Quem precisa aprimorar é Daniel Borges.

  • TIO LEI
    28/07/2014 12:31

    Eu diria que a equipe está se qualificando. Creio que temos condições reais de brigar pelo acesso. Para isso é preciso que se faça treinamentos específicos de passes e cruzamentos com os laterais e encontrar alternativas através de jogadas ensaiadas para os atacantes. Imagino, a princípio a equipe com: ROBERTO- DANIEL- THIAGO- SACOMAN E JUNINHO - ELTON - GOIANO- ALEF e CAJÁ - RONI E ALEXANDRO ( RAFAEL ).

  • DE ARI PARA BOB STRONG (1)
    27/07/2014 20:53

    Prezado Bob, com a mudança do layout do portal varreram o formato do BLOG e simplesmente ficamos mais de 40 dias sem este espaço para comentários. Infelizmente alguns antigos parceiros desertaram, enquanto outros fatalmente voltarão ao nosso convívio...

  • DE ARI PARA BOB STRONG (2)
    27/07/2014 20:53

    ... Talvez esta coluna seja uma das mais democráticas, visto que não censuro aqueles que discordam até veementemente de minhas posições. O objetivo é a pluralidade, contemplar as mais diversas correntes de opinião. O que não pode é o cara partir para ofensas contra quem quer que seja...

  • Bob Strong
    27/07/2014 20:41

    Ari : Muitos internautas ainda não redescobriram como participar dessa tribuna que você disponibiliza para nós, pois agora há 02 maneiras de ler seu blog : via canais-blog ou em Opinião. Quando do próximo blog avise a Todos. O que acha ?

  • Marcel
    27/07/2014 11:27

    Ainda não me conformo com a interrupção da roubada de bola do Rafael Costa depois de uma saída péssima do goleiro do Vasco, no finalzinho do primeiro tempo, por causa do Adrianinho estar caído LÁ ATRÁS, em campo, pqp juiz no mínimo mal intencionado.

  • Gil
    26/07/2014 22:02

    Que pagação n o pé do Dado, para ôo

  • DE ARI PARA BOB STRONG (1)
    26/07/2014 20:49

    Prezado Bob Strong, tenho convicção que o lateral-direito Daniel Borges pode se recuperar neste time da Ponte. A principal virtude dele é arrancar com a bola, mas o demitido treinador Dado Cavalcante não soube trabalhar o jogador para melhorar passes e cruzamentos. Pelo contrário: incentivou-o a ser o homem da bola parada do time. Um absurdo!...

  • DE ARI PARA BOB STRONG (2)
    26/07/2014 20:49

    ...O mesmo desempenho mostrado pelo Juninho como lateral-direito será repetido, com certeza, na lateral-esquerda. Tenho citado que Bryan e Magal não convencem. Logo, a fixação de Juninho como lateral-esquerdo é a mais recomendável, principalmente agora que o volante Adilson Goaino entrou no time e convenceu. Até que o time se ajuste, não dá pra abrir mão de três volantes...

  • DE ARI PARA BOB STRONG (3)
    26/07/2014 20:48

    ...Claro que Cajá vai qualificar o meio de campo da Ponte e enfim o time ganhará um cobrador de faltas com bom aproveitamento. Na Série B ocorrem muitas faltas nas proximidades da área e Renato Cajá é o homem ideal para esta bola parada. A chegada de Roni, como meia-atacante, serve de reforço ao time na hipótese de repetir o futebol mostrado no Mogi Mirim. Rafael Costa completa o time.

  • Bob Strong
    26/07/2014 20:21

    Concordo Ari, Edno não está jogando nada faz tempo . Hoje tivemos um 1º tempo horroroso de ambas as partes. No 2º tempo tivemos 02 chances de matar o jogo, porém falhamos.Roberto numa bela defesa pegou cabeçada que faria um placar injusto. Quem sabe com Roni e Cajá melhoremos. Um amigo sugeriu : Roberto Luan Thiago, Gilvan. Goiano , Bob , Juninho. Cajá , Adrianinho , Roni e Rafael Costa. O que acha ?

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo