02
JUL
Luciano do Valle, de Campinas para o mundo

A TV Bandeirantes

anuncia para as 16h do próximo domingo um programa em homenagem ao saudoso locutor Luciano do Valle, morto há seis anos, aos 66 anos de idade.

Justa lembrança àquele que foi um dos maiores nomes de todos os tempos da narração esportiva do país.

Versátil, transmitia qualquer modalidade esportiva. Mais que transmitir era incentivador, ressuscitando o boxe brasileiro ao criar o pugilista Adílson 'Maguila' Rodrigues.

Nascido e enterrado em Campinas, Luciano ingressou na mídia esportiva da cidade em 1963, na antiga Rádio Eduadora - a PRC9, hoje Rádio Band-Campinas .

Eis a questão: como prosperar se o chefe da equipe à época, o saudoso Lombardi Neto, optava por rodízio entre narradores, num timaço que, além dele e Luciano, contava com os saudosos Pereira Neto e José Sidney Bragantim?

RÁDIO BRASIL CAMPINAS

Assim, Luciano aceitou convite do também falecido radialista Sérgio Salvucci para trocar de prefixo, transferindo-se à Rádio Brasil Campinas.

O apoio de Salvucci foi preponderante para visibilidade de seu potencial, pois além de narrar jogos dividia com o chefe a apresentação do programa Radar dos Esportes, cujo rótulo era 'a palavra oficial do esporte campineiro'.

Por sinal, um programa que até a década de 70 parava literalmente a cidade, das 11h30 às 12h.

O destino reservou que ambos morressem num 19 de abril, porém em anos diferentes: Salvucci em 1997 e Luciano em 2014.

À época Luciano era um dos 'urubatões' apelidados por Salvucci, que assim se dirigia a todos integrantes de sua equipe, e exatamente por isso também era chamado de Urubatão.

TV EXCELSIOR

Até 1966 as Copas do Mundo eram transmitidas apenas através do rádio, mas a geradora de imagem da TV Excelsior-Campinas, canal 9, introduziu estilo diferente de transmissão.

Sem imagens dos jogadores, telespectadores da emissora visualizavam apenas a localização da bola em jogos da Seleção Brasileira.

Havia simulação de um campo de futebol no televisor, e o trabalho de mover a bolinha para indicar o local em que a jogada se transcorria era de Luciano do Valle.

RÁDIO GAZETA

E ao se destacar no rádio campineiro, Luciano foi contratado para integrar a equipe de esportes da Rádio Gazeta de São Paulo, comandada pelo narrador Pedro Luiz Paoliello.

Apesar da talentosa equipe composta ainda pelos narradores Darcy Reis e Marco Antonio Mattos, Luciano foi ganhando espaço na emissora, com a apresentação de cinco minutos do informativo diário 'Rum Barcardi, aquele que mistura melhor', sempre às 11h55, precedendo o comentário também de cinco minutos de Pedro Luiz.

Sequência da trajetória dele no rádio e televisão de São Paulo é sobejamente conhecida, e agora acrescida com informações da passagem por Campinas, e a forma declarada de se dizer pontepretano.

  • João da Teixeira
    05/07/2020 11:32

    Pô Ari, vc deixou passar! Rsrsrs... O livro sobre a Ponte é "Uma Torcida que tem um Time". Homenagem à massa pontepretana...

  • João da Teixeira
    04/07/2020 19:26

    Leo, vc é um dos bugrinos que respeito muito, mas história não é só o que se passa durante a nossa passagem aqui, história é registro. O Gfc, acredito, carece de alguém que ponha sua história e em um livro. Talvez até tenha alguma coisa, mas eu mesmo não conheço. Aprendi muita coisa da Ponte lendo, ouvindo, pesquisando e mais recentemente lendo o livro "Um Time que tem uma Torcida". Um livro possivelmente de escritores no início de carreira, mas muito gostoso de ler.

  • João da Teixeira
    04/07/2020 15:38

    É hoje partiu para o andar de cima Leonardo Villar, o eterno "Pagador de Promessa", Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1962. Filme adaptado do teatro, que trouxe para o mundo um pouco do folclore, das crendices e religiosidade do povo brasileiro. Leonardo Villar era de nossa região, de Piracicaba para o mundo...

  • João da Teixeira
    04/07/2020 15:38

    Quer ver vcs estrilarem novamente? É se eu disser que temos o maior público proporcional em Campinas, vcs irão xingar? Pois é, o Majestoso tinha uma quantidade X de lugares e o Brinco tinha Y, sendo Y maior que X. O jogo do bugre x Mengo lotou o Brinco. Ponte x Santos tbem lotou e pior entrou mais gente do que sua capacidade, 40mil pessoas. O Moisés teve público de 33.500, mas tinha 40mil pessoas. O Brinco teve 52.002 pagantes. Proporcional à lugares oferecidos, deu nós.

  • João da Teixeira
    04/07/2020 15:38

    A proporcionalidade tem que ser mensurada, pois fui nos dois jogos e com certeza o público de 1970 interno e externo era bem superior, além de ser num domingo à tarde e o jogo do bugre contra o Mengo foi numa 4°feira à noite, sempre uma expectativa pior numa 4°feira à noite. Não sei se fiz entender a questão de lugares oferecidos e quantidade de público. Foi recorde mas deu Mengo. E os maiores públicos em derby, tanto no Majestoso qto no Brinco, deu Ponte...

  • João da Teixeira
    04/07/2020 15:36

    Como imbecis, falamos e comentamos a pauta. A pauta era O ex jogador Dorival e eu comentei em cima da pauta é não posso , nos meus comentários,agradar a todos os bugrinos. Vcs ficam mudos em pautas bugrinas, o que dá a entender, que não sabem ou não conhece do assunto sobre seus time. Por sinal falam mais em pautas da Ponte do que nas bugrinos. O próprio Ari chamam sempre suas atenções a respeito disso, fala da Ponte, mas não fala do Gfc. Vcs querem que falamos o quê?

  • LÉO - PR
    04/07/2020 15:34

    meu deus como conhecer o trabalho sr Dori no guarani se quando nasci ele já tinha 42 anos

  • Mabilia
    03/07/2020 19:24

    Grande lembrança , mas, vc citou o Pedro Luiz, este sim o maior narrador do futebol brasileiro de todos tempos. Um monstro, andava com a bola na narração.

  • JHON
    03/07/2020 19:21

    Pena que o Ari censurou as minhas palavras dirigidas a esse Jão e que tb caberia a muitos "tios" ...a inveja dr vcs é tamanha e notória , pois sabem que NUNCA foram e NUNCA SERÃO.... JAMAIS SERÃO ! Em relação ao Luciano , excelente narrador , muito melhor que Galvão. Foi maís um que se foi sem gritar é CAMPEÃO. Aliás..gritou sim em 1978... com o maior do Interior. Deus o tenha.

  • Eugenio
    03/07/2020 19:20

    Estamos aki quietos esperando voltar o futebol, dai vem esses 2 imbecis falar mentiras sobre o Guarani. Pq incomodamos tanto, será inveja pois nunca ganharam nada ? O Guarani vem se recuperando e vcs estao na beira do precipicio, isso deve incomodar muito os associados. Aguardem, serie A2 a vista ! Nao queiram nos nivelar por baixo.

  • Eugenio
    03/07/2020 19:18

    Tio Lei, nao fale asneiras, o q vc escreveu é uma grande mentira, nao è fato coisa nenhuma, essa pesquisa nao existe. Pq vc e o Joao nao falam somente do seu timinho insignificante ? Fato é que que temos tido sempre mais publico pagante do q a aapp, o recorde de publico em Cps é nosso, isso sim é FATO e mede torcida de verdade, nao pesquisas inventadas.

  • DE ARI PARA JOÃO DA TEIXEIRA
    03/07/2020 19:15

    Prezado João da Teixeira, obrigado pela correção. A gente envelhece e troca as bolas. Citei exatamente o antônimo. Já fiz a correção no texto acima.

  • João da Teixeira
    03/07/2020 19:10

    Ari, um equívoco seu, a criação do Maguila ressuscitou o boxe brasileiro e não sepultou, como vc disse. Uma redundância, ao dividir a mesa do Programa Radar dos Esportes, a palavra oficial do esporte campineiro, Luciano só poderia ser pontepretano, não precisava nem comentar. Enfim, Luciano foi uma espécie de Midas, o que tocava, virava ouro. Ou seria Asclépio, o deus que ressuscita mortos e que foi morto por Zeus com um trovão, por ameaçar a ordem natural das coisas.

  • João da Teixeira 2
    03/07/2020 19:09

    Falando em "ameaçar a ordem natural das coisas", será que Luciano e muitos outros, como José Wilker, não ameaçaram a ordem natural das coisas? Ambos se apaixonaram por mulheres muito mais novas e eles nos estertores do vigor físico e porque não da idade. Será que não arriscaram muito ao assumir esse mimo? Talvez um alerta à população, que costuma "ameaçar a ordem natural das coisas", não só nas paixões com brotos, mas tbém nos esportes, exigindo mais do que o vigor físico pode.

30
JUN
Parabéns, Dorival Geraldo dos Santos, pelos 92 anos de idade

Envelhecer é bom. Envelhecer 'vendendo' saúde é ótimo. E assim envelheceu Dorival Geraldo dos Santos, um patrimônio do Guarani, que neste 30 de junho completa 92 anos de idade.

Claro que nesta circunstância singular, a coluna é totalmente dedicada a ele, o 'velho Dori'.

Lúcido e bem falante, como sempre, 'cola' na televisão para ver futebol.

Do Guarani no Paulistão, rasgados elogios para a performance da equipe no dérbi, notadamente no segundo tempo, quando daquela virada histórica por 3 a 2.

E sem perder o antigo hábito de acompanhar jogos com olhar de analista, até sugere ao pessoal do Departamento de Futebol Profissional do Bugre que fique de olho no jogador Saulo, autor de dois dos três gols do Volta Redonda na goleada por 3 a 0 sobre o Fluminense, no final de semana, na retomada do Campeonato Carioca.

Dori herdou integralmente o DNA de seu saudoso pai Adolfo dos Santos, que morreu aos 101 anos de idade, e por isso crê que ainda vai longe.

“Graça a Deus tenho boas pernas e antes da pandemia do coronavírus fazia caminhada no Bosque dos Jequitibás de terça-feira a domingo. Nesta semana voltei a andar pelos lados do Bosque São José”.

GOL DO ACESSO EM 49

Esse Dori em questão marcou o gol do primeiro ingresso do Guarani à divisão principal do Campeonato Paulista em 1949, em decisão contra o Batatais.

Foi ponteiro-direito do clube até 1964 para, incontinenti, se transformar em funcionário, ora como treinador interino por cinco vezes (1965, 66, 68, 76 e 77), ora como supervisor do amador e profissional.

A facilidade para distinguir 'jogadores promessas' fez dele um olheiro para o Guarani contratar jogadores.

Parabéns, Dori! Deus o conserve com saúde e como pessoa humilde e sincera.

  • mauricio
    03/07/2020 19:28

    Nunca mais teremos jogadores com Dorival conhecido como veinho,ou Dori ,falo isso porque conheço seu caráter ,onde trabalhou no Guarani a anos e não tinha cartas marcadas e nem esquema com empresários ..vcs torcedores do Guarani podem sim reverenciar esse Sr pois é brugrino da pele ate o osso ..Linda homenagem !1

  • João da Teixeira
    03/07/2020 19:17

    Na última frase, é uma pergunta que faço aos dois defensores, se há algum livro que posso consultar. Infelizmente, pelo sistema do blog, só 481 caracteres, não deu para por o ponto de interrogação. Esclareço isso, pois ficou a ideia de que ambos poderia ter um livro sobre o bugre. Vou só fazer duas perguntas. "Qtos campos o bugre teve em Campinas, antes de ficar sem nenhum? E o campo do Hipódromo no Bonfim, que possivelmente deu o nome ao clássico na época, era campo neutro?

  • João da Teixeira
    02/07/2020 23:45

    Tem gente que é bugrino só no período de "vacas gordas", no de "vacas magras" desaparecem, nem reconhecem quem realmente trabalhou pelo bugre qdo estava "no arroz somente". O bugre existiu antes de 1978, me parece que esse período é desconhecido da grande maioria. Sugeriria que lançassem um livro com a história do bugre desde sua fundação, pois o tempo ceifa a memória de quem ainda pode escrever e, os mortos, não tem mais como relembrar. Vcs dois, tem algum livro sobre o Gfc.

  • João da Teixeira
    02/07/2020 23:44

    Até que enfim apareceu dois para defender o histórico do bugre, mas ninguém se dignou a falar do Dorival, vieram para cima de mim. O aniversariante é o Dorival, falem alguma coisa, mas não falem de mim. Desculpe o trocadilho com o dito popular. Sim, Dorival ajudou muito o bugre, merece meus aplausos e vou sempre defender quem põe a mão na massa. Ele sim tem direito de meter o pau em mim, que fez tem o direito. O aniversariante está aguardando o reconhecimento do seu trabalho

  • JHON
    02/07/2020 23:43

    Então Srs...esse "Jão" sei lá de onde ( daqui a pouco vai dizer que é até da industrial e do parque tb ). E por falar em parque, o comentário dele não poderia ser outro , afinal o cara vive no mundo da fantasia , ou seria Neverland?

  • TIO LEI p/ João da Teixeira.
    02/07/2020 23:39

    Sempre foram MISTOS, São MISTOS e Nunca deixarão de ser MISTOS.É por isso que aquela pesquisa apontou 3%. Assim com infelizmente EXISTE ALGUNS mistos infiltrados na torcida PONTE PRETANA. Naquela pesquisa a IMENSA MAIORIA de PONTE PRETANOS se declarou PONTE PRETANOS e alguns poucos se declarou por outra agremiação. No caso bugrino aconteceu o inverso: A maioria se declarou para outro time. Isso é fato.

  • Eugenio
    02/07/2020 18:50

    Caro Joao, seu infeliz comentario mostra que vc nao sabe nada do Guarani, portanto nao escreva mentiras sobre nossa torcida, nosso historico ou nossos ex-atletas. Nao somos e nunca fomos torcida mista e temos sim grande orgulho de ex-jogadores que honraram a camisa do unico campeao do interior. Seus comentarios sobre o Guarani sao sempre tendenciosos e mal intencionados; nao invente so para denegrir a imagem do Guarani, limite-se a falar dos seus idolos, Monga, Pia, Tuta, Rui Rei, etc.

  • Tito
    02/07/2020 18:49

    João da Teixeira, vc se acha a ultima bolacha do pacote, metido a saber de tudo, inclusive o que sabe, o que pensa, o que sente e o que vive e viveu o torcedor bugrino, vc é o famoso voto de minerva, é o cara que sabe tudo e decide...se vários Dorivais fariam o Guarani diferente, pense vários Joãos da Teixeira, o mundo seria aquilo que o incrível Louis Armstrong cantou.

  • João da Teixeira
    01/07/2020 18:06

    Vejo um cidadão indignado, falando sobre o fechamento do Poupatempo no Correio Popular. Claro que pelo lobista dos empresários, o governador João Dória. Lembrem se dele na próxima eleição, apesar dele mesmo saber que não terá chance nenhuma e por isso faz esses estragos todo no Estado, sempre em prol dele e dos empresários abusivos de outrora. Nesse caso os despachantes, que deitavam e rolavam na época com um serviço ruim e caro. Será que ninguém enxerga essas coisas? Ô povinho

  • João da Teixeira 1
    01/07/2020 18:05

    A torcida bugrina não é tida a comentar sobre seus craques da velha guarda. Reforça aquela tese que os torcedores daquela época é ainda vivos, torcida para um grande da Capital e o bugre como time da cidade, os chamados mistos. É notório que a torcida bugrina de um time único surgiu a partir de 1978, por motivos óbvios. Dorival foi daqueles jogadores que ainda tinha amor ao time que o revelou, tanto que, com 92 anos, ainda participa ativamente das coisas bugrinos. Mais uns 5...

  • João da Teixeira 2
    01/07/2020 18:03

    Mais uns 5 Dorivais desses, com certeza o bugre não estaria na draga que está e nem tinha deixado perder o patrimônio, ou pelo menos, a sua "casa". Parabéns ao Dorival pela sua humildade e pela dedicação a ele próprio e a seu time do coração.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo