24
AGO
Guarani vai saber explorar a instabilidade do zagueiro Filemon, do Operário?

Já foi citado aqui 'centas' vezes que projeções pré-jogos se transformaram em coisa fora de moda, principalmente pelo Campeonato Brasileiro da Série B, pautados pelo equilíbrio.

Aquilo que chamavam de fator campo e torcida praticamente inexiste, considerando-se que raramente vê-se por aí gramados em precárias condições.

Com portões dos estádios fechados - consequentemente sem torcidas - quem grita mais nos bancos de reservas não influencia a arbitragem.

Também não nos esqueçamos que até na Série B já tem o VAR, o que impede que esse ou aquele tenha vantagem estrondosa de arbitragem.

Portanto, não me atrevo a arriscar palpite para o jogo em que o Guarani recepciona o Operário paranaense, a partir das 19h, desta terça-feira.

5 A 2

Durante o primeiro turno o Guarani aplicou goleada sobre o Operário por 5 a 2, em Curitiba, ocasião em que o zagueiro Rodolfo Filemon se transformou em 'avenida' a ser explorada.

E não foi apenas aquela vez, o que recomenda estratégia para se tirar proveito disso.

Não se espantem, também, se o lateral-esquerdo Fabiano, do Operário, recuar perto dos cem por cento das vezes que pegar na bola.

Quem merece atenção nesse time é Djalma Silva, que de lateral-esquerdo avançado foi transformado em atacante de beirada que requer atenção.

MATHEUS ANJO

Ponte Preta traz o meia Matheus Anjos, que já mostrou qualidade nas passagens pelo futebol paranaense e Botafogo de Ribeirão Preto.

Vai vingar aqui?

Boa pergunta. Pelo menos chega num momento em que a equipe busca se estabilizar na competição.

Ainda não existem comentários.

22
AGO
Ponte Preta é premiada pela objetividade nos 3 a 0

Objetividade é preponderante no futebol moderno. A Ponte Preta aproveitou falha defensiva do Brusque, contou mais uma vez com a individualidade de seu atacante Moisés, erro da arbitragem ao marcar pênalti em lance faltoso fora da área e defesas precisas de seu goleiro Ivan. Isso explica porque alcançou goleada por 3 a 0 na noite deste domingo, em Campinas, subiu para 22 pontos e ocupa a 15ª colocação.

Se o atacante Rodrigão é cabeceador, deixá-lo subir livre, como ocorreu em cobrança de escanteio aos 26 minutos, teria que ser fatal, como foi: 1 a 0.

Antes disso, em vacilo da bola área defensiva do Brusque, o zagueiro Claylton, da Ponte, acertou cabeceio com bola no poste direito do goleiro Zé Carlos.

Aí o Brusque quis sair pro jogo e ofereceu o contra-ataque à Ponte Preta, que tem adotado um aceitável cinturão de marcação defensivo, que impede criatividade de seu adversário.

Assim, a velocidade de Moisés foi determinante para que fizesse jogada de fundo pelo lado esquerdo, aos 37 minutos, em lance que só não resultou em gol dele, na finalização, porque o lateral-esquerdo Airton salvou quase em cima da risca fatal. Todavia, o meia pontepretano Fessin, atento ao rebote, concluiu a jogada com sucesso: 2 a 0.

BRUSQUE PRESSIONOU

Claro que para o segundo tempo já se esperava mais intesidade ofensiva do Brusque, mas isso não justifica a Ponte ter ficado muito encolhida e perdendo a maioria dos rebotes.

Foi por isso que o goleiro Ivan praticou defesa com grau de dificuldade em chute de volante Rodolfo, apesar da média distância.

Em seguida, voltou a salvar o seu time em finalização de Diego Mathias, no desdobramento de cabeçada de Garcez, com bola na trave. E, por fim, defendeu com o pé chute do atacante Thiago Alagoano à queima-roupa, aos 38 minutos, pouco antes do contra-ataque pontepretano puxado pelo atacante Iago, que sofreu falta do zagueiro Éverton Alemão pouco antes da entrada da área, mas o árbitro baiano Diego Pombo Lopes marcou pênalti, convertido por Moisés.

Mesmo sem o meia Alex Ruan e o atacante Edu, suspensos e destaques do time, o Brusque teve maior volume de jogo durante o segundo tempo, sem que isso fosse revertido em gols.

À Ponte Preta, reconhecimento pelo espírito guerreiro dos jogadores e a certeza que distanciando-se da zona da degola terá mais tranquilidade para continuar desenvolvendo o trabalho de recuperação durante o segundo turno.

BEBETO DE OLIVEIRA

Morreu em Campinas o ex-preparador físico Bebeto de Oliveira, aos 79 anos de idade. Ele foi atleta de Guarani, Ponte Preta e Ferroviária, e teve trajetória de sucesso como fisicultor em grandes clubes e até na Seleção Brasileira.

Logo, o histórico dele no futebol é destacado no espaço da coluna Cadê Você.

  • ANTONIO CARLOS
    23/08/2021 14:41

    Aos poucos o Lucas Candido entra em forma e será útil. Ao contrário de João Veras. Vejam também cobo o juventude caiu com a entrada do Dawan marcha ré. Além disso, sem Dawan a Ponte venceu 4 seguidas no Majestoso.

  • João da Teixeira
    23/08/2021 14:40

    Ari, a Ponte só foi guerreira, somente isso. Qualidade e estratégia tática, nada de novo. Também, com a grana rolando, quem não corre. Mercenários de uma figa. Tira o GeKa e chama o Sylvester Stalone no lugar. Vai montar o Comando para Jogar, quem sabe com os Mercenários, a a Ponte volte a jogar. Quem sabe tiram a Ponte do buraco que a enfiaram. E tem gente já agradecendo o Capo. Tiãozinho, não tem vergonha, não?

  • Carlos Agostinis
    23/08/2021 14:39

    O sr. Zanelli....você pra mim não passa daquele cachorro que late pra mim onça, se olhar direitinho vai ver que ele tá latindo morrendo de medo com o rabo no meio das pernas...fica em paz amigão, vsmos falar de futebol..

  • João da Teixeira 1
    23/08/2021 14:39

    O Ministro Alexandre de Moraes nunca foi delegado, foi Secretário de Justiça, dos Transportes e da Segurança Pública, indicado pelo Governadores Alckimin, Kassab e novamente Alckimin, respectivamente. Ficou famoso por defender a facção criminosa do PCC, ou seja, soltar e não prender criminoso, portanto, se vc é amigo dele, vc é da pesada mesmo. Qto ao Barroso, ficou famoso pelo embate com o então presidente STF Joaquim Barbosa,

  • João da Teixeira 2
    23/08/2021 14:32

    ...Qto ao Barroso, ficou famoso pelo embate em uma seção do STF, com o então presidente Joaquim Barbosa, que o questionou sobre um famigerado cálculo para atenuar o golpe dado então, pela quadrilha de integrantes do PT no caso Mensalão. Esse ministro atenuou a pena dos réus confessos. Se vc é amigo deste também, realmente vc não é flor que se cheire. Teria vergonha de dizer que sou amigo...

  • Junior
    23/08/2021 05:24

    O companheiro Carnielli mais uma vez prova ser fundamental para o presente e o futuro da Ponte Preta. Muitíssimo obrigado pela sua generosidade e dedicação.

  • TIO LEI - I
    23/08/2021 05:23

    Cheguei em casa prestes a iniciar a segunda etapa. O placar acusava 2X0. Aquilo me animou bastante, logo pensei: "O time deve ter mudado a postura, o GeKa finalmente colocou o time para fazer a tal "marcação alta", pressão. Começa o segundo tempo, MEEEEUUUU DEEEEUUUSSSS . O time parece que estava "com tiriça", alguém se lembra desse termo? Vi uma nova versão "piorada" do que vinha apresentando no primeiro turno. A marcação agora já não era mais na altura da meia cancha ...

  • TIO LEI - II
    23/08/2021 05:23

    ... era da NOSSA INTERMEDIÁRIA para trás. Bem à entrada de nossa área, e o impressionante era que aquele amontoado, era um amontoado mesmo, sem a mínima coordenação tática e muito menos técnica. Os adversários trocavam passes com uma facilidade tremenda em meio ao corre corre de nossos jogadores. Cruzamentos em nossa área, SEMPRE encontrava um adversário em condições de cabecear ou arrematar contra nossa meta. Bola na trave, Ivan se esforçando para não ser "vazado" ...

  • TIO LEI - III
    23/08/2021 05:23

    ... NAAAADA MUDOOOUUOU. Para nossa sorte, achamos um pênalti, a principio duvidoso, e até agora o é, porem segundo o analista da TV, o arbitro mesmo que "sem querer", acertou na marcação. Agora eu pergunto. O que fizeram para abrir os 2X0 da primeira etapa? Apresentaram algo de diferente, ou foi MAIS DO MESMO?

  • João da Teixeira
    23/08/2021 02:59

    Nada como um veículo "fuel injection". Injetou grana, a qualidade pode não vir, mas a disposição, o espírito guerreiro, a vontade de que, enquanto houver bambú haverá flechas, é implacável. Se não for isso, só pode ser a diferença de salários de jogadores, sem correspondência técnica para tanto, no caso, o jogador Camilo. Voaram no pescoço do Marreco Mandarim, como se fosse o último prato que iriam comer antes de uma batalha. E agora, qual teoria? Ou tem uma 3°? Será?

  • João da Teixeira 2
    23/08/2021 02:59

    Agora no 2° tempo, a Ponte voltou meia boca, com o futebol de sempre, nulo. Se não fosse o Ivan, podiam ter virado o jogo. Fizeram marcação alta e como sabemos, time sem qualidade e agora sem a raça do 1°tempo, quase dançamos. Tião, os pitbulls da Ponte são movido a dinheiro, são petistas, viu como é o seu partido, igual o time da Ponte, se tiver dindin, fazemos qquer. negócio. Tião, os caras aprenderam a ser petistas, tem dindin, então é com a gente...

« Anterior : 1 [ 2 ] : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo