24
JUL
Empate com Brusque é normal; anormal é desperdício da chance de vencer a Chapecoense

Tenho citado reiteradamente que assistir à jogos da Série B do Campeonato Brasileiro é primordial para se acompanhar o termômetro da competição.

Quando o Brusque empatou com o Grêmio por 1 a 1, em Santa Catarina, citei aqui, sem pestanejar, que seria mais lógico o Guarani trazer três pontos de Chapecó, porque encontraria mais resistência quando tivesse que enfrentar o Brusque.

Pois comemoraram aquele empate sem gols contra a Chapecoense, ignorando que o Brusque poderia ser uma pedra no caminho. E foi.

Mesmo sem repetir a atuação diante do Grêmio, alcançando no máximo 60% daquilo que havia mostrado naquela partida, o Brusque arrancou empate por 1 a 1 diante do Guarani, na manhã/tarde deste domingo, em Campinas.

Surpreendeu, sim, o Brusque colocar em prática uma postura extremamente defensiva nos primeiros 18 minutos, o que foge de sua conotação tática.

Foi o período em que aceitou a imposição ofensiva do Guarani e correu risco em suas ocasiões de sofrer gols em lances de bola aérea.

Primeiro aos seis minutos, quando na cabeçada do zagueiro João Victor a bola chocou-se contra o travessão; depois, aos 12min, ocasião em que o zagueiro Derlan, de cabeça, obrigou o goleiro Jordan a praticar defesa.

BRUSQUE SAI DA TOCA

Quando o Brusque se conscientizou que também precisaria jogar, a partida ficou equilibrada no restante do primeiro tempo, inclusive o seu atacante Alex Sandro chutou a bola para fora, após limpar a jogada nas proximidades da área.

E com chegadas mais frequentes ao ataque, o Brusque chegou ao gol logo aos sete minutos do segundo tempo.

Foi quando o seu meia-atacante Álvaro teve incrível liberdade para ajeitar a bola, sem que o zagueiro bugrino Derlan se aproximasse para o combate.

Assim, a finalização de Álvaro foi certeira, no ângulo direito do goleiro Kozlinski: Brusque 1 a 0.

PÊNALTI

A reação imediata do treinador bugrino Mozart Santos foi proceder três alterações de uma só vez, para entradas de Marcinho, Yago e Lukão nos postos de Isaque, Júlio César e Nicolas Careca.

Como o lateral-direito Diogo Mateus foi chamado no intervalo para o lugar de Lucas Ramon, o Guarani 'queimava', ali, quatro das cinco alterações a que tem direito.

O Guarani chegou ao empate aos 11 minutos, devido à desatenção do lateral-direito Edílson, do Brusque, que disputou jogada com o braço aberto já dentro da área - mesmo que de costas -, cometendo, portanto, o toque que caracterizou o pênalti, convertido por Diogo Mateus.

E não é que Álvaro quase reprisou o lance convertido em gol do Brusque, quando, na mesma posição e liberdade proporcionada novamente por Derlan, exigiu defesa do goleiro Kozlinski, na finalização aos 15 minutos.

TROCAS DO GUARANI

Daí pra frente, o Guarani foi favorecido pelas trocas feitas por Mozart - exceto Marcinho que voltou a jogar mal.

No corredor do lado direito já fluíam jogadas de Diogo Mateus com Yago, e começaram a surgir oportunidades para os bugrinos.

Primeiro na bola alçada por Bruno José, mas, no cabeceio, Lukão a colocou para fora. Depois quando Lukão serviu Madison, que exigiu defesa do goleiro Jordan.

Por fim, na bobeada do zagueiro Fábio Alemão, que perdeu a bola para Lukão, mas em tempo de interceptar chute de Bruno José, cedendo escanteio.

Assim, como ficou no empate por 1 a 1, o desafio do Guarani, agora, será aprofundar a crise do Sport na próxima quinta-feira, em Recife.

  • Barba para Marcos
    26/07/2022 13:26

    Marcos - você está coberto de razão. A Ponte não joga o Campeonato Paulista e o Guarani não joga a série B em 2023. Não é um chute. É a realidade do futebol de Campinas, por isso não teremos derbi no próximo ano. Fato baseado em dados.

  • João da Teixeira
    26/07/2022 13:25

    Errata em dos meus post, o jogo Coritiba x Cuiabá foi no Couto Pereira e não na Arena Pantanal, o que pode ter facilitado o Coxa a empurrar o Dourado cachoeira abaixo, 1x0, gol do bom jogador Alef Manga. Achei que o jogo seria num dos "elefantes brancos" da gangue esquerdista. Coritiba saiu do Z4, deixou o Cuiabá no seu lugar e empurrou ainda mais 3 para perto da Zona da Degola. Assim, respira aliviado...

  • Tito
    26/07/2022 02:38

    Manchete diz que, segundo Mozart, o Guarani está negociando com um jogador reforço de peso, como eu não acredito no trabalho de incompetentes, deve ser o Walter gordo, ou vão tentar resuscitar o Régis. Anotem aí!

  • Léo - Pr
    26/07/2022 02:32

    Ari que ponto chegamos, torcida sentir falta de Daniel Paulista, Talhes, e Ronaldo Alves, profeta o Ronaldo Alves tá com estiramento grau 2 mais deixa quieto é outro que não acrescenta nada, e o Daniel Paulista tbm é o responsável pela montagem desse elenco horroroso deixa quieto, é aceitar que dói menos o Guarani não vai se livrar do rebaixamento, e seu Ricardo Moisés tem que ser expulso do Guarani como fizeram com palmerom, contratar agora seria jogar mais dinheiro no lixo.

  • Marcos
    25/07/2022 22:55

    Desculpe!! Não sei se errei e coloquei o nome do Tony em mdu comentário ou o sistema errou. Só para finalizar: não sou advinhao não, apenas realista.

  • Profeta da Tribo 1
    25/07/2022 22:54

    OOO QUEREMOS JOGADOR! OOO QUEREMOS JOGADOR! Um novo trio de ataque para ser titular. Banco para o Bruno José, O INTOCÁVEL. Ronaldo Alves, o que aconteceu com ele? Nem no banco fica? RICARDO MOISÉS, agora é COM VOCÊ. A paciência da torcida está se esgotando. Em caso de rebaixamento, você será o ÚNICO RESPONSÁVEL. A responsabilidade é sua. Todo mundo já viu o time que foi montado, que é fraquíssimo. Está claro que o problema não é treinador.

  • Profeta da Tribo 2
    25/07/2022 22:53

    Não tem como não pensarmos no Daniel Paulista. Todo mundo pensava que o time era bom e o problema era o treinador. Agora, está claro para todos que o problema é o time. Daniel foi demitido na véspera de um dérbi. Já pensou se ele tivesse ficado? Talvez hoje estaríamos fora do Z4. Como todo treinador, Daniel tinha seus problemas, mas é impossível fazer milagre com esse time. Perdão, Daniel! E obrigado pela invencibilidade em dérbis!

  • Profeta da Tribo 3
    25/07/2022 22:52

    É difícil aceitar. Na última Série B, o Bugre jogou um belo futebol. Aplicamos várias goleadas. Fizemos gols de placa. Tivemos vitórias épicas. Dava orgulho de ver o Bugre em campo. A lógica para 2022 era simples: se mantiver o time e contratar uns 4 ou 5 para reforçar de verdade, é acesso na certa. Mas não! Perdemos os melhores atletas: Regis, Savio, Bidu, Andrigo, Bruno Silva e Tales. As reposições foram, todas, fraquíssimas.

  • Profeta da Tribo 4
    25/07/2022 22:51

    RICARDO MOISÉS, hora de agir!

  • João da Teixeira 1
    25/07/2022 22:50

    Agostinis, talvez melhorasse, tirar o impedimento entre a linha da grande área e o meio de campo, mas a zagueirada não iria sair como sai hoje. Te r ia q ue prolongar a linha d er grande área até as laterais. Qto ao resto, tirar o impedimento nas faltas, iriam amontoar todos em cima do goleiro na linha de gol, melhor não! O tiro de meta não tem impedimento, pois quem bate o tiro de meta, é o jogador adversário, tirando assim o impedimento. O goleiro Manga, jogando pelo seleção

  • João da Teixeira 2
    25/07/2022 22:50

    O goleiro Manga, jogando pelo seleção, bateu um tiro de meta na cabeça de um jogador da extinta CCCP, já fora da grande área e a bola foi dentro do gol, bola no centro, 2x2. Hoje seria gol, mesmo se o jogador tivesse dentro da grande área, a regra mudou aí, bola tocada no tiro de meta entre em jogo mesmo dentro da grande área. Não sei se fui acertivo nas palavras...

  • João da Teixeira 3
    25/07/2022 22:50

    ...não sei se fui acertivo nas palavras e qdo. o goleiro bate o tiro de meta para o campo adversário, tbém não há impedimento de seu jogador se tiver na "banheira", a regra não mudou... Parece e que vc conhece tudo, e perguntou para testar ou coisa parecida, né?

  • Léo - Pr
    25/07/2022 22:47

    Ari como não tenho muito mais o que falar do time do Guarani de dirigentes porque vamos ficar repetindo sempre as mesmas coisa, agora ouvi dizer que o Ricardo Moisés pediu paciência para torcida pelo menos mais cinco partidas agora quatro que eles vão trazer pelo menos 4 jogadores entre eles um de peso, será que Valter tá chegando. Ari quando faltar 14 rodadas pra terminar a série B o Guarani já estará rebaixado com certeza, aí nem Neymar e Messi consegui tirar o time do buraco.

  • Léo - Pr (2)
    25/07/2022 22:46

    Ari esse time do Guarani não tem condições de ganhar de ninguém esqueça ganhar do Sport do Grêmio porque e ilusão, não que seja adversários difícil longe disso o problema é que mesmo não sendo lanterna temos o pior time do campeonato, e pra variar nosso goleiro tava outra vez adiantado no lance do gol do Brusque, se ele tivesse em baixo da trave era bola fácil de defender.

  • Tony
    25/07/2022 20:07

    Concordo com vc Tony, isso eu já dito. Quase certeza que estaremos na C...sou realista e não tapado como alguns aqui qte NUNCA ganharam porra nenhuma e se acham.

« Anterior : [ 1 ] 2 3 : Próxima »
23
JUL
Força física da Ponte Preta abre perspectiva otimista para se salvar do risco maior

Apesar da natural derrota para o Grêmio por 2 a 1, restou a certeza, ao pontepretano, que o exemplar condicionamento físico da equipe dá perspectiva de superação neste segundo turno do Campeonato Brasileiro da Série B.

No segundo tempo, enquanto o Grêmio 'morreu' em campo fisicamente, a Ponte Preta sobrou neste aspecto, e isso a ajudou a fazer diferença com maior volume de jogo.

Problema que apenas intensidade nem sempre é a solução, principalmente diante de uma equipe com aceitável postura defensiva, como o Grêmio.

De uma situação adversa durante o primeiro tempo, quando chutou apenas uma bola em direção ao gol adversário, através de Felipe Amaral, para fácil defesa do goleiro Gabriel Grando, a Ponte conseguiu ter o domínio do jogo no segundo período da partida disputada na tarde deste sábado na Arena Grêmio, em Porto Alegre.

DIOGO SOUZA

Enquanto o Grêmio estava 'inteiro' em campo, usou a técnica de seus jogadores para decidir.

Primeiro através do centroavante Diogo Souza logo aos nove minutos, quando aproveitou vacilo de marcação do zagueiro Thiago Oliveira, e, de costa para a meta, arriscou giro e finalização certeira.

Foi o típico lance em que narrador nem pode gritar gol, pois precipitadamente o bandeira marcou impedimento, em seguida confirmado pelo árbitro Paulo César Zanocelos da Silva, mas providencialmente o VAR corrigiu o erro, pois era legal a posição do atacante gremista.

Incontinente, o Grêmio abaixou as linhas e fez opção para explorar contra-ataques, mas o seu segundo gol foi fruto de bola perdida pelo volante pontrepetano Léo Naldi, desarmado por Villasanti, que acionou Ferreira na velocidade. Quando da finalização do gremista, a bola tocou na trave aos 24 minutos, e sobrou para Campaz apenas empurrar pra rede.

TROCA NO 1º TEMPO

Aí bateu desespero no treinador pontepretano Hélio dos Anjos, que sacou Nicolas e Barcia, para entradas de Fessin e Da Silva, aos 33 minutos do primeiro tempo.

Foi quando a Ponte Preta passou a ter mais posse de bola de que o Grêmio, porém sem organização ofensiva, exceto quando o volante Wallisson procurava ser condutor.

Quis o destino que o atleta da Ponte de melhor rendimento - caso de Wallisson - diminuísse o placar ao acertar cabeçada em cobrança de escanteio, aos 12 minutos do segundo tempo.

Depois disso, a Ponte intensificou o volume ofensivo, deixando o Grêmio acuado em seu campo defensivo, mesmo apoiado por 43.687 torcedores, que foi o público pagante neste jogo.

SÓ DUAS CHANCES

Apesar do volume, em apenas duas ocasiões a Ponte Preta voltou a ameaçar a meta adversária.

Primeiro quando o zagueiro gremista Rodrigues - que havia substituído Geromel no intervalo - escorregou, perdeu a disputa para Fessin, mas providencialmente o volante Villasanti, do Grêmio, travou, cedendo escanteio.

Depois, já aos 41 minutos, quando Da Silva serviu Echaporã, que exigiu defesa do goleiro Gabriel Grando.

GRÊMIO 'PREGOU'

Na segunda metade do segundo tempo, atacantes do Grêmio sequer tinham 'gás' para jogadas de velocidade.

Por isso, demorou para o treinador Roger Machado sacar Ferreira, para entrada de Janderson, assim como foi uma desproporção deixar em campo até o final da partida Diego Souza, que andava literalmente.

Apesar da derrota e de ainda permanecer grudada à zona da degola, resta, à Ponte Preta, perspectiva animadora de escapar do perigo, pois poucas equipes se nivelam a ela em intensidade e doação dos atletas em campo.

  • Barba
    25/07/2022 13:28

    Esperemos que os "chinelinhos" saiam do Hospital Majestoso e joguem no sábado contra o Operário. E que alguém dê um puxão de orelha e um basta nesse pseudo tecnico que só reclama mas não faz seu papel. Caique, Norberto, Matheus Silva, Fabio Sanches e Arthur. Léo Naldi, Wallison e Elvis. Fessin, Lucca e Nicolas.

  • ANTONIO CARLOS
    24/07/2022 16:25

    Esse é o futebol do Barcia? Mais uma besteira dessa diretoria que não acerta uma! E escalar 3 zagueiros NUNCA deu certo na Ponte preta em 122 anos. E esse pseudo técnico teima e ninguém faz nada? E por que ele não escala os melhores? Diretoria omissa!

  • João da Teixeira
    24/07/2022 15:08

    Definitivamente ninguém sabe a qto andas o São Paulo. Saiu perdendo, empatou com o Calleri, o Lucca deles, virou o jogo e tomou o empate ainda no 1°tempo. Fez um gol logo no começo do 2°tempo, cozinhou o jogo a partir daí e qdo todos achavam que os 3 pontos estavam nas mãos, eis que Pedro Raul empata para o Goiás nos acréscimos. É ou não é para o SportBet, Green e outros encherem o rabo de dinheiro. Por sinal já estou desconfiando de alguns jogos desse Brasileirão! Biiiingo!

  • João da Teixeira
    24/07/2022 04:09

    Sem o Lucca, não somos ninguém, em matéria de por a bola para dentro. Tivemos o 2°tempo todo para pelo menos empatar e não conseguimos. O resultado não foi de todo ruim, como o Ari falou, já que perder só de 2x1 é plausível. O que me preocupa é ter gás o tempo todo, mas não saber cozinhar nem um ovo sequer com toda essa energia física, ou seja, preparo físico a dar com pau, mas não saber enfiar uma bola na rede. De que adianta isso! Então, se safar só com o físico, me poupe.

  • Luiz da farmácia
    24/07/2022 04:08

    Por enquanto as tão faladas contratações de peso ficaram no papel. Matheus Silva banco de DG e Thiagão? Richely só veio buscar dinheiro. Elvis não morreu... Ainda. Barcia treinou 2 meses e não joga nada! O que mais, Eberlim? Só falta o Gabriel, que pelo jeito também é fraquinho. Pobre torcida centenária.

  • Luiz da farmácia
    24/07/2022 04:08

    Perder para o Grêmio em Porto Alegre com estádio lotado é normal. Agora, a Ponte precisa ter coragem e representar essa torcida sofrida. Técnico covarde e sem brio. Retrógrado e que não sai da mesmice. Uma pena.

  • TIO LEI - I
    24/07/2022 04:07

    Muitos irão questionar de o porque o Elvis inda não entrou em campo. NA MINHA OPINIÃO, sabidamente o jogo contra o grêmio, é o tipico jogo em que a pontuação "é descartada", me darei o direito de me eximir dessa possível polêmica. SE assim pensou a diretoria e a C. Técnica, é porque pretendem dar um pouco mais de tempo para um natural entrosamento com os demais companheiros ...

  • TIO LEI - II
    24/07/2022 04:07

    ... talvez estejam querendo que o Elvis venha estrear em casa, junto nossa torcida, juntamente com o retorno do Lucca, pois esse está atravessando ótima fase nas conclusões das jogadas, quem sabe aproveitem para anunciar a contratação do Everton e aproveitariam para uma nova "promoção nos ingressos", o que fatalmente atrairia um numero considerável de torcedores. Volto a dizer, não que eu tenha compactuado com a não escalação do Elvis, mas é isso que estão dando a entender.

  • Antônio
    24/07/2022 01:25

    Será que esse técnico não assiste aos treinos da Ponte? Não é possível errar tantas vezes seguidas na escalação da equipe. Thiagão está perdido. Felipe Amaral está muito mal de preparação física. Fessin não pode ser banco desse elenco paupérrimo e Echaporã e da Silva são horríveis.

  • Barba
    24/07/2022 01:24

    Técnico da Ponte é um covardao em pele de cordeiro. Já tinha sido assim jogando em casa com o náutico com 3 zagueiros. Errou de novo. A torcida está cansada dessa letargia. Técnico de série C. Já deu.

  • TIO LEI - I
    24/07/2022 01:24

    Muitos irão questionar de o porque o Elvis inda não entrou em campo. NA MINHA OPINIÃO, sabidamente o jogo contra o grêmio, é o tipico jogo em que a pontuação "é descartada", me darei o direito de me eximir dessa possível polêmica. SE assim pensou a diretoria e a C. Técnica, é porque pretendem dar um pouco mais de tempo para um natural entrosamento com os demais companheiros ...

  • Luiz Otto Heimpel
    24/07/2022 00:17

    No primeiro tempo a ponte nao deu um chute no gol. No segundo melhorei ou o Gremio tirou o pe?

  • Marcos
    24/07/2022 00:17

    Exatamente isso! Aves mesmo!!! Falou tudo !! Principalmente aquelas de pescoço alto, que até chegam perto da cerca, más não encostam om medo do choque.

  • TIO LEI
    24/07/2022 00:17

    Derrota previsível, isso levando-se em consideração o momento de ambas as equipes alem do elenco à disposição de cada um. Uma primeira etapa daquelas que tem que ser apagada, algo simplesmente horroroso. Sensível melhora na segunda etapa, um time que voltou a mostrar a voluntariedade que vem sendo a tônica nas ultimas apresentações, o que devolveu um pouco do ânimo e esperanças à nós torcedores de que temos plenas possibilidades de fazermos um segundo turno melhor.

  • TIO LEI - I
    24/07/2022 00:16

    Claro que as alterações feitas ainda na primeira etapa, da dupla de atacantes, irá ser o motivo de muitos "debates" tanto na imprensa como nas rodinhas nos butecos. O Dos Anjos acertou? Errou? Opiniões irão divergir. Teria o Dos Anjos errado ao escalar o Barcia em um jogo que sabidamente o time iria ser sufocado principalmente enquanto o placar estivesse no zero? E substitui-lo ainda na primeira etapa, teria sido a melhor atitude para o momento? O certo mesmo ...

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo