Alô Guarani: cuidado com supostas negociações

Há um dito popular mais ou menos assim: 'enquanto você está vindo com a farinha eu já estou voltando com o bolo'.

E assim deveriam agir homens que integram departamento de futebol de clubes.

Pelos lado do Guarani, ficaram olhando as apostas da Ponte Preta em boleiros rodados, que se ajustaram à realidade financeira do clube, e teriam ensaiado investidas semelhantes como últimas tacadas na complementação do elenco visando o próximo Paulistão.

MARQUINHOS GABRIEL

Alguém falou que o meia Marquinhos Gabriel está em disponibilidade no mercado, após encerramento de vínculo com o Vasco, e teria gente no Estádio Brinco de Ouro de olhos arregalados e já imaginando que as perdas dos meias Régis e Andrigo poderiam ser compensadas com a contratação dele.

Se de fato pensaram em Marquinhos Gabriel, sugiro que observem jogos do Vasco na última Série B do Campeonato Brasileiro, pra sossegarem o facho.

Nem de longe Marquinhos Gabriel repetiu no Vasco aquilo visto anos atrás no Corinthians, a exemplo de passagens em Cruzeiro e Athletico Paranaense.

MARCINHO

Tivessem os homens do futebol do Guarani antenados, projetariam dificuldade para acerto financeiro com Régis e cogitariam eventual substituto.

É aí que entra o dito popular de 'enquanto você está vindo com a farinha eu já estou voltando com o bolo'.

Meia Marcinho, relegado pelo treinador Vanderlei Luxemburgo no Cruzeiro, seria contratação até com mais vantagem comparativamente a Régis.

Aí dormiram no ponto e o destino do atleta foi o Novorizontino, pra trabalhar novamente com o treinador Léo Condé, a exemplo de que já ocorreu no Sampaio Corrêa.

Outra alternativa seria o meia Gabriel, que renovou contrato com o CSA.

CENTROAVANTE

Nome do centroavante André foi igualmente ventilado pelos corredores do Estádio Brinco de Ouro, sem qualquer confirmação de interesse.

Ainda bem. O André em questão nada tem a ver com aquele que fez sucesso no Santos no biênio 2009/10.

Talvez os homens do futebol do Guarani não se deram conta da viabilidade de contratação do centroavante Erison, que defendeu o Brasil de Pelotas na última Série B.

Saibam, pois, que o atleta participou de 19 jogos no clube gaúcho e marcou oito gols, um aproveitamento considerável num time sem a devida qualidade para organização de jogadas ofensivas.

Como o atleta havia sido emprestado pelo XV de Piracicaba ao Brasil, eis que o Botafogo do Rio de Janeiro decidiu contratá-lo.

Aí entrou a visão do treinador Enderson Moreira, que constatou virtudes no atleta para ocupar a lacuna deixada por Rafael Navarro, que se transferiu para o Palmeiras.