01
DEC
Veterano Juan se destaca na vitória que coloca o Flamengo na final

Flamengo jogou com inteligência, soube se defender diante do Junior Barranquilla na Colômbia, venceu por 2 a 0 na noite desta quinta-feira - dois gols de Felipe Vizeu -, e é finalista da Sul-Americana.

Como se previa o time colombiano tomou iniciativa, pressionou, e foi aí que se destacou o veterano quarto-zagueiro Juan, do time flamenguista, quer no chão como recordista de desarmes, quer pelo alto com seu 1,83m de altura.

São raros os jogadores veteranos que ainda conseguem manter a forma física para acompanhamento do forte ritmo de jogo, mas Juan, que em fevereiro próximo vai completar 39 anos de idade, é uma das exceções.

Nesse time do Junior Barranquilla tem-se que observar erro crasso de fundamento da boleirada: pega mal na bola para finalizar.

Cantillo, por duas vezes, foi horroroso nesse quesito. Em uma das ocasiões correu de cabeça baixa e chutou fraco e sem olhar o posicionamento do goleiro César, do Flamengo.

CHARÁ

Paradoxalmente, o destaque desse time colombiano - o meia-atacante Yimmi Chará - foi displicentemente para a bola em cobrança de pênalti, telegrafou o canto esquerdo, chutou fraco, e propiciou defesa do goleiro flamenguista César.

Chará também finaliza mal e quer Flamengo, quer Palmeiras que cogitam contratá-lo precisam se certificar disso. Ele terá, sim, que treinar bastante as finalizações.

Todavia, a grande virtude dele falta pra maioria dos jogadores: arranca com a bola, tem bom balanço para aplicar dribles e discernimento do momento indicado para tocar a bola.

Chará, na nossa linguagem, significa pessoa que tem o mesmo nome que outra, só que grafada com 'x': xará. O Chará em questão faz parte do nome do colombiano Yimmi Javier Chará Zamora, 26 anos de idade. O clube que investir na contratação dele certamente terá retorno assegurado.

  • Barba para Diretoria AAPP
    02/12/2017 16:10

    Uma vergonha! Voces são mesmo uns aprovetadores. Erraram tudo e mais do que tinham direito. Cesar era 3o reserva e sequer deram chances a ele. Este André Dias GORDO é outra piada! Coisas de GB e cia.

  • DE ARIOVALDO ZANELLI PARA PEDRO.
    01/12/2017 18:19

    NÃO CONHEÇO VOCÊ, MAS ACHO QUE NÃO ENTENDEU A MINHA MENSAGEM. NO ESTADO DE SÃO PAULO, NA MINHA ÉPOCA DE JOVEM, SANTOS, CORINT., SÃO PAULO, PALMEIRAS, PORTUGUESA ERAM 5 MELHORES DO ESTADO. O INTERIOR ERA FORTE, EU ACOMPANHAVA A PONTE PRETA PARA TODAS AS CIDADES DO INTERIOR. NÓS TINHAMOS CARAVANA ATÉ DE TREM ÉPOCA DE FEREZ SALIM, AS FINAIS ERAM TODAS EM SÃO PAULO. EU ERA DA TURMA DO LARGO DO PARÁ, ANTES DA AV.AQUIDABAM...

  • ARIOVALDO ZANELLI (1)
    01/12/2017 18:19

    ... VÁRIOS JOGADORES SAIRAM DALI, JOGARAM NA PONTE E GUARANY, EXISTIA O DOM BOSCO, DO EXTERNATO SÃO JOÃO. TAMBÉM SAIRAM PARA O FUTEBOL, NÓS TINHAMOS TAMBÉM O GAZETA ESPORTIVA QUE FICAVA NO CENTRO, FUTEBOL DE SALÃO DO DOM BOSCO E PALMEIRAS DE SÃO PAULO, ERAM OS MELHORES DO BRASI. VEJA BEM, HOJE NO ESTADO DE SÃO PAULO, EXISTE APENAS QUATRO TIMES, A QUINTA VAGA ESTÁ ABERTA AINDA, A PONTE PRETA ESTAVA COMEÇANDO A ENTRAR NA QUINTA VAGA...

  • ARIOVALDO ZANELLI (2)
    01/12/2017 18:14

    ... TENHO AMIGOS NA GLOBO DE SÂO PAULO, GLOBO RIO, BANDEIRANTES DE SÃO PAULO, ATÉ CÂMERA DE ESPORTES QUE QUANDO VINHAM EU ERA CONVIDADO, RECEBIA CARTAS DAS EMISSORA DE TV, PARA TRANSMITIR OS JOGOS EM CAMPINAS EU RECEBIA PARA LIBERAR O LOCAL PARA TRANSMISSÃO. PEDRO, EU COMO PONTEPRETANO, FALO COM SABEDORIA DO ESPORTE, COISA QUE ACONTECEM NO GUARANY E NA PONTE SEM SAIR DE CASA. FALO COM CONHECIMENTO, MAS NÃO SOU CORNETEIRO, NÃO SOU TIPO DE HOMEM QUE VOCÊ PENSA...

  • ARIOVALDO ZANELLI (3)
    01/12/2017 18:14

    ... ANTEONTEM PASSEI UM E-MAIL PARA [email protected]>BR PARA SR FELIPE BEVILACQUA, PROCURADOR DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, QUE QUER FERRAR A PONTE PRETA. NÃO TENHO MEDO DE NADA. MANDEI UM RECADO PARA SR FELIPE. PARA FINALISAR, SAIBA DE UMA COISA, O REBAIXAMENTO DA PONTE PRETA VAI CUSTAR CARO, VAMOS PERDER TUDO QUE ESTAVAMOS CONSEGUINDO NOS BASTIDORES. FIQUE SABENDO QUE NO INTERVALO O RODRIGO IA APANHAR DOS JOGADORES, POIS PERDERAM UMA GRANA...

  • ARIOVALDO ZANELLI (4)
    01/12/2017 18:14

    ... MAS POR MOTIVOS DE SEGURANÇA FOI MANDADO SAIR DO ESTÁDIO IMEDIATAMENTE, O CLIMA ESTAVA QUENTE E A PONTE PRETA ESTAVA GANHANDO O JOGO DE 2 x 0, VOLTARAM TODOS IRRITADOS E COM OS NERVOS NA FLOR DA PELE, ACONTECEU AQUILO ESPERADO A DERROTA. EXISTE UMA COISA QUE EU NÃO POSSO FALAR DO INTERVALO.

  • RMaia
    01/12/2017 18:01

    Sei que é off-topic, 229 eleitores optaram por manter o reinado por mais 4 anos na Ponte. Demonstrando que essa gente não tem a mínima consideração com a torcida, ao invés GB e EB terem sido demitidos, continuam nos cargos e já planejam 2018. Reclamam dos prejuízos materiais no Majestoso, mas se esquecem que os prejuízos morais e financeiros da queda pra Série B são bem maiores e que eles foram diretamente responsáveis, agora os erros também devem ser cobrados desses 229 eleitores.

  • RMaia
    01/12/2017 18:01

    Pois é Ari, fui confirmar e realmente o goleiro flamenguista César, que atuou ontem e defendeu pênalti levando o Mengo a mais uma decisão, esteve aqui na Ponte ano passado e segundo a comissão técnica, diga-se André Dias", não servia nem pra ser reserva. Se tudo der certo ele defenderá o Flamengo na decisão e poderá ser campeão, algo que aqui na Ponte jamais conseguiria.

30
NOV
Com arbitragem segura, Grêmio mostra melhor qualidade e sagra-se campeão

Um título irretocável do Grêmio na Libertadores. Título com vitória no ‘fortim’ do adversário, caso do Lanús, por 2 a 1, na noite desta quarta-feira.

Título com gol estilo Pelé marcado pelo meia-atacante Luan, que desvencilhou-se de três adversários e deu uma cavadinha na saída do goleiro Andrada, por ocasião do segundo gol gremista, aos 41 minutos do primeiro tempo.

Quis o destino que Luan, sempre de pontaria apurada, perdesse gol feito novamente em cavadinha, quase no final da partida, depois de contra-ataque puxado pelo atacante Fernandinho.

A rigor, o mesmo Fernandinho que abriu o caminho da vitória gremista aos 27 minutos, quando explorou erro de um adversário na tentativa de intercepção da jogada, ganhou na corrida e finalizou com força.

Foi um primeiro tempo primoroso do Grêmio, cujo estratégia foi adiantar a marcação exatamente para evitar que o Lanús valorizasse a saída de bola.

E mesmo quando o time argentino evoluía, o Grêmio se organizou bem defensivamente e diante de um adversário que em vez de rodar a bola sem objetividade jogava verticalmente. Seus atacantes são condicionados a fazer a parede, proteger bem a bola, aguardando a aproximação de companheiro para dar prosseguimento ao lance.

GOL DE PÊNALTI

Evidente que o Lanús partiu para o chamado tudo ou nada no segundo tempo e o Grêmio optou por se resguardar.

Foi aí que os argentinos diminuíram a vantagem gremista com gol de pênalti através de Jose Sand aos 27 minutos, e ficou nisso. Nem houve necessidade de o goleiro gremista Marcelo Grohe praticar defesas difíceis.

Parabéns ao time do Grêmio, parabéns aos dirigentes que sabiamente trabalharam nos bastidores para que a Conmebol designasse um árbitro de pulso e bom tecnicamente para condução da partida, caso do paraguaio Enrique Cáceres.

A experiência dos jogadores do Grêmio também pesou para administrar bem o caldeirão do Estádio La Fortaleza, em Lanús, na grande Buenos Aires.

EXTRAIR DO LANÚS

A treinadorzada do Brasil deve extrair de lição desse só razoável time do Lanús dois aspectos.

Primeiro a valorização da saída de bola. Mesmo marcados sob pressão, os zagueiros argentinos evitam quebrar a bola. Encorajam-se para sair jogando.

Meio-campistas e atacantes são condicionados a receber bola mesmo marcados, e sabem fazer a proteção, a chamada ‘parede’.

Isso contrasta com o futebol brasileiro quando evita-se passar bola para jogador marcado, antevendo-se a possibilidade de desarme do adversário.

Ainda não existem comentários.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo