18
JUN
Apesar do individualismo, é justo citar três jogadas de Neymar que poderiam ter decidido

Gente, graças ao bom Deus, no meu travesseio não tem espinhos.

Havia me juntado ao coro da maioria para críticas ao individualismo em circunstâncias desnecessária do atacante Neymar, da Seleção Brasileira, no empate com a Suíça. E não as retiro.

Todavia, por questão de justiça, é preciso que reconheçamos, igualmente, três jogadas fundamentais protagonizadas por ele que mudariam os olhos das pessoas casos fossem convertidas em gols.

Primeiro: bola ‘acuçarada’ para o volante Paulinho marcar gol, mas ela passou perto do poste esquerdo da meta adversária.

Segundo: cabeçada que exigiu reflexo do goleiro Sommer, devido à curta distância.

Terceiro: mesmo com um bolo de jogadores à sua frente, teve lucidez para vislumbrar o meia-atacante Phellipe Coutinho isolado na área, e serviu-lhe com passe precioso. Se a jogada fosse bem concluída, lembrariam do passe excepcional.

Nos tempos em que era treinador, Jair Picerni repetia a cada entrevista que ‘futebol é resultado’.

Se a Seleção Brasileira tivesse vencido, certamente Neymar não levaria ‘tanta’ paulada. Recomendariam, apenas, para evitar abuso de individualidade distante da área adversária, e para que se preocupe também com o conjunto.

  • RMaia
    19/06/2018 18:11

    Neymar levou pancada porque segurou demais a bola querendo resolver o jogo sozinho, ao invés de fazer triangulações rápidas ou infiltrações em velocidade. Posso estar enganado, mas a excepcional partida de Cristiano Ronaldo colocou muita pressão em Messi e Neymar. E nesse domingo ele foi o mesmo Neymar individualista da era Dunga querendo mostrar que é mais craque que o CR7, ainda mais por ser um jogo de Copa. Ninguém vai ligar pro cabelo dele, desde que a bola seja em alto nível.

  • João da Teixeira
    19/06/2018 11:42

    Ué, não é que o Neymar "baixou o topete", pelo menos no corte do cabelo, porque mentalmente ainda não sabemos. É que contra a Suíça, tinham dez "canarinhos" e uma "cacatua de crista amarela" em campo. Parece que a superstição falou mais alto e ele, o Jr., resolveu tirar o topete. Mas será que baixou o topete mesmo? Quem não sabe, "abaixar o topete ou baixar o topete" é uma metáfora usado pelos antigos para uma pessoa agir mais humildemente, sem arrogância. Neymar, menos, vai!

17
JUN
Seleção rende aquém do previsto, mas valorize o trabalho dos suíços

Por volta das cinco horas da tarde deste domingo, quando o árbitro mexicano César Ramos apitou o final do jogo em que Seleção Brasileira e Suíça empataram por 1 a 1, na estreia de ambos na Copa do Mundo, de certo deve ter caído a ficha pra muita gente.

Torcedor brasileiro havia se habituado com o show em campo de seu selecionado, inclusive com vitória em amistoso sobre a poderosa Alemanha. Logo, projetou que próximos adversários seriam amassados.

Torcedor também ficou com antiga impressão daquela Suíça que montava um ferrolho defensivo e jogava por uma bola. Na prática já não é isso que ocorre.

E a boleirada brasileira foi pro jogo dando ‘tapa’ na bola, com natural projeção de que só no toque envolveria o adversário.

NEYMAR

Imaginou a individualidade de Neymar como diferencial para persistência do clima de vitória.

Na prática, o estilo moroso que o Brasil colocou em prática facilitou o trabalho de destruição de jogadas dos suíços.

O esperto treinador adversário, Vladimir Petkovic, dobrou a marcação sobre Neymar para que não andasse em campo.

Apesar de perder a maioria das jogadas, Neymar ignorou o conjunto e abusou indevidamente da individualidade.

Assim, ao recuperar a posse de bola, a Suíça sabia valorizá-la sobremaneira.

BURACO NO MEIO DE CAMPO

E essa capacidade de trabalhar a bola dos suíços colocou em xeque a estrutura de marcação que o treinador Tite havia adotado no meio de campo, com apenas um volante especialista em marcação - caso de Casemiro - e a desobediência tática de Paulinho que só queria avançar, e demorava para a recomposição.

Assim, deixava buracos no setor, visto que Willian e Phellipe Coutinho - embora recuassem - não têm capacidade para desarme.

Ficou o recado ao treinador Tite que, em desenho tático com essa semelhança, o risco será maior contra adversários mais qualificados.

Além da advertência para que Paulinho só avance quando a situação permitir, será recomendável, a partir da segunda fase, que Renato Augusto reforce o setor, mesmo que isso implique em sacar Willian da equipe.

De prático no primeiro tempo brasileiro, apenas o golaço do meia-atacante Phellipe Coutinho, que colocou incrível efeito na batida da bola, aos 19 minutos.

GOL ILEGAL

Era de se esperar que após o intervalo, em desvantagem no placar, a Suíça fosse se expor ainda mais, e com isso empurrou o Brasil para o seu campo defensivo.

Com aquele volume de jogo, a Suíça chegou ao gol de empate logo aos cinco minutos, em cabeçada de Zuber, após cobrança de escanteio.

Falhou o árbitro mexicano ao validar o gol, visto que Zuber empurrou claramente o zagueiro Miranda.

Ao ceder o empate, o time brasileiro se enervou e chegou a ser dominado pela Suíça.

A entrada de Renato Augusto, no lugar de Paulinho, serviu para melhorar um pouco a marcação. E a pressão brasileira nos 15 minutos finais teve mais a ver com cansaço dos suíços, prejudicados também com alterações daqueles que entraram em campo.

Com maior volume de jogo, o Brasil criou chances para empatar em cabeçadas de Firmino e Neymar, e gol perdido por Phellipe Coutinho cara a cara com o goleiro Sommer.

SÉRVIA E COSTA RICA

Se é que serve de consolo ao torcedor brasileiro, Sérvia e Costa Rica - próximos adversários - são técnica e taticamente mais fracos comparativamente à Suíça.

Se alguém duvida, então responda se em ambas seleções há pelo menos um jogador cujo nível se assemelhe ao atacante palmeirense Keno, que sequer consta na relação dos 35 nomes de brasileiros enviados à Fifa.

Logo, na projeção natural, equipes como Palmeiras e Grêmio seriam favoritas em confrontos contra os próximos adversários brasileiros.

Isso indica a obrigação dos comandados do treinador Tite de vitória.

  • Tito
    18/06/2018 21:59

    O jogo contra a Suíça deixou claro para aqueles que ainda tinham dúvida, técnico de futebol não escala time. Por isso o futebol ficou tão nivelado. As mudanças ocorrem sempre após os 20', e são sempre as mesmas. Bastava ver a cara do Tite com o mal desempenho do time brasileiro, mas ele não podia corrigir o problema do time, haja vista que o seo Neymar foi o grande problema com o seu individualismo exagerado. Esta vedete joga por imposição e não por opção tática.

  • Profeta da Tribo
    18/06/2018 21:58

    Excelentes comentários, tanto do Ari, quanto de Barba, RMaia e Teixeira. O que me impressionou foi a falta de organização tática, especialmente no segundo tempo. O Brasil deu muito espaço e teve dificuldades de criar. No primeiro tempo, parecia que as tabelinhas entre Neymar e Coutinho dariam certo. Mas elas não se repetiram no segundo tempo. Danilo é bastante limitado também. Gabriel não está pronto para assumir a 9 da selação. Preocupante.

  • marcelo
    18/06/2018 21:56

    olha... se voces prestarem atençao na hora do hino, a gente ja sabe quem ta afim ou nao....neymar, marcelo, willian estavam preocupados com seus penteados.... fernandinho, adora arriscar chutes de longa distancia, porem acho que ele nunca fez um gol dali....o nosso goleiro estava dentro do gol, um passo a frente, ele pegaria a bola... tem que avisar , que copa do mundo e diferente de amistosos...

  • João da Teixeira
    18/06/2018 11:36

    Belo comentário, sobretudo sobre Neymar Jr., junior mesmo, porque vendo que estava sendo impiedosamente marcado, deveria distribuir mais a bola para seus parceiros e não ficar segurando a bola como ficou, em detrimento da equipe. Então foi isso, o velho Neymar voltou a ser o individualista de outrora, da era Dunga, entre outras eras. Paulinho achou que podia desguarnecer e sair em todas. Willian, Firmino, Fred e o tal Gabriel de Jesus, para mim não são jogadores de seleção.

  • João da Teixeira
    18/06/2018 11:36

    Acorda Tite, já estão mandando em vc. como fizeram com o Zagalo na Copa de 1970 e Parreira em 1984. Em 1970 o times era bom, deu certo. Em 1984, o time era razoável, deu sorte. Espero que esse time não caia na armadilha que o time de 1982 caiu, achando que era imbatível e acabou se dando mal. mal para a time e mal para a torcida. Que decepção! Se bate fácil na Suíça, já estaria pensando na final. Como só se deu razoavelmente, se o time assimilar isso, temos chances com cegos.

  • RMaia (1)
    18/06/2018 11:34

    Ari, o Brasil não jogou bem, pecou na defesa no único lance de perigo e no individualismo de Neymar. Paulinho, Gabriel Jesus muito abaixo, não entendi porque entrou Renato Augusto - voltando de lesão e fora de ritmo e não Douglas Costa. Saída de Casemiro foi por medo de tê-lo expulso. Firmino sem tempo pra mostrar algo. Quanto aos lances polêmicos, o mais fácil, não foi pênalti, Gabriel já dobra as pernas no início da jogada aguardando o contato do defensor, malícia de atacante.

  • RMaia (2)
    18/06/2018 11:33

    No segundo lance - gol da Suíça, a defesa brasileira atua em zona, nesse caso o goleiro só sai socando a bola se ela vier já próxima a linha de gol, caso contrário, pode trombar com um defensor, então não houve falha do goleiro. Miranda e Thiago Silva fazer a linha defensiva, nenhum jogador atacante deve penetrar aquela região, repare que são 7 defensores brasileiros e 2 suíços, o jogador da Suíça vai caminhando e se posiciona na frente de Thiago Silva, o que não podia acontecer.

  • RMaia (3)
    18/06/2018 11:29

    Thiago Silva deu um espaço que não podia e permitiu que o atacante furasse a "zona" e quando isso acontece quase sempre é gol. A falha do gol tomado foi aí. Miranda estava cobrindo a 1a trave, chega a se afastar e até toca no atacante pra se posicionar, mas recebe um toque, que ao meu ver sempre acontece em todos os lances de cabeceio na área e a arbitragem não marca e não marcará nem com o tal VAR.

  • RMaia (4)
    18/06/2018 11:28

    O que não me surpreendeu em nada foi a rápida entrada em campo das "fadas sininhos" da imprensa - em particular os daquela emissora global que é parceira comercial da CBF no torneio - justificando o mal resultado não pelo pífio futebol apresentado, mas pelos erros da arbitragem, até citando um erro do VAR inexistente no jogo da França. Se o México não vacilar, deixará a Alemanha no 2o lugar e o 1o mata-mata será (se o Brasil for o 1o do grupo, mas será mesmo???) Brasil e Alemanha.

  • RMaia (5)
    18/06/2018 11:28

    2o jogo projeto que a Costa Rica vai entrar em campo pra não perder e lutará por 1 bola em contra-ataque, logo esquema 10 - 1, resumindo vem aí uma baita retranca. Solução clássica, jogadas rápidas pelas laterais e nas triangulações para criar vazios na defesa. Problemas, excesso de individualismo e chuveirinhos na área, se o gol não sair e o tempo for passando e aí o nervosismo tomará conta da equipe. Qualquer resultado que não seja a vitória será desastroso.

  • RMaia (6)
    18/06/2018 11:27

    Analisando a partida dos jogadores considerados "bolas de ouro" da Fifa na 1a rodada, pra mim Messi e Neymar foram decepcionantes, Messi até pênalti perdeu e pouco fez durante a partida. Neymar foi pelo mesmo caminho, sucumbiu a marcação e pecou pelo individualismo. Agora o "cara" mesmo é o Cristiano Ronaldo. Ele já tinha carregado Portugal na Eurocopa e contra Espanha foi muito, muito acima média, na melhor partida da Copa. Se mantiver o ritmo sem dúvida será o MVP do torneio.

  • Barba - Tite, o que deu errado?
    18/06/2018 11:26

    O jogo valeu para algumas considerações: 1) O Tite ainda não ganhou nada é já estava com muita soberba, querendo ensinar o mundo a jogar futebol; Neymar tambem ainda é um projeto de craque (Não me lembro de Zico, Rivaldo, Ronaldo, Ronaldinho, Pelé e outros com tanta firula sem ter ganho nada; 3) A CBF recebeu o troco por ter traido uma combinação e ter votado contra...

  • Barba - Tite, o que deu errado? 2
    18/06/2018 11:26

    1) O goleiro falhou sim - a unica bola que foi debaixo do gol e ele não saiu. Estava preocupado com o novo contrato com o Real. 2) Miranda e Tiago tambem falharam! Aliás, quem tirou Marquinhos desta zaga? 3) Tite é mesmo um paneleiro - Entrou com seus "amiguinhos ex corinthians" que nada produziram - Renato Augusto sem treinar, Paulinho perdido, só faltou entrar com Fagner de muleta....

  • Barba - Tite, o que deu errado? 3
    18/06/2018 11:25

    Mas no final a derrota vai servir para uma grande reflexão! O Tite deve baixar a soberba; Neymar vai ver e rever suas firulas e deve passar a jogar mais para o time; O Tite não vai dormir direito e deve escalar os melhores e não só seus amigos; Douglas Costa deve ser uma ótima opção.... Vai Brasil - Perdeu na hora certa!

  • João da Teixeira
    18/06/2018 11:14

    Estive em local fora da internet, pois é a Ponte virou sarapatel na mão dos alagoanos. ah coitada! Pelo resultado, foi flertar com a turma de baixo. E fica esperta, pois a coisa vai piorar. A pobreza da série B nos permite esquecer dela e ir para a Copa do Mundo que vem mostrando futebol mais atraente. Fora os 5x0 do jogo da Rússia x Arábia, do Irã x Marrocos e do jogo água com açúcar da Costa Rica x Sérvia, o resto foi bons jogos de assistir pelo futebol ou pela emoção.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo