26
JUN
Muita gritaria por nada dos pontepretanos contra o juizão

Ouço na Rádio Central de Campinas que o Departamento Jurídico da Ponte Preta vai fazer representação na CBF contra o árbitro mato-grossense Wagner Reway, após derrota para o Palmeiras por 2 a 1, na tarde de domingo.

Aí indico o verbo parar na terceira pessoa do subjuntivo: parem, parem e parem com esse enredinho sem pé e sem cabeça.

Ah, o juizão teria deixado de marcar dois pênaltis favorável à Ponte? Marcou pênalti favorável ou validou gol impedido para o Palmeiras? Parou o ataque da Ponte em lance de impedimento inexistente?

Ora, onde o juizão errou? Minou o time da Ponte não marcando uma faltinha ali e fingindo não ter visto falta cometida por palmeirense?

Sim, o juiz errou. Todavia errou dois lados. Quando Guerra fez cera, recebeu cartão amarelo. Quando Cajá foi puxado pela camisa quase na entrada da área, a falta foi marcada, coisa que árbitro mal-intencionado poderia ignorar. O cartão amarelo de Sheik foi desnecessário, longe do gol de seu time.

EXPULSÕES

Acertou em cheio o juizão nas três expulsões porque a televisão mostrou ‘centas’ vezes o palavrão falado pelo zagueiro Rodrigo. E a agressão do meia Renato Cajá, revidada pelo meio-campista Thê Tchê? Seria o juiz um bananão se fechasse os olhos e fizesse de conta não ter visto.

Parem, parem e parem, sob pena de a Ponte Preta não ser levava à sério na CBF quando tiver motivos suficientes para contestar.

Não há argumento que sustenta a reclamação da Ponte, até porque apenas em Campinas ouve-se a gritaria.

Deveriam punir até com multa a irresponsabilidade de jogadores experientes como Cajá e Rodrigo.

Como a coluna pauta por absoluta independência, encarna o lema ‘é, é; não é, não é’; logo esquiva-se de puxa-saquismo à coletividade pontepretana. Em vez disso, contesta falhas do time na relva.

CUCA ESPETA

Ora, por que o treinador Gilson Kleina não percebeu que o treinador Cuca organizou o seu Palmeiras pra jogar pelo lado direito do ataque?

Cuca estudou direitinho que poderia explorar a fragilidade de marcação do lateral-esquerdo João Lucas, e lentidão do zagueiro Rodrigo na cobertura.

Fosse Kleina um treinador com rápida visão tática, como era o ex-treinador Cilinho, já teria trocado o posicionamento dos zagueiros, colocando Marllon pra marcar do lado esquerdo, visto que é mais rápido, e aí poderia ser mais eficiente na cobertura de João Lucas, inexplicavelmente com camisa no time.

O que fez Cuca? Adiantou o meia Guerra, que por vezes aparecia como autêntico centroavante.

Foi assim que surgiram os dois gols dele, e antes disso o atacante Roger Guedes já havia feito a mesma jogada, em que a bola passou ‘triscando’ a trave.

A rigor, o treinador Fábio Carille, do Corinthians, já havia posicionado Rodriguinho no buraco entre o lateral-direito Nino Paraíba e zagueiro Fábio Ferreira, naquela trágica goleada sofrida pela Ponte na final do Paulistão em Campinas. Lembram-se?

Treineiro precisa enxergar rapidamente a armadilha montada pelo adversário e saber desarmá-la.

PREVISÍVEL

O time pontepretano está previsível e sem velocidade pelos lados do campo para ultrapassar barreiras que todos formam nesse Brasileirão.

Se você discorda de minha avalição, responda apenas uma perguntinha: quantas defesas a equipe da Ponte exigiu dos goleiros Fábio do Cruzeiro e Fernando Prass do Palmeiras?

  • marcelo
    29/06/2017 00:21

    essas brigas, dentro da cupula dos times so prejudicam o rendimento do time dentro de campo. isso nao e bom. alias, alguem poderia me informar se o campo da ponte esta interditado? em que jogo interditaram....pela tv eu vi que nao tinha ninguem no campo. abraços

  • Marcelo macaco MPPL/Ari
    28/06/2017 08:31

    Eu estive presente na reunião e sou testemunha ocular do ocorrido,só queria saber sua opinião sobre isso,pois é um jornalista experiente e já circulou muito nos bastidores do futebol,...mas tranquilo Ari, obrigado pela atenção !

  • DE ARI PARA MARCELO MACACO
    27/06/2017 23:29

    Prezado Marcelo, soube sim que houve tumulto. Como não tive contato com conselheiros, sugiro que você fique com informações da mídia local

  • Marcelo macaco MPPL / Ari
    27/06/2017 19:03

    Ari por favor ,se possível o senhor emitir opinião sobre o q ocorre no conselho da ponte preta,na reunião da última segunda ,houve tumulto entre Sr Miguel Di CIURCIO e Sr Sérgio CARNIELLI,....quase chegaram as vias de fato !!

  • João da Teixeira
    27/06/2017 14:37

    Ari, esse árbitro de Mato Grosso, Wagner Reway já fez lambança contra a Ponte e provavelmente veio mau intencionado para essa partida. Se não me engano em um jogo no Majestoso contra o Santos, onde foi duramente criticado pela torcida e dirigentes da Ponte. Agora veio e aprontou de novo! como não é a primeira vez, nada mais justo que a Ponte entre com a solicitação junto a CBF de não mais escalá-lo em seus jogos. Como disseram, foi tendencioso, em favor do Parmitão.

  • RMaia
    27/06/2017 14:37

    Juiz ruim pra ambas equipes. Cuca fez o arroz com feijão explorou as deficiências da Ponte e envolveu-a taticamente e ganhou o jogo, ficar com a equipe fechada esperando erro da Ponte pra no contra-ataque definir a partida como a quase totalidade dos treinadores tem feito. Cabe a Ponte lamber suas feridas e acertar a equipe e parar de usar arbitragem como biombo. Ontem o Botafogo imitou a Ponte e entregou 3 pontos pro Avaí, agora falta a Ponte no domingo ajudar o time catarinense.

  • Profeta da Tribo
    27/06/2017 09:58

    Ari, a verdade nua e crua é que a AAPP e sua torcida estão com o "rei na barriga". É muita arrogância, de todos os lados: diretoria, treinador, torcedores, e vai saber como são os jogadores. Por isso, sempre arrumam justificativas para as derrotas, e nutrem a síndrome de perseguição.

  • Paulo Sergio p/ Ari 1
    27/06/2017 09:58

    Prezado Ari, você sabe muito bem que quando tem méritos em seus posts eu elogio, e quando tem erros (você também erra) eu critico. Então pelo que você escreveu, entende-se que árbitro NUNCA erra, NUNCA é maldoso, NUNCA é encomendado!! no jogo de domingo a Ponte NÃO fez sua parte, mas com exceção a você, toda imprensa e mais a torcida viu o que ele fez e criticaram com VEEMÊNCIA. Então está muito claro que seu papo de é, é não é, não é trata-se simplesmente de uma

  • Paulo Sergio p/ Ari 2
    27/06/2017 09:58

    forma de defender suas teses sem JAMAIS admitir que também ERRA!! O portal F.I acaba de fazer uma matéria em que sem Fumagalli o Guarani hoje estaria na zona de rebaixamento e você a mais de um ano vem pedindo sua aposentadoria, e aí?? Desculpe Ari, mas penso que já passou da hora de você rever ALGUNS conceitos jornalísticos, a chamada RECICLAGEM! Você erra muito pouco, mas erra e aceitar isso faz parte de todo bom profissional.

  • João da Teixeira
    27/06/2017 09:56

    ...e o Avaí, ao estilo da Ponte, nos contra ataques, deu trabalho para o Fogão! Não só trabalho, ganhou o jogo e vai embalado para Florianópolis para o jogo contra a Ponte. Vai achando que era um ex lanterna e em vez de levar chuteira, levem calçados Luiz XV para jogar. Campeonato nivelado e muitos times jogando só com o nome e se dando mal, como foi o caso do Botafogo ontem. Por esse jogo, não dá para entender porque o Avaí era o lanterna até ontem. Bom, é jogo de 6 pontos...

  • João da Teixeira
    26/06/2017 23:08

    Negócio é o seguinte, o juizinho foi péssimo, mas a Ponte não fez por merecer. Então "águas passadas não movem moinho". O Avaí acabou de ganhar do Botafogo 2x0 em pleno Rio de Janeiro, graças a Deus não é mais o lanterna. Assim a Ponte não tem recaída de "cachorro magro", porque Robin Hood ela não é mais mesmo! Perdeu de um "grande". Bom, que a Ponte abra o olho, pois se perder, vai ser convidada para ir jantar no purgatório, a menos de meio caminho do grupo do Satanás...

  • DE ARI PARA CABEÇA (1)
    26/06/2017 23:07

    Prezado Cabeça, vc que vai ao estádio deveria, de preferência, ficar no alambrado, atrás do banco de reservas da Ponte, pra cantar o jogo ao treinador Kleina. Se ele mudasse o posicionamento dos zagueiros, como citei, certamente o mal seria menor. Ou a história seria outra...

  • DE ARI PARA CABEÇA (2)
    26/06/2017 23:07

    ... Quando a bola rola, caro Cabeça, poucos conseguem enxergá-la com o discernimento do mestre Cilinho. Com ele aprendi um pouco, e por isso vou dando meus pitacos aqui sobre bola rolando. Arbitragem do tipo Romualdo Arpi Filho eu conheço de longe. E não foi o caso. Vai por mim.

  • Cabeça
    26/06/2017 22:57

    Poxa Ari, e ainda indisti ? Muitas vezes o juiz não precisa errar em lances capitais como um gol anulado ou um impedimento mal marcado. Ele vai minando o time, vai enervando, isso foi notório. Cuca gritava e não era repreendido, Kleina gritava, e ele ia para cima. De novo, você precisa ir mais aos estádios. Quantas as defesas, o Palmeirense fez uma, e o Aranha não me lembro, no jogo contra o Cruzeiro, mesma característica de jogo truncado, times fortes, não é o Náutico

  • MARCIAO
    26/06/2017 21:49

    Boa Noite Ari. Acho que eu e a maioria da torcida da Ponte assistimos outro jogo diferente de você .Pelo menos, na minha modesta opinião o safado do Reway veio encomendado. o Palmeiras precisava se recuperar no campeonato. o Pilantra minou a Ponte o jogo inteiro !! Ou tu achas que ele expulsaria algum jogador do Palmeiras que fizesse a mesma coisa que o Rodrigo e o Caja´fizeram ??? Duvido ... a Ponte fez muito bem de ir a CBF contra esse tranqueira !!!!

25
JUN
Ponte perde gol, o jogo e a cabeça contra o Palmeiras, em Campinas

Não se pode creditar na arbitragem do mato-grossense Wagner Reway a derrota da Ponte Preta para o Palmeiras por 2 a 1, na tarde deste domingo no Estádio Moisés Lucarelli.

O juizão agiu corretamente nas três expulsões. Se de fato um jogador palmeirense catimbou para evitar cobrança de falta no campo defensivo da Ponte, nos instantes finais, não se justifica a atitude do zagueiro Rodrigo em chutar propositalmente a bola sobre o adversário e ofender ao árbitro, o que resultou no correto cartão vermelho. Evidente que o palmeirense mereceria ali o cartão amarelo.

Renato Cajá perdeu a cabeça. Foto: Fabio Leoni
Renato Cajá perdeu a cabeça. Foto: Fabio Leoni
Quem tem a experiência do meia Renato Cajá jamais pode dar tapa no rosto de adversário. Pois ao ser agredido, o meio-campista palmeirense Tchê-Tchê revidou, e nada mais lógico de que ambos fossem colocados pra fora.

Inversões de faltas aqui e acolá ocorreram – mais a dano à Ponte, é verdade -, mas isso não significa que o árbitro estivesse predestinado a prejudicar quem quer que seja.

LÉO ARTHUR

Tecnicamente foi um jogo rigorosamente igual, e o empate espelharia a realidade. Ocorre que quando teve oportunidade de ouro para empatar a partida, o meia Léo Arthur a jogou na lata do lixo. Chutou a bola para a fora, mesmo estando cara a cara com o goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, após a única jogada lúcida do atacante Emerson Sheik ao longo da partida.

A rigor, a Ponte teve duas chances e converteu apenas aquela em que o atacante Lucca fez a diagonal e pegou muito bem na bola, não permitindo chance de defesa ao goleiro palmeirense, aos 40 minutos do primeiro tempo.

Dois minutos antes o Palmeiras havia saído em vantagem através do venezuelano Guerra, explorando jogada já tentada anterior por Roger Guedes, nas costas do lateral-esquerdo João Lucas e falta de precisão na cobertura de Rodrigo.

Enquanto Guedes bateu cruzado e a bola quase ‘lambeu’ a trave de Aranha, Guerra teve finalização certeira, aproveitando a indecisão de Aranha na saída da meta.

Depois, em lance semelhante, novamente Guerra colocou o Palmeiras em vantagem, porém tem-se que creditar parcela maior de culpa ao volante Fernando Bob, que errou em saída de bola e propiciou articulação rápida dos palmeirenses, em troca de passes.

No mais o que se viu foi um jogo ‘brigado’, picotado, com as equipes marcando atrás da linha da bola, com predominância defensiva.

JOÃO LUCAS

A Ponte peca pela insistência de seu treinador, Gílson Kleina, ao manter o lateral-esquerdo João Lucas que marca mal e nada tem acrescentado quando avança. Logo, há tempos não merece camisa na equipe.

Está claro também a pouca produtividade do meia-atacante Claudinho, uma substituição já cantada no segundo tempo.

Carece, a Ponte Preta, de um atacante de velocidade pelos lados do campo, para melhorar a capacidade de penetração da equipe.

Observem que em duas partidas a Ponte criou rigorosamente duas chances e os goleiros adversários - Fábio e Prass - não foram obrigados a praticar uma defesa difícil sequer.

De qualquer forma, claro está também que o rendimento geral da Ponte não a coloca entre as equipes que podem correr risco de rebaixamento, e sim campanha de manutenção no Campeonato Brasileiro da Série A.

  • Cabeça
    27/06/2017 23:26

    Mônica, financeira adianta bastante, aliás com a receita de TC10 pagaríamos a folha salarial de um time da A2 como o seu. Entendeu ? Agora sem duvida os 4mil que levamos estão aquém de nossa grandeza, por isso que se comenta bastante. Veja que ninguém repercute sobre a média de 3 mil do GFC, pois sabem que está muito bom.

  • Mônica Matos
    27/06/2017 14:36

    Cabeça, não adianta ter 10 mil sócios e estar no estadio os mesmos 3 mil de sempre, estranha essa conta né.. Se sócio torcedor entra de "graça" porque não vão pro estadio e olha que vcs disputam 4 campeonatos no ano e a média é uma merda.. Para de dar essa desculpa, torcida modinha ou estão pagando a viagem pra argentina de 5 anos atras...

  • Eugenio para Profeta
    27/06/2017 09:59

    Caro Profeta, muito bem observado, e não precisa ser um "Profeta" ou um grande analista do futebol para constatar e concluir que a torcida do time virgem é bem menor que a do Bugrão, o unico campeão do interior. No maximo eles tem uma minoria "barulhenta", que pode fazer parecer que são mais do que realmente são. No final são sempre os mesmos 3000 - 4000 - no maximo - q vão aos jogos. Dividir o Morumbi com a torcida do SFC, na final de 2012, so mesmo a torcida do Guarani.

  • Roberto
    27/06/2017 09:56

    PEDRÃO, PARADA GAY E JOGO DO CORINTHIANS NA TV , AI É COVARDIA, SE EXCLUIRMOS OS PALMEIRENSES, NÃO TINHAMOS 3.500 MISTOS NO CAMPINHO KKKKKK O QUE ADIANTA TER 30.000 SÓCIO TORCEDOR E TER MÉDIA DE 3.000 PAGANTES POR JOGO KKKKKKKKK

  • Cabeça
    26/06/2017 20:06

    Ari, que mundo você vive ? Às vezes é bom sair do sofá e ir para a arena, inversões de falta, critérios diferentes, foi um escândalo.

  • Cabeça
    26/06/2017 20:06

    Profeta, tenta passar dos 2.500 sócio torcedor, 1/3 da maior do interior.

  • João da Teixeira
    26/06/2017 18:09

    Então foi por isso que anteciparam o jogo do bugre de domingo para sábado à noite. Domingão livre, 2ª feira a tarde o retorno dos atletas e os pedidos da torcida sendo atendido pela CBF, maravilha, hein bugrinos?

  • Carlos Agostinis
    26/06/2017 15:33

    Se os juizes nao roubassem tanto a ponte ela seria cam pea todo ano.

  • gege
    26/06/2017 15:30

    É sempre assim.Quando ganha é mil maravilha. Quando perde é sempre roubado.Tem que parar com isso. Perdeu porque não foi competente.

  • Pedrão
    26/06/2017 15:29

    PROFETA, VC ESQUECEU DE UM DETALHE, TINHA PARADA GAY EM CPS.

  • Barba
    26/06/2017 11:38

    Infelizmente o Kleyna desaprendeu e é teimoso. Os 2 gols sairam nas costas do lateral esquerdo, como sempre. Alem disso Elton está velho e não joga nada. Agora, trazer Rodrigo é coisa de louco. Velho, cansado, grosso e por cima - desequilibrado! Pelo menos não joga o proximo jogo.

  • Tony
    26/06/2017 11:37

    Bom, mais do mesmo - Leo Artur e Claudinho NÃO servem para a serie A, Rodrigo está velho e não aprendeu a catimbar, e Caja já era. Alem disso o João Lucas é o buraco de nossa defesa; e olha que a chance de escalar Reinaldo na esquerda consertava tudo. Mas Kleyna é orgulhoso demais.

  • Profeta da Tribo
    26/06/2017 11:36

    Jogo de série A. Contra um gigante como o Palmeiras, eliminado pela AAPP no Paulistão. AAPP com uma boa campanha. Domingo, 16 horas. Dia de sol, sem chuva. E apenas 6 mil presentes? Caramba...

  • Paulo Sergio p/ Ari
    26/06/2017 11:34

    Prezado Ari: Não vai comentar nada sobre a arbitragem?? Excelente comentário seu sobre João Lucas, um verdadeiro PEREBA!! mas 80% da vitória do parmitão é creditada ao árbitro os outros 20% coloca na conta de Léo Arthur! Eu gosto de assistir pelo premier sem volume e ouço pala Band e Valdemir Gomes chegou chamar o árbitro de lazarento e disse que se o chamasse do que tinha vontade tiraria a rádio do ar.

  • João da Teixeira
    26/06/2017 11:33

    Ouvi uma declaração do Cuca, dizendo que o Palmeiras jogou como se fosse um jogo de Libertadores. Não precisava tanto, catimbaram, fizeram cera, agrediram, irritaram os jogadores da Ponte, tanto que foi dois expulsos, tudo que um time argentino costuma fazer qdo. joga contra o Brasil. Precisava tudo isso? Será que se não fizesse isso não ganha o jogo? E o juizinho fuleiro que veio apitar? Cada vez mais fico desacreditado, que um dia o futebol brasileiro vai melhorar...

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo