13
JUN
Cobranças de conselheiros bugrinos continuam de pé

O futebol é capaz de coisa supostamente inimaginável. Um bugrino de quatro costados lamentou a vitória de seu clube sobre o Novorizontino, com argumento que isso serviu para acalmar conselheiros bravos pela campanha na Série B do Campeonato Brasileiro.

Como dizia o ex-centroavante Dadá Maravilha na década de 70, uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa.

Bugrino tem mais é que torcer pela vitória de seu clube em qualquer circunstância, e saber diferenciar bem as coisas.

Claro que a vitória serviu para debelar focos maiores do incêndio, mas democraticamente cabe sim conselheiros aproveitarem a reunião extraordinária do órgão para questionar dirigentes sobre a carta branca que deram para o superintendente de futebol Michel Alves abusar de erros em contratações.

Circula informação que jogador reserva do clube está em faixa salarial acima de R$ 50 mil mensais.

Será?

E quem é o citado atleta?

Para conselheiros, dirigentes devem explicações sim.

  • Marcos
    14/06/2022 17:31

    E o Kevin heim !! Parece que a mudança de camisa fez bem a esse jogador. Que golaço ontem.

  • Profeta da Tribo 1
    14/06/2022 17:31

    Quem se lembra de Gabriel Poveda? Pois é, em 11 jogos no Sampaio, fez 5 gols. Vice-artilheiro da Série B. Era da nossa base. Por que não aproveitamos melhor o atleta? O último treinador que aproveitou a base foi o Felipe Conceição. Renanzinho fez bons jogos. Puxa, a base precisa aparecer mais, ser mais utilizada. Professor, põe a moçada para jogar.

  • Profeta da Tribo 2
    14/06/2022 17:30

    Atacantes de beirada: Julio Cesar, Venuto, Bruno José, Maxuel, Yago, Ronald. 6 atletas, todos de nível abaixo do exigido para uma Série B, com todo respeito aos atletas. Com o salário desses 6, devia ter contratado 3 bons, de nível técnico alto, e completar com 3 da base, que naturalmente ganham um valor simbólico. Muito mais inteligente. Essa história de elenco homogêneo funciona se forem todos bons, se for para nivelar por baixo, é tiro no pé.

  • João da Teixeira
    14/06/2022 17:29

    Desculpe gente, mas a esculhambação do meu time foi o que me restou para criticar essas coisas que apareceram num passado recente dentro do Majestoso. Não tenho mais saco para isso, no alto dos meus 67 anos. Querem ganhar dinheiro, vão trabalhar. Não venham optar em descarregar suas incompetências no Majestoso. Arrumem outro jeito de estragar suas vidas, porque dessa maneira, vcs estragam a minha vida tbém ...

  • João da Teixeira
    14/06/2022 17:29

    Lembram daquela propaganda d DDDrim na TV? Pois é, vou fazer uma paródia. Vou chamar Eberlin, Eberlin! E os passeios dos ratos pelo Majestoso vão ter fim, E-ber-lin! Pois é, sumiram os ratos, ficaram as baratas, todas tontas pelo "veneno usado", que não resolveu nada, até piorou, antes tinha queijo, agora baratas e esgoto somente. É por essas e outras que a Série C vem batendo em nossa porta, como aquele caminhão tudo esculhambado que passa nas ruas, o famoso "Tudo Serve".

  • João da Teixeira
    14/06/2022 17:28

    E falando em farra do boi, o Cruzeiro deve enfiar a tão esperada goleada que desde o começo da Série B nós aguardamos. Só está faltando isso para coroar de êxito todo trabalho feito pelas últimas gestões administrativas na Ponte. A goleada seria o prêmio a esses dirigentes incompetentes plantados dentro do Majestoso a décadas. No Majestoso não falta pão, água, circo e palhaços, adivinham quem são os palhaços? Uma vergonha o que aconteceu nos últimos tempos na Ponte.

  • João da Teixeira
    14/06/2022 17:27

    Ainda vai ter reunião extraordinária da igrejinha? Não creio que vai ter todo aquele ímpeto de se cobrar as coisas erradas. Os "bonequinhos da Ezequiel" se reunirão para dizer sim com a cabeça para tudo que está acontecendo e aproveitando a extraordinária reunião do CD, ainda vão aproveitar para pedir alguma coisa a mais, como novos empréstimos a bancos, vender alguma coisa do mirrado patrimônio etc etc. Enfim, nos clubes, só mudam os nomes e endereços. É a farra do boi

« Anterior : 1 [ 2 ] : Próxima »
12
JUN
CA e superintendência de futebol do Guarani respiram aliviados

Tanto o CA (Conselho de Administração) do Guarani como a superintendência de futebol do clube agradeceram aos céus essa vitória sobre o Novorizontino por 2 a 1, na manhã/tarde deste domingo, em Novo Horizonte.

Todos estão cientes que a bola do Guarani continua curta, mas quando se vence, independentemente das circunstâncias, a lógica indica que se tem que explicar menos.

A previsão lógica é os que alvos de cobrança à reunião extraordinária do Conselho Deliberativo, programada para a noite da próxima terça-feira, com finalidade que expliquem a incômoda situação do clube no Campeonato Brasileiro da Série B, já possam respirar.

Se o Novorizontino teve maior volume de jogo, criou as melhores chances, o que interessa é quem teve melhor aproveitamento, e no caso específico foi o Guarani.

Nem o treinador Marcelo Chamusca sabe explicar o por que da opção com três zagueiros, embora na teoria seria estratégica para liberar os laterais que, em tese, se transformariam em ala ofensivos, mas isso ocorreu apenas eventualmente ao longo da partida.

Monta-se um ferrolho defensivo e mesmo assim o time oferece oportunidade para o adversário.

Na cabeçada do volante Jhony Douglas a bola chocou-se contra a trave logo aos três minutos. Aos 20 o atacante Cléo Silva, cara a cara perdeu gol feito e aos 38 o também atacante Ronald, de frente com o goleiro Kozlinski, chutou a bola na perna dele.

FILEMON FALHA

O Guarani, que não tinha consistência ofensiva e abusava de erros de passes, havia exigido apenas uma defesa normal do goleiro Lucas Frigueri, através do meia Giovanni Augusto, até que tirou proveito de dupla falha de defensores do Novorizontino, aos 43 minutos.

Primeiro em erro de saída de bola do zagueiro Rodolfo Filemon, que presenteou o volante Rodrigo Andrade. Aí, em chute rasteiro, fraco, defensável, o goleiro Lucas Frigeri se atrapalhou no lance e 'comeu' um frangaço.

MATHEUS PEREIRA

Aquilo que parecia inimaginável pelo fraco rendimento do Guarani, de repente a situação clareou de vez logo aos três minutos do segundo tempo, quando Giovanni Augusto serviu o lateral-esquerdo Matheus Pereira, que se projetava no ataque, com finalização certeira: Guarani 2 a 0.

LEANDRO CASTÁN

O volume ofensivo do Novorizontino durante o segundo tempo não se traduziu em reais oportunidades, exceto aos 26 minutos em vacilo do zagueiro Leandro Castán, com aproveitamento de Cléo Silva para que fosse reduzida a vantagem bugrina.

Depois disso, o Guarani procurou se resguardar com mais jogadores de marcação e o jogo foi se arrastando até o final, sem registro para outros lances contundentes.

Ainda não existem comentários.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo