13
JUN
Lenon ainda carece de treinos específicos para melhorar cruzamentos e marcação

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Não se deve adotar o radicalismo de julgar o lateral-direito Lenon praticamente um estorno ao time bugrino, como insinuaram alguns parceiros, mas longe de acompanhar o coro de bajuladores do atleta, que alardeiam ter sido grande perda para o Guarani, neste empréstimo ao Vasco até o final do ano.

O fato de Lenon dispor de vigor físico para fazer o vaivém, ser visto frequentemente ao ataque, reflete em impressão, ao menos avisado, que isso representa eficiência.

De que adianta ele levar rapidamente a bola até a intermediária adversária, e na maioria das vezes alçá-la no típico chuveirinho, devolvido por defensores adversários?

PASSADAS LARGAS

Convenhamos que as passadas largas dele devem ser realçadas, mas por falta de treinamento específico raramente se aproxima da linha fatal do gramado, visando o cruzamento para trás, que geralmente encontra o cabeceador de frente para a bola.

No caso específico, não cabe culpa exclusiva ao treinador bugrino Umberto Louzer, pelo lateral se desfazer da bola na intermediária adversária.

Seus antecessores igualmente não souberam posicioná-lo adequadamente precedendo o cruzamento. Tem-se que reconhecer, todavia, que o atleta foi trabalhado para triangulações pelo setor.

Agora no Vasco, provavelmente o treinador Jorginho não deve corrigir a postura ofensiva de Lenon para que avance até o fundo de campo, antes do cruzamento.

Cobra-se, pelo menos, exaustivos treinamentos para melhorar a batida na bola, pois nas finalizações a bola tem passado distante do goleiro adversário.

Enquanto atleta, Jorginho não era lateral de jogada de fundo. Preferia o passe rasteiro e curto à bola alçada.

MELHORAR A MARCAÇÃO

Embora jamais se negue voluntariedade de Lenon na atribuição de marcador, está claro que igualmente tem deficiência nesse quesito, notadamente quando enfrenta atacantes de beirada que pautam pela habilidade.

Como Lenon é um profissional correto, compenetrado, está claro que precisa da devida orientação para que problemas na marcação sejam minimizados.

Por fim, não cabem críticas ao presidente bugrino Palmeron Mendes Filho sobre negociação do atleta ao Vasco.

Tem-se que considerar que Lenon estava na iminência de atingir o período para requerer pré-contrato com outra agremiação, e isso implicaria em desligamento do Guarani dentro de seis meses.

Caso isso ocorresse, o Guarani ficaria literalmente de mãos abanando. Na hipótese de suposto interesse do Vasco ou outra agremiação pelo atleta para cessão em definitivo, será possível vantagem financeira.

  • João da Teixeira
    14/06/2018 18:41

    Então, com a falta de criação de jogadores no Brasil, mesmo os que aparecerem com "um olho só", vão ser "disputados no braço". Os bugrinos achavam que iam passar impunes? Ah, tá! Como seus jogadores têm preços mais acessíveis do que os da Ponte, vão primeiro. Estamos indo de mal a pior na mão desses empresários. E se sairem Nazário, Rondinelly e Ricardinho juntos com o Lenon, ferrou! E agora, José?

  • João da Teixeira
    14/06/2018 18:40

    Estou vendo lances da partida da Rússia e Arábia Saudita, que "pelada"! Digna das do meu tempo de criança lá no "Bambuzinho", um campinho meio pasto, meio valeta de água pluvial, próximo à linha férrea da Sorocabana e do 1º local da fundação do antigo alviceleste Esporte Clube de Malha e Bocha Paredão, fundado em 1963 e campeão em 1964, é mole? Agora me digam, 5x0 em uma abertura de Copa? Bom, melhor ficar quieto, lembrei-me do programa infantil Pin-Pan-Pum, 7 ...

  • Luiz Otto Heimpel
    14/06/2018 18:40

    Esse é o problema de ficar refém de empresário.O Lenon apesar de não ser nenhum craque,era um dos que menos erravam nessa defesa. O Palmeron andou prometendo muito e cumprindo nada.Vamos perder mais jogadores e os que ficarem serão os menos qualificados.Para completar vão trazer uns "meia -boca ".Cadê a terceirização?

  • Paulo Sergio
    14/06/2018 18:36

    Somos VITRINE, ou não?? Até quando teremos que suportar essa coisa de revela/vende?? Nós torcedores de Ponte e Guarani já estamos de saco cheio disso, depois perguntam por que a torcida se afasta!!! vejam, agora o Guarani está prestes a perder os pilares de sustentação do time e o pior, NUNCA, JAMAIS sabemos quanto nosso clube ganhou na transação!! por que hein? será que é só o MALDITO empresário que leva o dele?? cont.

  • Paulo Sergio
    14/06/2018 18:36

    Cont.. para o técnico é um prato cheio essas vendas pois, garante seu emprego mesmo com as derrotas já que nas entrevistas vai poder dizer " Vocês tem que entender que perdemos várias PEÇAS" (aliás não sei por que chamar jogador de PEÇA!! é jogador e pronto) o sr. presidente tem a justificativa na ponta da língua " Não tínhamos como recusar a proposta" e o torcedor que paga ingresso, fica sócio, compra camisa, vai no jogo nesses horários cont..

  • Paulo Sergio
    14/06/2018 18:35

    Cont.. malucos impostos pela TV, com chuva, frio ou solão danado, tem que aguentar a incompetência desses dirigentes meia boca!! Triste realidade do futebol de Campinas!! Não moro aí, mas se morasse, não iria ao estádio nem que me pagassem ingresso, sócio torcedor então? nem pensar!!!!! Torço para minha Ponte, mas, não morro por causa dela, não vale a pena!!!

  • Profeta da Tribo
    14/06/2018 18:34

    Sua análise foi brilhante, Ari. Nem ao céu, nem à terra. Expressou, num brevíssimo ditado, o que eu também penso sobre Lenon. Também concordo piamente que não se deve culpar Palmeron. Há também a diferença de poderio econômico entre as equipes e a vontade do jogador. Nem clubes de ponta, que sempre disputam títulos nacionais e Libertadores, conseguem segurar seus destaques. O Palmeron até que foi bem, estendendo o contrato e ganhando compensação financeira.

  • Profeta da Tribo
    14/06/2018 18:33

    Mas, de fato, o Bugre tem o desafio de se reinventar durante o campeonato. Por um lado, é preocupante. Ainda mais se perder Ricardinho Mas, por outro, o Umberto tem demonstrado muita dedicação na busca por soluções para esse time. Acredito que tem tudo para dar certo. Não sei se conseguimos o acesso. É uma possibilidade remota. Mas estou convicto de um campeonato bem mais saudável ao coração dos bugrinos do que o do ano passado.

  • Profeta da Tribo
    14/06/2018 18:32

    Quanto ao Lenon, desejo-lhe toda a alegria, toda a sorte, toda o sucesso no seu novo clube. Tomara que arrebente, que faça muitas assistências, desarmes, e, por que não, alguns gols? Arrebente, Lenon! Você sempre honrou nossa camisa. Sempre jogou com raça. É um profissional exemplar. Tenha muito sucesso no Vasco. E quanto ao Bugre, vamos procurar novos laterais direitos, um novo Maranhão, que tivesse o drible e fosse ao fundo, não seria nada mal, né?

  • Profeta da Tribo
    14/06/2018 18:31

    Em 2009, lembro-me que sempre que o Maranhão dominava a bola, a torcida como um todo já se levantava. Sabia que o camisa 2 ia aprontar. Tinha bom drible, trazia a bola por dentro, ganhava a linha de fundo, enfim: tinha um repertório muito interessante. Não cruzava tão bem a bola, é verdade. Mas sempre levava perigo. O Maranhão, junto com Fabinho, eram as duas válvulas de escape daquele time que era limitado, mas bem organizado e rápido. Fora Caíque entrando no segundo tempo.

  • João da Teixeira
    14/06/2018 09:13

    Estamos tão mal na criação de laterais com perfil de apoiadores e porque não atacantes, que Lenon foi observado e atendeu as expectativas de um time, mal das pernas, mas um grande no futebol do Rio. Sempre acho que jogadores tem que ser orientados no infantil e juvenil, não depois que se torna profissional. Como vc. disse, orientá-lo adequadamente poderá se tornar um excelente lateral, vide o lateral Mariano, que tbém saiu do Gfc com um monte de defeitos e hoje está na Europa.

  • João da Teixeira
    14/06/2018 09:12

    Hoje tem a abertura do Mundial da Rússia, com a abertura às 11:30 h. e o único jogo do dia entre Rússia x Arábia Saudita. Está me cheirando empate, mas um triplo não seria exagero, pois a Rússia está há uns 8 meses sem vitória. Como curiosidade, a bandeira da Arábia Saudita tem uma cimitarra com uma inscrição acima, o da shahada, a fé islâmica: "Alá é o único Deus e Maomé o seu Profeta". A bandeira russa também tem uma curiosidade, o significado das cores foi mudando cont.

  • João da Teixeira
    14/06/2018 09:11

    cont. o significado das cores foi mudando conforme o interesse. Durante a monarquia simbolizavam Branco - Deus; Azul - Rei e Vermelho - Povo. Com a Revolução Russa (URSS) passou a ser só o vermelho, com a foice e o martelo em amarelo. Com o fim da URSS e a criação da Federação Russa, as cores voltaram a ser as de antes, mas com outros significados. O Branco - Pureza, fé cristã; Azul - Verdade e a Mãe de Deus e Vermelho - Força. Pois é a religiosidade voltou...

  • Eugenio
    14/06/2018 09:11

    Começou o desmanche, ano passado foi a mesma coisa e quase voltamos para a Serie C, Samudio e Auremir sairam e o time desabou, assim nem com o Tite de tecnico. Cade o projeto de terceirizacao do futebol ? Desse jeito seremos golfinho de novo, sobe, faz umas gracinhas e volta para o fundo ...

12
JUN
Adeus a Zé Carlos, história irretocável enquanto atleta, mas ingrata como treinador

Sobre a saída por empréstimo do lateral-direito bugrino Lenon, a análise fica para as próximas postagens. Cabe-me antecipar que o presidente Palmeron Mendes Filho agiu com sabedoria ao liberá-lo ao Vasco até o final do ano.

Meses atrás citei em minhas tribunas que o estado de saúde do ex-volante José Carlos Bernardo, campeão brasileiro pelo Guarani, era grave.

Na ocasião, contatei bugrinos que ainda tinham contatos com familiares dele em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para que me mantivesse informado. Todavia, individualidade das pessoas implicam em despreocupação com problemas alheios.

Assim, Zé Carlos morreu nesta terça-feira, aos 73 anos de idade, e seus familiares testemunharam que os amigos cruzeirenses jamais o abandonaram.

WILSON PIAZZA

Liderados pelos também ex-volante Wilson Piazza, até jogo beneficente foi realizado para ajuda de custo em decorrência de gastos provocados pelo AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Aquelas pernas de Zé Carlos que tão bem ajudaram a conduzir Cruzeiro e Guarani ao sucesso haviam travado, e o destino lhe reservou cadeira de rodas, assim como interferiu na fala.

Destino! Eta troço cruel com quem escreve bonita página no futebol e vida. Com quem, enquanto atleta, exerceu naturalmente liderança sobre os companheiros.

Foi assim no Cruzeiro durante 13 anos e 619 jogos, mas dirigentes não souberam valorizá-lo. Melhor para o Guarani que o contratou em 1977, já adaptado à função de volante, sem perder as características de meia organizador.

BETO ZINI

E se erroneamente atribuem ao falecido treinador bugrino Carlos Alberto Silva a indicação de Zé Carlos ao Guarani, o correto é citar que Beto Zini - bem antes de sonhar com a presidência do clube - indicou e acertou toda negociação. Inclusive cedeu uma residência de sua propriedade,

defronte ao estádio, para que o então atleta morasse.

Se em 1980 Zé Carlos aceitou transferência ao Botafogo (RJ), como último bom contrato na carreira de atleta, por iniciativa igualmente de Beto Zini - já como diretor de futebol em 1984 - ele voltou ao Guarani na condição de treinador.

Aí o tal de destino foi-lhe novamente traiçoeiro. Aquela liderança dos tempos de atleta não serviu para preencher todos requisitos exigidos de comandante. Logo, após cinco meses, foi demitido.

MOGI MIRIM

Zé Carlos ficou sensibilizado quando o saudoso presidente do Mogi Mirim, Wilson de Barros, lhe propôs dupla função: atleta-treinador. Todavia não prosperou na nova empreitada.

Isso evidencia que nem sempre jogador que se destaca pela corretíssima leitura de jogo para defender e atacar transporta a sabedoria ao migrar à função de treinador.

Apesar disso Zé Carlos foi persistente, mesmo que o recomeço ocorresse na função de comandando de juniores, com última passagem pelo Cruzeiro há dois anos, quando o AVC pôs fim à sua história no futebol.

  • João da Teixeira
    13/06/2018 23:14

    Bugrino tem que fazer muitas orações pela alma de Zé Carlos. Aquela defesa bugrina formada por Edson e Gomes não era confiável por baixo, só em bolas aéreas e, se não fosse Zé Carlos "mordendo" na "cabeça da área" para que a bola chegasse "mastigada" aos atacantes adversários, aqueles dois com a bola vindo redonda para esses atacantes, iriam fazer muitas atrapalhadas. Fala aí, Ari!

  • João da Teixeira
    13/06/2018 16:57

    Copa do Mundo de 2026 será em três países, USA, Canadá e México. Não entendi por que o México, já que lá teve dois campeonatos mundiais de seleções, 1970 e 86, mas deve ser devido ao novo formato do Mundial que terá 48 seleções jogando, um excesso de jogos para dois países sem nenhuma tradição como USA e Canadá, então o México viria para dar apoio à demanda de jogos. Mas não precisa ter medo não, americanos compram ingressos até para torneio de bolinha gude...

  • João da Teixeira
    13/06/2018 16:57

    Ainda falando da Copa de 2026, na tríplice aliança dos países mais fortes da Concacaf, a edição vai marcar o início de um novo formato de Copa do Mundo, com mais participantes, mais jogos, mais estádios e mais países organizadores. O Mundial terá 48 participantes divididos em 16 grupos de três. Os dois primeiros de cada chave avançam aos mata-matas, que terá uma fase a mais do que hoje. A Fifa terá que redesenhar as Eliminatórias, já que as Confederações terão mais vagas.

  • João da Teixeira
    13/06/2018 16:57

    A última Copa com formato de 32 seleções será no Catar em 2022, 7 cidades participarão do evento são Al-Daayen, Al-Khor, Al-Rayyan, Al-Shamal, Al-Wakrah, Doha e Umm Slal. Interessante disso tudo é que após a Copa, está previsto que partes dos estádios serão desmontados e enviados aos países em desenvolvimento para que sejam feitos 22 novos estádios. Devem ser para países da comunidade árabe. Carnielli, com esse seu jeito de árabe, vê se não consegue um para a nossa Arena rs, rs

  • Barba
    13/06/2018 16:56

    Orinho baixado de novo??

  • João da Teixeira
    13/06/2018 11:21

    Com relação ainda ao jogador Zé Carlos, não precisamos dizer mais nada como jogador. Como treinador, realmente um excelente executor nem sempre consegue colocar suas habilidades e conhecimentos aos subordinados quando se torna um comandante. Nas condições que se encontrava, talvez foi embora mais cedo para não causar sofrimento à família e trazer alívio a todos que gostavam dele. Descanse em paz.

  • João da Teixeira 1
    13/06/2018 11:18

    Pois é, Zé Carlos foi para o time do Gfc de 1978, o que Pelé foi para o Santos de 1958-73, o que Cruijff foi para o Ajax em 1964-73, o que Maradona foi para o Nápoles de 1984-91, enfim o volante Zé Carlos era o pensador do time, o desarmador do time, o pai de quase todos os jogadores daquele time. Para mim Zé Carlos foi um dos melhores volantes que vi, melhor até que Beckenbauer, mas acabei um dia vendo Seedorf jogar e acredito esse ser mais completo que os dois. O AVC é cruel

  • João da Teixeira 2
    13/06/2018 11:17

    cont. Pois é, o AVC é cruel, além de ser uma doença silenciosa e sorrateira, ela mina todo o passado atlético e mental de um ser humano e ficando mais evidente quando se trata de um jogador atuante como foi o caso de Zé Carlos. Um estudo mostrou que o medicamento contra a pressão arterial alta é mais eficiente quando tomando antes de dormir do que pela manhã ou durante o dia.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo