Nas colunas da 'velharada', as histórias são sobre Adílton e Toninho Baiano

O reinício da coluna está bem chocho, com participação mínima dos antigos parceiros nos comentários, até porque a maioria sequer tomou conhecimento da volta de publicações após quatro meses.

Se um assunto de múltipla interpretação como a contratação do zagueiro Dedé, pela Ponte Preta, deu traço nos comentários, como me aprofundar em outros temas, como a suposta saída do goleiro Ivan e coisas do Guarani?

Já cobrei o jornalista Élcio Paiola, diretor do Futebol Interior, para que o pessoal da área de tecnologia coloque link direcionando o blog na página principal do portal, a fim de que o internauta seja informado sobre o tema que rola a cada dia.

OUTRAS COLUNAS

Enquanto isso não acontece, quem tem curiosidade sobre histórias da 'velharada' do futebol campineiro - provavelmente publicada apenas aqui -, basta clicar na opção Cadê Você, à direita de sua tela.

Ali, no âmbito doméstico, conto a história do saudoso centroavante Adílson, que chegou à Ponte Preta em 1973 para substituir Manfrini.

Sobre reminiscência, cenário nacional, o personagem em foco é o saudoso lateral-direito Toninho Baiano, dos tempos em que não era proibido boleiro ser identificado por apelido no futebol. O link é Memórias do Futebol.