19
SET
Figueira coloca água no chope do Brasil e empurra Guarani à lanterna

1 - Estava dando tudo certo para que o Guarani encaminhasse a saída da zona de rebaixamento no complemento desta 23ª rodada da Série B do Brasileiro.

1A - Havia sido beneficiado pela derrota do Vitória para o São Bento por 2 a 0, pois assim poderá ultrapassar a pontuação do clube baiano caso vença o Paraná no sábado.

1B - Aí o Brasil de Pelotas vencia o Figueirense com relativa facilidade por 2 a 0, mas esmoreceu, sofreu um gol no final do primeiro tempo e cedeu empate aos 44 minutos do segundo tempo: 2 a 2.

1C - Com o resultado o 'Figueira' pulou para 23 pontos e empurrou o Guarani à lanterna da competição, com 22 pontos.

1D - Eis a encruzilhada: se o Bugre perder para o Paraná, na manhã/tarde deste sábado, irá continuar com a lanterna na mão. Se empatar, fica em penúltimo lugar. Se vencer, só não sai da zona de rebaixamento na hipótese de o Criciúma vencer o Atlético Goianiense, a partir das 19h15 desta sexta-feira, em Santa Catarina.

PONTE PRETA

2 - O pontepretano começou a torcer o nariz na rodada desde a derrota para o Operário (PR) por 2 a 1, o que provocou patinação nos 31 pontos.

2A - Depois disso viu o Botafogo subir na tabela e chegar ao G4 com vitória sobre o Vila Nova por 2 a 0, na casa do adversário.

2B - Deu certo o pontepretano 'secar' o ascendente Brasil de Pelotas contra o Figueirense, pois além de impedir que o time gaúcho o ultrapassasse na pontuação, ainda implicou na laterna para o rival Guarani.

2C - Problema para o pontepretano é que não tem escolha para torcer no jogo entre Coritiba e CRB, que se enfrentam no sábado. Alguém vai pontuar, sendo que hoje estão com 34 e 33 pontos respectivamente. Melhor dos males seria o empate.

2D - O Cuiabá - hoje com 32 pontos - tem chances de se distanciar mais da Ponte caso vença o Oeste na capital mato-grossense.

  • Jose Ricardo
    20/09/2019 09:58

    Surpreendente esse empate do Figueira.... Será que já são os primeiros efeitos do rompimento do contrato de terceirização do futebol do Clube com a empresa Elephant? Só lembrando que essa parceria era usada como modelo pelo ex-presidente Palmeron que pretendia implantar algo semelhante no Guarani.

18
SET
Senhores técnicos: aprendam com Tiago Nunes, campeão da Copa do Brasil!

Alô 'tecnicaiada' desse Brasil imenso: aprenda como se faz futebol com sabedoria com esse comandante gaúcho de Santa Maria, chamado Tiago Nunes, o principal responsável pela conquista do título da Copa do Brasil pelo Atlético Paranaense, após vitória sobre o Inter portoalegrense por 2 a 1, na cancha do adversário.

Esse rapaz de 39 anos já havia deixado impressão extremamente favorável na primeira partida da final, na vitória do Furacão por 1 a 0, semana passada.

Tiago Nunes
Tiago Nunes

Já que a 'tecnicaiada' por aí precisa de uma boa lição de futebol, recomenda-se que reveja a partida através do VT. Assim, será possível acompanhar o raciocínio de Tiago Nunes, que tem a exata clareza do pré-jogo e principalmente com bola rolando.

PRESSÃO E GOLS

Já se previa que o Inter viria amassando o Furacão pra reverter o tropeço da semana passada, e que nos primeiros 20 minutos os visitantes apenas rifariam a bola.

Aí, sabiamente Tiago Nunes montou a estratégia de contra-golpear apenas pelo lado esquerdo do campo, para explorar a velocidade do atacante Rony nas costas do imprudente lateral Bruno, que só queria atacar.

Pronto. Numa arrancada de Rony o meia Citadini calou o Estádio Beira Rio, ao marcar para o Furacão aos 23 minutos.

Na 'operação passar por cima' do Inter saiu o gol de empate, após bate-rebate aos 30 minutos, através de Nico Lopez, e aparentemente tudo normal até os 43 minutos quando imprudentemente o lateral Bruno, do Inter, praticou falta violenta sobre o lateral Márcio Azevedo, no campo de defesa do Atlético, e recebeu o cartão amarelo.

Baita imoprudência. Afinal, estava marcando o principal jogador de ataque do Atlético e faltas pesadas voltaria a praticar, como de fato ocorreu.

ODAIR HELLMANN

Odair Hellmann
Odair Hellmann

Aí o treinador do Inter, Odair Hellmann, com receio de expulsão de Bruno, optou por sacá-lo, e desarrumou por completo o seu time ao deslocar o bom volante Edmilson à lateral, provocando a entrada do lento Nonato no meio de campo.

No intervalo ele já havia despovoado a sua 'meiúca' ao sacar o voluntarioso Patrick para entrada do atacante Sóbis, com o equivocado conceito de que a opção por um atacante a mais resolve o problema.

Aí o Inter deu espaço no meio para o Atlético respirar, e sabiamente Tiago Nunes adotou como primeiro cuidado, para evitar risco, sacar o intranquilo jovem lateral-direito Khellven e colocar o apenas marcador Madson pra trancar aquela beirada de campo.

CIRINO

Ao perceber que Marco Rubens, do Furacão, sequer conseguia segurar a bola no ataque, trocou-o por Cirino, que soube fazer a 'parede' e se deslocou por todos os espaços da ofensiva, provocando ganho de produtividade à equipe

E foi numa jogada pessoal dele, além dos 50 minutos do segundo tempo, que surgiu a construção do gol da vitória através de Rony.

Assim, Tiago Nunes escreve a sua história nesta Copa do Brasil como exemplo a uma leva de treinadores de como se faz uma planificação sem jogadores renomados, como se organiza a equipe com variantes defensivas e ofensivas, e principalemente como se mexe nas peças do xadrez sempre pra melhor.

  • Tito
    19/09/2019 12:57

    É isso aí Ari! No primeiro jogo a diferença já era escancarada. Parabéns ao CAP.

  • Ruz
    19/09/2019 12:57

    O Inter perdeu o título quando jogou em Curitiba saindo da sua maneira de jogar, utilizando a tática retroativo (retranqueiro) .

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo