14
MAR
Quadro social do Guarani encolhe quase 90% em 36 anos

Há pouco menos de 36 anos, em mais um dos processos eleitorais do Guarani, sete mil eleitores entre sócios e conselheiros estavam aptos para votar nas chapas ‘verde e branco’ da situação e ‘Brinco de Ouro’ da oposição.

Uma reclamaçãozinha aqui e outra catimbada acolá deram vida à campanha oposicionista, mas na prática tudo não passou de intensa campanha de propaganda em paredes e placas espalhadas no interior do estádio.

No dia ‘D’, o salão social do Brinco de Ouro viveu dia de gala, embora a presença do associado tenha sido bem aquém do esperado.

TAVAREZ MASSACRA

Quando as urnas começaram a ser abertas, já era clara a supremacia da chapa da situação liderada do então presidente Antonio Tavares Júnior, já falecido, cuja chapa escolhida para o Conselho Deliberativo confirmou o favoritismo com vitória por 736 x 198.

Estatutariamente, Tavares teria a reeleição homologada dias depois para o biênio 1982-83, enquanto no dia da eleição dos novos conselheiros o saudoso líder da oposição, Jaime Silva, que seria o candidato à presidência, sequer compareceu, já prevendo a derrota.

Outro membro da oposição, Manoel Marques Paiva, ficou no local até o início da apuração. Depois, sentindo a derrota esmagadora, também foi embora.

Ora, se o assunto agora é a suspensão da eleição para renovar o Conselho Deliberativo nesta quarta-feira, por que recuar no tempo 36 anos?

Por duas razões fundamentais: a população de Campinas cresceu durante o período e o quadro social do Guarani encolheu cerca de 90%.

Nas campanhas de outrora ouvia-se promessas de quem tinha folha de serviço prestado e de obras no clube.

MARKETING

A cabeceira norte e quase todo parque aquático do Guarani foi construído na gestão de Jaime Silva, enquanto presidente nos anos 50 e 60.

Sauna, piscina olímpica e quatro quintos do tobogã foram construídos por Tavares Júnior, que na época cumpriu o prometido de criar o Departamento de Marketing.

“Vamos começar a vender a imagem do Guarani de todas as formas, com a implantação de uma loja para vender artigos esportivos, explorar bem a patente Guarani, bugre e bugrão", alardeou o dirigente na época.

Até a véspera da atual eleição de novos conselheiros do Guarani, nem situação, nem oposição mostraram onde está a varinha mágica capaz de mudar o curso da história do Guarani.

Agora, com o processo eleitoral suspenso por liminar concedida pelo juiz Maurício Simões Botelho, o bugrinos não quer acompanhar apenas batalha em tribunais. Espera que os pretendentes a ocupar as principais cadeiras do clube revelem e fundamentem aquilo que pretendem fazer para reversão total do quadro desalentador no clube nos últimos anos.

  • Eric AAPP (última pro marcelo)
    18/03/2017 00:12

    Você é um comediante mesmo. Primeiro diz que em 94 seu time seria campeão se fossem pontos corridos, aí quando eu digo que se fosse assim a Ponte teria sido Penta-campeã em 77, 78, 79, 80 e 81 (ufa, tive que desenhar) você debocha. Pra mim chega, tomei um drible de bobeira.

  • marcelo
    17/03/2017 16:22

    para ERIC AAPP: SE fosse pontos corridos , voces seriam campeoes em 77 e 81? se vaca voasse , eu iria dormir, com a caneca na janela. rsrsrs

  • Eric AAPP (para Marcelo)
    17/03/2017 16:20

    Fiquei mais feliz que vocês, com certeza kkkk Não importa se é no par ou ímpar, na bolinha de gude, no pôquer, ou na final de turno do Paulistão de 81: ganhar de bugrinos é sempre muito divertido! Espero que não fechem tão cedo.

  • TIO LEI
    16/03/2017 19:13

    Que diferença, não? Enquanto o Ari lança uma matéria comentando o "encolhimento" bugrino, o Correio Popular estampa o CRESCIMENTO DA TORCIDA PONTE PRETANA. Segundo o IBOPE/REPUCOM, Nos últimos 90 (NOVENTA) DIAS obtivemos um aumento de aproximadamente 56 MIL NOVOS TORCEDORES INSCRITOS o que nos posiciona no RANKING DIGITAL DE CLUBES BRASILEIROS, totalizando 423.833 torcedores/seguidores da NOSSA GLORIOSA PONTE PRETA. Morram de inveja, seus falidos. Venham dizer que é mentira.

  • Paulo Sergio
    16/03/2017 17:33

    Depois de ler a célebre frase "Não foi a Ponte que cresceu, foi o gfc que ficou menor" pensei, pensei e cheguei à seguinte conclusão: Melhor ler isso do que ser cego!! Já imaginaram se a Ponte tivesse crescido, então??

  • Marcelo para Erick
    16/03/2017 17:32

    Poxa Erickão, disse tudo, "ASPIRANTES" kkk., ficou feliz com o título??

  • Marcio
    16/03/2017 13:21

    Seu Fernando sua opinião é água de salsicha, como o teu time, não tem a menor a importância. Você pelo visto tá preocupadíssimo para quem falido hein ? Sempre dando pitaco no espaço do Guarani. Se não tivesse falido você estaria arrancado os cabelos. Como se diz em casos patológicos psiquiátricos, melhor não contrariar, pode continuar dando seus pitacos, que agradecemos a preferência.

  • Eric AAPP (para marcelo)
    16/03/2017 13:19

    Então, como vocês gostam de dizer, conclue-se que na década de 90 vocês também não ganharam nada! Nem chegaram a uma final... Ops, teve uma final sim, em 1991, vocês perderam o título do Campeonato Paulista de Aspirantes (para a Ponte Preta kkkk). Na boa, Marcelo, metade desses jogadores que você citou ninguém conhece, só vocês mesmo. E outra: se pontos corridos fosse determinar o campeão, a Ponte Preta seria Penta-campeã Paulista de 1977 a 1981.

  • Zanelli
    16/03/2017 13:19

    Fernando , amplie melhor a sua análise , praticamente todos os times estão falidos e aderir ao PROFUT , não quer dizer que a divida acabou , tem que pagar . Em relação a PONTE o Carnieii foi uma benção ao clube , caso contrário teria acabado . Vocês hoje tem uma divida que se vender o Estádio não paga . E você vem falar que é um clube resolcido financeiramente .....

  • Fernando para órfãos bugrinos
    16/03/2017 00:48

    Li em outro site a resposta do presidente da Ponte à um certo presidente de um clube que há anos só joga a várzea. Acho que explica muito bem a diferença entre um time da Elite e um time de várzea. Algum bugrino aí se lembra do último confronto com alguma equipe da Elite? Faz quanto tempo? 5 anos? É fácil entender, pra encontrar o time Falido e sem patrimônio é só olhar pra baixo, junto com outros times de seu nível, como Barbarense, Penapolense ou Barretos.

  • Marcelo
    15/03/2017 21:43

    Marcelo p Erick Nos anos 90 a Ponte foi um pouco menor??? o última década do grande Guarani teve Djalminha, Luizão, Fabio Augusto, Tiba, Edu Lima, Amoroso, Edillson, Jorge Luiz, Nélio, Fernandão...Em 94 tivemos a melhor campanha e estranhamente fomos semifinalistas( e não finalistas) contra um imbatível Palmeiras que vcs nem sonharam em enfrentar. Se fosse pontos corridos seríamos campeões naquele ano. Em 96 idem, ficamos em segundo lugar geral e perdemos pro Goias no mata mata.(cont.)

  • marcelo
    15/03/2017 21:43

    (cont) Marcelo para Erick Nesta década goleavamos Corinthians de Marcelinho Carioca, Santos de Giovanni, Palmeiras de Evair, foi a última década em que um time de Campinas esteve no topo, entre os maiores do Brasil...na boa Erick, o que vcs fizeram naquela década em que Claudinho era a grande referência vossa no meio campo?? E respeito sim a história da macaca, meu bisavo pontepretano (turco Tufic) ficou famoso por sequestrar um juiz depois de um derby.

  • marcelo
    15/03/2017 21:42

    Marcelo p Erick (finaleira) cont... E não foi a Ponte que ficou maior, foi o Guarani que ficou menor, entende a diferença?

  • Eric AAPP
    15/03/2017 19:59

    Acho engraçado ver bugrinos tentando depreciar coisas boas da história da Ponte (o Bi-campeonato mundial de Basquete com Paula/Hortênsia/Karina, a garra de Monga, a data de fundação mais antiga dos times atuais, o fato de ter um patrono como Carnieli, a ligação com a história das ferrovias na região, e até com o nome Associação). Só conseguem nos encher ainda mais de orgulho.

  • Eric AAPP (para marcelo)
    15/03/2017 19:59

    Só nas décadas de 70 e 80, quando os dois times eram potências, havia tal comparação. Nos anos 90 a Ponte foi um pouco menor, mas no seculo XXI é até ridículo querer comparar. A Ponte já é muito maior que o seu gfc há quase 20 anos!

« Anterior : [ 1 ] 2 3 : Próxima »
13
MAR
Faltou percepção à Ponte Preta de Brigatti para desacelerar o ritmo e preservar o fôlego

Circula nas redes sociais enquete para que o torcedor pontepretano se manifeste se o treinador interino João Brigatti deve continuar no comando do elenco.

Brigatti falou a linguagem do torcedor do concreto do Estádio Moisés Lucarelli, e encontrou ressonância. Injetou boa dose de combustível no elenco e, no bom sentido, incendiou a comunidade pontepretana.

A praticidade de o ‘vai ou racha, ou arrebenta a caixa’ - como dizia o saudoso radialista Nadir Roberto - teve receptividade geral, mas não se precipitem.

O próprio Brigatti admite que ainda não está devidamente preparado para o tremendo desafio de assumir o comando técnico de um elenco do porte da Ponte Preta.

Ele é bem articulado, busca graduação dos estudiosos do meio, transmite sinceridade aos comandados, mas o conjunto de valores exigidos na formação de um treinador passa por aprendizado em clube de menor expressão. Ali, sem a natural tempestade provocada em clubes de médio e grande porte, administra-se com mais tranquilidade os percalços.

Brigatti teve muito a ver com a mudança de conduta do time da Ponte Preta, principalmente no jogo contra o Corinthians, quando a torcida, em reconhecimento, aplaudiu os jogadores antes de deixarem o estádio.

DESACELERAR

Ainda tem um se não no comportamento de Brigatti: não calculou adequadamente o fogaréu que ajudou a provocar em seu time no jogo contra o Corinthians.

Imagens da televisão o flagraram jogando junto às margens do gramado, cobrando pegada forte e empurrando a equipe ao ataque. Ótimo.

Só que faltou ao time da Ponte, no transcorrer natural da partida, a percepção do exato momento em que é preciso desacelerar.

Foi ótimo a Ponte impor o seu ritmo de asfixiar o time do Corinthians. Todavia, boleiro algum consegue colocar em prática aquela intensidade o tempo todo.

Quando o placar lhe era favorável ainda no primeiro tempo, faltou à Ponte Preta rodar a bola sem pressa para respirar. Ditar ritmo de preservação física dos atletas, sem que isso resultasse, naturalmente, em risco de surpresas desagradáveis.

O jogar junto de Brigatti com tanta intensidade não permitiu que racionalmente reduzisse a alta marcha de seu time, para preservar forças no segundo tempo.

Apesar dos claros desajustes do Corinthians durante o primeiro tempo, é sabido que, pela experiência de seus jogadores, seria capaz de encontrar o caminho do gol em apenas um atalho, como de fato encontrou.

E encontrou quando as forças do time pontepretano estavam minadas, já sem poder de reação à busca do desempate.

APRENDIZADO

Nem por isso Brigatti deve ser recriminado. Embora tenha vivido situações semelhantes enquanto atleta, como ‘treineiro’ certamente isso vai lhe servir de aprendizado para sempre buscar o equilíbrio e adquirir a maturidade exigida.

Jamais a Ponte Preta deve se distanciar da proposta de entrega colocada por Brigatti, porém sem desafiar a capacidade humana.

Resta, portanto, a busca do equilíbrio, que pode ser encontrada quer por Brigatti - caso continue no cargo -, quer pelo treinador que chegar.

  • marcelo
    17/03/2017 16:22

    rsrsrsrsrs....chacoalharam o bambuzal.... joao da teixeira e tio lei(go), voces, sao rapazes de sorte, torcem pra muitos times(MISTOS), torcidinha mista....tem jogo no fim de semana de voces aqui em campinas, ta? pegue suas gerrafas pet, pra melhorar o publico, porque dessa vez nao e o corinthians, que vira dar uma força na bilheteria... abraço

  • João da Teixeira
    15/03/2017 21:46

    Marcelo, a sorte de vcs bugrinos é que vez por outra seu time dá o ar da graça na TV. Com isso acabamos por ver alguns lances e os melhores momentos no intervalo. Assistir na íntegra não dá, mas assim até damos uns pirados, afinal a indo gosto de ver jogos, mas só de bom futebol e infelizmente os times de CPS estão nos devendo. O futebol do seu Gfc não estadevendo, ė impagável.

  • TIO LEI
    15/03/2017 21:44

    A diretoria PONTE PRETANA, está plagiando o governo federal. Rapidinho tentam mudar o foco dos assuntos mais importantes. Como estão, se é que ainda existe, as negociações para a contratação do TÉCNICO? As MENTIRAS ainda continuam pairando no ar. Fizeram ou não contato com o Vadão? será que estão esperando para que o KLEINA seja demitido? Onde estão as verdades, Srs. diretores? Vocês estão "usando" o Brigatti apenas para ganhar tempo? CHEEEGAAAA, BAAASSTAAA de MENTIRAS.

  • TIO LEI
    15/03/2017 19:58

    ???????????...BEBEU?.......Pedir desculpas por que se você já tinha aparecido por aqui para defender o seu corintians? Pedir desculpas por você com medo de admitir ser MISTO, contra ataca fazenda a mesma acusação? Pedir desculpas por querer inventar história? Mostre ONDE ESTA ESCRITO que comentei jogo de seu segundo time? Rapaz, que cachaça brava é essa? Será escola do eduardo? Começou a criar suas próprias verdades? A falência de seu time esta afetando seus miolos. Cuidado.

  • marcelo
    15/03/2017 15:37

    calma, gente!!!!!!! desculpa, eu me intrometer, no espaço do time da limha do trem.....vejo, que o classico contra os juniores do corinthians, teve menos impacto que GUARANIx votuporanga.....afinal os dois maiores representantes da torcida mista(TIO LEI(GO) E JOAO DA TEIXEIRA), so comentaram, o jogo do bugre... parabens pra giletada...rsrsrs

  • MARCIAO
    14/03/2017 18:44

    Que coisa,, parece que tem torcedor do timinho falido acompanhando jogos da serie A. Ta´certo ... por que.. Votuporanguense x Timeco quebrado deve ser duro de engolir !!! CIRCO DOS HORRORES !!! Nem TV tem um jogo de VARZEA desse ... Continuem assistindo jogos de verdade !!! Quem sabe um dia vocês chegam lá !!!

  • TIO LEI
    14/03/2017 18:43

    Não estou falando que são MISTOS mesmo? O cara vem aqui, querendo me afrontar por eu ter comentado sobre o CLÁSSICO PAULISTA. E o que ele faz, vem para justificar que SEU TIME jogou com vários reservas ou, oriundos da base, como se esses não fossem JOGADORES corintianos. Não tem contrato assinado, não estão inscritos para as disputas da competição. Só faltou mesmo ele dizer que seu outro time, este sim disputou um VERDADEIRO CLÁSSICO contra a poderosa Votuporanguense.

  • João da Teixeira
    14/03/2017 18:42

    Clássico mesmo foi em Votuporanga! Não é que tem chance de acontecer novamente na A3 de 2018, afinal foi um jogo digno de 2ª divisão. Fico pensando o que deve ter ocorrido, no pós jogo, com os jogadores de ambos os times. Os vitoriosos pensando: "Ganhamos, mas poderíamos ter perdido". Os derrotados: "Perdemos, mas poderíamos ter ganho". E assim caminha alguns times da A2 do paulista, sem eira e nem beira...

  • marcelo
    14/03/2017 13:42

    belo classico tio lei(go), ate parecia copa sao paulo....tamanha a importancia que o corinthians deu ao jogo. a torcidinha mista aplaudiu um time, que jogou com o juniores do corinthians, pena que o unico titular tomou um peru....dai sim, eu queria ver a torcidinha mista aplaudir

  • João da Teixeira
    14/03/2017 13:41

    Ari, o time da Ponte não está anos-luz à frente do time do Novorizontino. É uma temeridade ele falar aquilo na TV e depois, se ocorrer um tropeço, vai ficar bem pior. Obrigação de ganhar em casa de times medianos e pequenos do campeonato, todo bom time tem. O duro é fazer acontecer. Será que só o entusiasmo do treinador faz isso acontecer? É nesse aspecto que fico com um pé atrás...

  • João da Teixeira
    14/03/2017 13:40

    Obrigatoriedade de ganhar, sim! Passar por cima como um trator, é uma forma de diminuir indiretamente o outro time, que poderá usar esse clima a seu favor, mexendo com o brio dos jogadores de Novo Horizonte. A humildade ainda é um bom recurso para atingir o objetivo. E humildade, não é dar favoritismo ao adversário, muito pelo contrário. Vamos ver o desenrolar dos fatos. Ainda acho que o exagero da dose poderá "embriagar" o time pontepretano e dar motivação ao adversário...

  • DE ARI PARA JOÃO DA TEIXEIRA
    14/03/2017 09:45

    Prezado João da Teixeira, digamos que o Brigatti exagerou na dose, mas tinha mais é que citar a obrigatoriedade de a Ponte Preta vencer o Novorizontino, jogando em Campinas. É uma tremenda demagogia a treinadorzada por aí atribuir favoritismo ao adversário. Se o adversário é favorito, o torcedor nem precisa ir ao estádio, oras.

  • João da Teixeira
    14/03/2017 09:31

    Brigatti está animado com a perspectiva que o time tenha melhorado, mas não esqueça que contra o Cúrinthians, esse veio desfalcado de vários jogadores, o que facilitou a vida da Ponte. Depois disso já veio a público dizer que vai passar por cima do Novorizontino sábado que vem. Será que ele tem noção realmente do time que tem nas mãos. Perder em casa, nesse próximo jogo, poderá ir por água abaixo tudo que conseguiu até agora. Prefiro ficar analisando mais um pouco o que ocorreu

  • TIO LEI (1)
    14/03/2017 00:09

    É bem verdade que o Brigatti soube como poucos,fazer a reaproximação do torcedor com a equipe. Iremos perceber essa "mexida" no próximo jogo, quando então será um jogo entre um GRANDE jogando em casa contra um time (na atual conjuntura) no máximo, mediano, e não um CLÁSSICO ESTADUAL como foi o jogo passado. Mas conforme minha postagem no tópico abaixo, Tambem não vejo o Brigatti ainda como o técnico ideal para a NOSSA PONTE PRETA,. e eu explico por que: Para o BRASILEIRÃO...

  • TIO LEI (2)
    14/03/2017 00:09

    ...precisaremos de um TÉCNICO COM BAGAGEM neste tipo de competição. Um técnico que não só saiba se impor sobre o elenco, mas um cara que "enxergue" o jogo, e aproveite essa capacidade que o Brigatti, como auxiliar, tem de mexer com os brios tanto do jogador como do torcedor. Um técnico que INTERFIRA na formação do elenco, principalmente nas contratações. Um técnico que NÃO DIGA AMÉM para os mandos e desmandos dessa pseudo diretoria. Queremos um TÉCNICO DE VERDADE.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo