07
SET
Guarani se nivela ao CRB e tem que se contentar com empate em Maceió

O inacreditável acontece nesta Série B do Campeonato Brasileiro. O Guarani conseguiu ser pior de que o CRB na tarde desta sexta-feira em Maceió (AL). Por isso ficou no lucro com obtenção do empate por 1 a 1.

O Guarani só deu uma melhoradinha após entrada em campo do atacante Bruno Mendes aos 27 minutos do segundo, no lugar de Marcão.

O que teria o CRB pra incomodar o Guarani?

Apenas o atacante veloz e driblador, caso de Igor. Coloque na conta do lateral-direito Diego Mateus transição rápida ao ataque, sem que demonstrasse capacidade nos cruzamentos ou definição do passe.

Apesar das limitações do CRB, ficou claro que o treinador Doriva consegue compactar bem os jogadores no processo de evolução ao ataque. Aí, quando o time se aproxima da área adversária, falta qualidade para a complementação das jogadas.

LOUZER

Equívocos do Guarani começaram com a escalação da equipe.

Não se contesta o fato de o treinador Umberto Louzer ter optado pela entrada do meia Rondinelly.

O titular Rafael Longuine não tem convencido e argumenta-se que está desgastado fisicamente.

Problema é que Rondinelly não jogou absolutamente nada, exceto a bola de cabeça que ganhou na disputa com Wellington Carvalho, e a testada atingiu a trave aos cinco minutos do segundo tempo.

Erro de Louzer foi na escolha de Marcão como centroavante, contrariando a lógica de jogadores rápidos no ataque, considerando-se que havia proposto jogar no contra-ataque.

Nem que Louzer quisesse justificar a entrada de Marcão para a bola aérea defensiva, para ajudar nas disputas pelo alto com o cabeceador Neto Baiano, a justificativa seria aceita.

Se o objetivo do Guarani era explorar velocidade nos contra-ataques, a recomendação seria abdicar do centroavante e optar por jogador de beirada com as características de Bruno Xavier.

TRÊS VOLANTES

Como o Guarani foi escalado com três volantes, a marcação teria que ser encurtada nos homens do time alagoano, que chegavam ao ataque na condução da bola.

Incrível a distância que Ricardinho, Willian Oliveira e Fabrício Bigode deram aos adversários para que dominassem, girassem, e dessem continuidade às jogadas.

Sorte do Guarani que o CRB fez uma fumaça no ataque, sem que as jogadas fossem concluídas. Assim, o goleiro bugrino Agenor nem precisou ser exigido na primeira fase.

BOLA NA TRAVE

A cabeçada do meia Rondinelly no primeiro pau, logo aos cinco minutos do segundo, com a bola chocando-se na trave, não era indício de melhora de rendimento do Guarani.

Casualmente Fabrício Bigode avançou pela direita e fez aquele cruzamento.

Sabiamente, no segundo tempo, Louzer providenciou mudança de lado de Bigode, para que ajudasse o lateral Kevin na marcação, visto que Igor levava vantagem por ali.

No chute rasteiro de Ricardinho, de fora da área, três minutos depois, plenamente defensável, o instável goleiro João Carlos se atrapalhou, e com dificuldade cedeu escanteio.

Com maior participação ofensiva, o CRB chegou ao gol aos 18 minutos, através de cobrança de pênalti, em lance que o rápido Igor se desvencilhou do instável zagueiro Édson Silva.

BRUNO MENDES

Como Bruno Mendes entrou em campo aos 27 minutos, e o Guarani teria que atacar em busca do empate, o objetivo foi atingido seis minutos depois.

No cruzamento rasteiro da esquerda, através do lateral Pará, Mendes se antecipou à marcação e resvalou na bola, de forma defensável ao goleiro João Carlos, que acabou vazado: 1 a 1.

Depois disso o CRB insistiu em alçar bola ao interior da área bugrina, ocasião em que se sobressaiu o goleiro Agenor, na interceptação.

O resultado distancia o Guarani do pelotão de cima, mas as chances continuam vivas.

Ficou claro que o time precisa melhorar pra que seja retomada a confiança do torcedor.

  • LÉO - PR
    07/09/2018 23:14

    gostei do nome que você usa pra não chamar o cara de ruim instável,a estratégia do Louzer agora é usar um jogador pra marcar o Pará,quando Edson Silva cometeu pênalti desliguei a tv não da pra perde tempo com um jogo desse,antes era uns quatro ou cinco ruim,agora ta o time todo horroroso,mais tem quinze volantes pra estrear ainda vai que tem um FALCÃO ai no meio,pra esse ano acho que deu.

  • LÉO - PR
    07/09/2018 23:13

    o tal do Neto Baiano tá gordo hein quase igual o Valter.

  • Profeta da Tribo
    07/09/2018 20:00

    O time está a 3 jogos sem fazer gols e o que Umberto faz? Mete mais um volante. E contra um time na beira do Z4. Puxa, Umberto! Sempre o defendi, mas me ajude! Vamos chegar aos 46 pontos e buscar um novo técnico para 2019.

  • Luiz Otto Heimpel
    07/09/2018 18:26

    No pensamento do brilhante Humberto, faltam sete pontos. Peessoal do conselho, estao satisfeitos?

06
SET
Tal qual o futebol, violência foge do controle na política

O espaço é destinado pra que discutamos coisas do futebol, mas de repente um aloprado no interior mineiro de Juiz de Fora esfaqueou o presidenciável Jair Messias Bolsonaro, quando carregado por apoiadores durante passeata em calçadão central daquela cidade.

Tal qual no futebol, em que torcedores rivais destinam veneno diuturnamente, a política foi rivalizada pelo ódio.

E isso tem se arrastado há alguns anos, pois continua vivo na memória do brasileiro o jogo rasteiro usado pela então presidente Dilma Rousseff, quando pleiteava a reeleição, no processo de desconstrução da adversária Marina Silva, com enxurrada de mentiras.

Violência explícita na política do Brasil
Violência explícita na política do Brasil

De lá pra cá o que se viu foi um Fla-Flu na política, com tramas ardilosas, mentiras, roubalheiras e enganação ao pobre povo brasileiro.

TEMER

Os mesmos deputados que salvaram a pele do presidente Michel Temer, quando flagrado no silêncio da noite em diálogo nada republicano com o acusado empresário Joesley Batista, aparecem sorrindo na televisão, no horário eleitoral, pedindo o seu voto.

Claro que o acusado Temer deveria, em última análise, ser investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), mas para isso seria necessário aprovação da Câmara dos Deputados. Problema é que parte significativa se curvou às benesses do poder.

Você se lembra dos parlamentares coniventes com aquela trapalhada? Claro que não. Pois eles subestimam a sua memória. Sabem que você não distingue o joio do trigo. Calculistas, acreditam que ainda é fácil levá-lo na conversa. Debocham de você na ‘cara dura’.

PT

E a insubordinação do PT que mostra o presidiário Lula na propaganda eleitoral de televisão?

E o discurso de ódio entre candidatos, num tiroteio sem limite?

Evidente que diferenças éticas, comportamentais e de competência precisam ficar bem caracterizadas no embate político. Todavia, sem que se fuja de princípios de civilidade.

O que se tem visto é o rasgado falando do remendado. O acusado de corrupção com respostas metafóricas, ou incorporando a desabonadora tática do ex-deputado federal Paulo Maluf, que respondia sobre leite quando o assunto era água.

RECUPERAÇÃO

Cabe-nos, independentemente de tendência partidária, nos solidarizarmos com o presidenciável Jair Bolsonaro, e torcer por plena recuperação.

Ficamos assim. Não vamos propagar qualquer candidato neste espaço.

Minha convivência pacífica com o contraditório não me confere o papel de censor.

Entretanto antecipo que citações de nomes de políticos que disputam eleição migrarão para o arquivo morto, para se evitar oportunismo ou propaganda indesejável.

Meu foco de política foi exceção por causa desse atentado contra Jair Bolsonaro.

Sugiro que você opine sobre futebol, pois tem Guarani em campo na tarde desta sexta-feira, e Ponte Preta no sábado.

  • LÉO - PR
    07/09/2018 23:12

    hoje fui eu que mudei as bolas do RN pra BP

  • LÉO - PR
    07/09/2018 18:27

    tomara que a feijoada do almoço em Belém não de diarreia até final do jogo,porque sono deu bastante primeiro tempo ridículo do guarani.

  • Marcio
    07/09/2018 12:26

    Faça um favor hein Leo ! Isso que aconteceu vitimiza e apenas ajuda o próprio Bolsonaro. O Lula está articulado a vitória do Bolsonaro ??? Oras bolas....

  • LÉO - PR
    06/09/2018 22:45

    O LULA TÁ COMANDANDO LÁ DE DENTRO DA CADEIA VIROU MODA NO BRASIL,SERÁ TENHO MINHAS DUVIDAS.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo