28
NOV
Que o Grêmio saiba das armas do Lanús dentro e fora de campo para a batalha final

Oxalá os cartolas do Grêmio portoalegrense tenham se preparado em todas as frentes para o confronto decisivo da Libertadores contra o Lanús, naquele município argentino, na noite desta quarta-feira.

Quando a Ponte Preta decidiu a Sul-Americana em Lanús, em dezembro de 2013, lá cheguei na antevéspera e a percepção foi clara de uma operação ‘passar por cima’, se necessário.

Abelhudo, como se recomenda a repórter em busca de informação, encontrei portões abertos do Estádio La Fortaleza e fui invadindo as dependências.

Quando deparei com o início da decoração do salão social para a festa do título, documentei o fato com imagem no portal Futebol Interior e dirigentes da Ponte Preta da época sequer usaram aquela prepotência com a finalidade de que causasse efeito psicológico em seu elenco.

Houve, sim, o contraste. Torcedores pontepretanos circularam livremente no hotel em que a boleirada estava concentrada.

Eis aí um duelo de bastidores que os cartolas gremistas devem saber jogar. Precisam sentir o ‘cheiro da brilhantina’, para que não sejam surpreendidos.

Claro que o Lanús não ornamentaria salão de festa se não tivesse preparado operação ‘passar por cima’ em diferentes frentes.

A rigor, quando a bola rolou, a arbitragem estava caseiríssima enquanto precisou. Depois que o Lanús abriu o placar, registra-se neutralidade do apitador.

CALÇADÃO

Que o Grêmio saiba que, a exemplo daquele jogo da Ponte Preta, o calçadão comercial do município de Lanús - uma espécie de calçadão da Rua 13 de Maio de Campinas - estará tingido de grená.

Naquele ‘mar de gente’ a quantidade de mulheres é bem superior àquelas que frequentam jogos no Brasil. Casais de idosos se misturam aos ‘Barras Bravas’, segmento de torcedores sem a mesma organização das uniformizadas, sem associados ou estrutura hierárquica. O lema é canto contínuo de apoio ao time de futebol, com aumento de intensidade quando o time está perdendo.

Antes de se dirigirem ao estádio, eles se concentram numa praça nas proximidades, maior até que a do Largo São Benedito, defronte à Casa de Saúde de Campinas, ocasião em que cerveja na base do litrão rola de boca em boca.

O Estádio La Fortaleza treme com pulo, ritual de cânticos, ‘chuva’ de papéis picados, foguetório e bandeiraço. E aquela energia é repassada à boleirada que voa em campo.

LEÃO AGREDIDO

Não nos esqueçamos que o Lanús tem antecedentes de violência e mortes, um deles foi baleado no abdômen e morreu a caminho do hospital.

Nos tempos de treinador do Galo mineiro, Emerson Leão se envolveu em confusão no campo do Lanús, na final da Copa Conmebol, após goleada de sua equipe por 4 a 1, e foi agredido por um funcionário do clube com uma barra de ferro.

O reflexo foi fratura de malar e maxilar, e por isso ele teve que recorrer a cirurgia para reconstituição parcial do rosto.

Além de Leão, o atleta Dedê levou pancada na nuca e desmaiou, enquanto o volante Doriva e Roberto foram vítimas de socos e pontapés.

Portanto, que o Grêmio saiba daquilo que possa enfrentar, a menos que as coisas tenham mudado nos últimos quatro anos.

Ainda não existem comentários.

28
NOV
Por que Gustavo Bueno não foi demitido na Ponte Preta após incontáveis erros?

Décadas passadas, em conversa com um gerente de uma das empresas jornalísticas que trabalhei, ele resumiu com propriedade a sua principal atribuição.

- A matriz deixou bem claro que para a empresa há dois tipos de gerente: aquele que dá lucro e o ex-gerente. E eu não quero ser o ex-gerente.

Transportando isso para o futebol, cuja eficiência é medida por resultados práticos no campo, deveria haver o gerente de futebol com funcionalidade e o ex-gerente, mas na prática não é assim que a ‘banda toca’.

Partindo-se do pressuposto que dirigentes não são obrigados a ter amplo conhecimento sobre futebol, contratam um funcionário supostamente com a devida aptidão, para que o departamento funcione.

Exatamente isso que faz a Ponte Preta. O presidente Vanderlei Pereira tem pleno domínio de contabilidade e o presidente de honra, Sérgio Carnielli, não fica vendo bola rolando de norte a sul do país, para saber quem é quem visando contratação.

FUNCIONÁRIO REMUNERADO

Logo, entende-se ser atribuição do gerente de futebol Gustavo Bueno - funcionário devidamente remunerado - distinguir quem deve ser contratado para justificar o rótulo de reforço ao elenco da Ponte Preta.

Pois bem, vejam que no primeiro semestre desta temporada a Ponte Preta contou com cinco laterais-esquerdos.

Breno Lopes já estava aí. Depois veio Artur. Alertei antes de contratarem João Lucas sobre as claras deficiências dele na marcação, mas fizeram questão de contratá-lo. Fernandinho também chegou, e por fim Danilo Barcelos, também deficiente na marcação e acomodado entre meio-campistas.

Num projeto de cinco laterais-esquerdos, eis que a Ponte improvisou um lateral-direito torto à função, caso de Jefferson.

PAULISTÃO

Caiu no esquecimento da maioria que durante o Paulistão passado passaram pela Ponte Preta jogadores prescindíveis como o volante Fábio Braga e os atacantes Erick Salles, Lins e Ramon.

E o clube ainda ficou pagando salário para o zagueiro Fábio Ferreira, desligado do elenco.

Como surpreendentemente o time titular se ajustou e chegou à decisão de campeonato, erros de contratações foram relegados.

BRASILEIRÃO

A quantidade de erros no planejamento do Campeonato Brasileiro foi assustadora.

Desfizeram do fraco zagueiro Kadu, mas contrariaram a maioria e trouxeram Rodrigo.

Fizeram contratos longos com jogadores questionáveis como o meia Léo Artur e atacante Claudinho, e agora a torcida tem que engoli-los.

O meia Xuxa é jogador sobejamente conhecido para avaliação e erraram ao trazê-lo, assim como não dimensionaram o atual estágio do meia Renato Cajá, que não conseguia jogar no Bahia. Sequer investigaram porque o atleta não era titular por lá.

Sabe-se lá qual empresário ‘vendeu’ a ideia de que o volante Mendoza e atacante Luis Ali se encaixariam bem na Ponte Preta, e acreditaram.

Incharam o elenco com os atacantes Negueba e Maranhão, e tiveram que repassar o primeiro e constatar que o segundo nada de prático acrescentou à equipe.

NADA DE DEMISSÃO

Será que isso não seria motivo mais de que suficiente para já terem demitido o gerente de futebol Gustavo Bueno?

Se ‘cabeças’ de treinadores e boleiros que não correspondem rolam, por que o gerente de futebol é intocável, considerando-se os incontáveis erros de avaliação?

Ele até tentou justificar que não toma decisão isoladamente, que um colegiado decide os assuntos.

Ora, se o colegiado não é do futebol e sabiamente outras indicações seriam contraproducentes ao elenco, caberia ao gerente de futebol pegar o boné e se mandar. Por que não fez isso?

  • Profeta da Tribo para Tio Lei
    28/11/2017 19:20

    Oi Tio Lei! Desculpe-me, mas não vou responder a todos os seus comentários. Não quero iniciar uma briga virtual, rsrs. Se não nos dermos conta, podemos entrar em uma espiral interminável de discussão e não considero isso saudável. Sobre eu ler seus comentários, é claro que eu os leio! Faço questão de ler os seus, os do ZANELLI e de outros, que parecem ser pessoas legais. Eu realmente gosto de seus comentários.

  • Profeta da Tribo
    28/11/2017 19:19

    Vou falar, agora, não como bugrino, mas como torcedor de futebol de modo geral. Pessoal, classificar a AAPP como time grande é algo completamente ilusório. Ninguém a considera assim. A AAPP é, no máximo, um time médio. Está um patamar abaixo de times como Bahia, Vitória, Atlético-PR, Coritiba, e outros, que vivem sendo campeões estaduais, já fizeram grandes campanhas a nível nacional, participaram de libertadores, etc. A AAPP se acha grande sem ser, por isso que não cresce.

  • MARCOS FRANCA
    28/11/2017 19:18

    PLENAMENTE DE ACORDO ARI. O QUE ACONTECEU COM A PONTE E O QUE AIND ESTA POR VIR E CONSEQUENCIA DO AMADORISMO DESTA DIRETORIA E OUTROS PROBLEMAS QUE TODOS SABEM MAS NINGUEM NO CONSELHO TOMA PROVIDENCIA! UM FIM MELANCOLICO PARA UM CLUBE DE TANTA TRADICAO!

  • Marcio
    28/11/2017 19:18

    Ari sei que é o espaço da AAPP, mas começou outra palhaçada no Guarani ???? Lisca ia ficar agora não estão querendo mais, será possível que esse Palmeron não aprende ? Criou-se uma indefinição, muita falação, agora vieram com uma situação de vestiário, onde ele, o Lisca teria dado uma bronca muito ríspida no jogo contra o Ceará. Será que ele fez isso mesmo ? Se ele fez, foi CERTÍSSIMO pq se dependesse dos chutadores de bola, o Guarani teria voltado para a série C.

  • Marcio
    28/11/2017 19:17

    cont. Pelo jeito vai ficar tudo para a última hora ou seja planejamento ZERO. Ouvi falar que pessoas INFLUENTES não concordam com a permanência dele. Que pessoas influentes são essas ? Falaram também de um "PROVÁVEL INTERESSE" do Criciúma. Será não é notícia plantada ? Não sou louco de achar o Lisca o melhor técnico do mundo, mas começam com essas indefinições e lambanças que acabam atrapalhando qualquer planejamento. Tá vendo Jhon o pq do meu DES(ÂNIMO) ?

  • Barba
    28/11/2017 19:17

    Após esta queda "mal contada" da Ponte Preta para a série B, o Presidente Boneco Vanderlei Pereira e seu Bando de IRRESPONSÁVEIS nunca mais deveriam passar no bairro Proença. Se fosse no nosso tempo de moleque, iam pegar eles na rua. Mas hoje somos civilizados - e cutucamos tanto a torcida que ela invade campo.

  • RMaia (1)
    28/11/2017 19:15

    Se ontem critiquei a oposição por não conseguir no mínimo formar uma chapa para concorrer, hoje tenho de aplaudir, pois jogando com o estatuto nas mãos, enxergaram o óbvio, que a chapa do reizinho também está irregular e deve ser impugnada. A falta de Conselheiros Natos suplentes surgiu porque esse suplente pode se tornar titular e aí não mais pode ser expurgado, na oposição ele é uma pedra no sapato e o reizinho ao longo dos anos manipulou seus asseclas Cont...

  • RMaia (2)
    28/11/2017 19:15

    Cont... pra que ninguém da oposição assumir como Conselheiro Nato. Na chapa do reizinho deveria haver 75 suplentes a natos, mas só há 17. Tem gente sem noção que está aterrorizando os eleitores dizendo que se a oposição ganhar, a Ponte se tornará insolvente porque a dívida com reizinho é grande. Lembro que no Santos com Marcelo Teixeira aconteceu a mesma coisa, a oposição quando ganhou disse, o que está documentado a gente vai pagar, o que não tiver, ele que procure a Justiça.

  • marcelo
    28/11/2017 19:14

    ari.. gustavo bueno, vem fazendo um trabalho a 4 ou 5 anos, onde eu(bugrino), considero de muita qualidade. com poucos recursos, o time da linha do trem, vem tendo destaque nacional como nunca tivera, pois, se voces vierem com aquele papinho de capital do futebol, quem foi o campeao foi o guarani, esse ano, a ponte disputou o titulo paulista, dois anos atras, titulo da serie B, 3 anos atras, titulo sulamericana....pois bem pessoal, cair faz parte .... agora, nao olhar os feitos e cornetagem

  • marcelo
    28/11/2017 19:13

    cont.. sobre o rodrigo, por muito pouco, o adversario, nao o agrediu, isso inverteria a expulsao, e todos, diriam que o rodrigo, fora decisivo, para a permanencia.com 2 a 0 no placar. a ponte nunca teve um patrocinio de expressao, como tem hoje...as camisas eram champ, pulse, etc....venda de jogadores que renderam....clayson, potker, pablo, entre outros. ruim mesmo, e o treinador de voces, retranqueiro, e arrogante. mas, a serie B, vai dar um sossega leao nos cornetas

« Anterior : 1 [ 2 ] : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo