Válida aposta da Ponte Preta para contar com um Dedé inteiro

A contratação do zagueiro Dedé, pela Ponte Preta, é um caso emblemático, embora não tenha havido transparência integral sobre a forma em que o negócio foi feito.

Dedé não participa de partida oficial desde 19 de outubro de 2019, quando esteve em campo apenas 19 minutos numa partida do Cruzeiro contra o Corinthians.

Repetidas lesões em joelhos implicaram em calvário na carreira dele, mas o preparador físico Fernando Cariello, do Volta Redonda (RJ), crava que esteja em condições aptas para atuar.

Que clube brasileiro não sonharia com aquele Dedé que chegou até a Seleção Brasileira, convocado pelo treinador Tite?

A repetição daquele Dedé vai significar disparadamente, à Ponte Preta, a proeza de contar com o melhor zagueiro da próxima edição da Série B do Campeonato Brasileiro.

Teria caído do céu esta situação?

Resta saber quais as garantias foram colocadas à mesa à Ponte Preta.

PRODUTIVIDADE

Se o atleta, entrevistado no programa Esporte Espetacular da TV Globo, meses atrás, assumiu que aceitaria contrato de produtividade com novo clube, após desligamento do Cruzeiro em julho passado, isso teria se repetido ao assinar contrato com a Ponte Preta?

Considere, também, que um Dedé inteiro certamente vai despertar interesse de clubes da Série A do Brasileiro, findo os campeonatos estaduais.

E aí: teria a Ponte se resguardado para manutenção do atleta até o final do ano, visando equipe competitiva na próxima Série B? Ou então se cercado de recompensa financeira no caso de liberação?

São hipóteses emblemáticas que carecem de respostas.

APOSTA VÁLIDA

Seja como for, claro que foi uma aposta válida do presidente Marco Eberlin e quem o assessora diretamente no futebol do clube.

Se tudo sair como o projetado, cartolas de outros clubes vão ficar de queixo caído pelo 'achado' pontepretano, principalmente aqueles do Santos que recusaram oferta feita por empresários do atleta, para integrar o clube nesta temporada, segundo informações do jornalista Ademir Quintino.

Nesta empreitada, igualmente Dedé só tem a ganhar caso se comprove recuperação total de lesões em dois joelhos, que travaram sequência regular da carreira dele durante os seis anos de Cruzeiro.