12
JAN
Feliz 2021 para Guarani e Ponte Preta

Que este 2021 já em curso traga novos ares para bugrinos e pontepretanos! Se é que ainda havia sonho de um final de janeiro irradiante para ambos nesta Série B do Campeonato Brasileiro, a página que escreveram nesta segunda-feira foi uma espécie de água no chope.

Por isso faz sentido o título acima em que se deseja um 2021 diferente para Guarani e Ponte Preta.

Para o bugrino não ficou aquela amargura, até porque o time superou a expectativa do mais otimista, desde a chegada do treinador Felipe Conceição.

E em termos de planejamento está à frente da rival, pois lançou garotos e tem o pleno diagnóstico da necessidade de contratações pontuais que se encaixem numa filosofia bem definida.

Já a Ponte Preta, em crise financeira, terá que se reinventar para se desfazer de jogadores que sabiamente não se ajustaram no elenco, e assim criar alternativas para trazer outros que acrescentem.

COVID

Torcedor bugrino já esperava pelo pior quando foi informado que dez integrantes do elenco desfalcariam a equipe diante do CRB na noite desta segunda-feira em Maceió (AL), a maioria por ter contraído Covid-19.

Disso se aproveitou o adversário para vencê-lo por 2 a 0, resultado que o deixa com 48 pontos, sete distante do terceiro colocado e quatro de CSA e Juventude.

Como a boleirada vai continuar desfalcando a equipe contra o Cuiabá no Mato Grosso, como acreditar que a equipe vai ganhar os quatro jogos restantes e que os concorrentes diretos não suplantem 59 pontos?

PRIMEIRO TEMPO

Se mesmo com escalação de time remendado o Guarani foi a melhor de que o adversário durante o primeiro tempo, há quem questione por que houve queda de rendimento após o intervalo?

Há duas explicações lógicas sobre isso.

Primeira: nem todos jogadores reservas se motivam para aprimoramento da condição física. Logo, quando se juntam numa mesma equipe, é natural que alguns deles manifestem desgaste maior no transcorrer do jogo.

Segunda: jogador reserva, quando repentinamente ganha chance, nem sempre sabe dosar, e por vezes corre exageradamente para mostrar serviço, desconsiderando que sem ajuste do conjunto aumenta a incidência de erros de passes, com exigência de recomposição e desgaste físico.

Faltou coordenação aos reservas do Guarani
Faltou coordenação aos reservas do Guarani

SEGUNDO TEMPO

Portanto, seria praticamente impossível, no segundo tempo, o Guarani repetir o nível de competitividade mostrado no primeiro, principalmente porque o jogador que dinamizava a equipe - meia Murilo Rangel - cansou. Justo ele que acertou a trave do goleiro Edson Mardden.

Não bastasse isso, apesar das escassas opções para escolha de quem começaria a partida, dois erros na escalação ficaram claros.

Mais vale optar por um garoto da base de que improvisar o lateral-direito Cristóvam na zaga central.

Podem colocar na conta dele o segundo gol do CRB. Ao tentar cortar a bola e falhar, possibilitou que Lukão servisse Bill, que não perdoou aos 43 minutos do segundo tempo.

Se Bidu tem pedido substituições na metade do segundo tempo, por que queimar eventual alteração ao escalar o também lateral Eliel mais avançado?

Aí ambos foram substituídos e recorreram ao fraco Erick Daltro no lugar de Bidu.

GUM

Com 'reservaiada' em campo, não houve coordenação de quem marcaria zagueiros do CRB que iam à área bugrina na bola aérea ofensiva.

Assim, deixar incumbência para o lateral Bidu disputar pelo alto com o zagueiro Gum é desproporção. Isso resultou no primeiro gol do time alagoano, após cobrança de escanteio e testada no canto direito do goleiro Rafael Pin, aos 29 minutos.

Enquanto a comissão técnica do Guarani também errou, o treinador Roberto Fernandes, do CRB enxergou o jogo.

No segundo tempo optou pela escalação de um lateral-direito marcador - caso de Lucas Mendes - para coadjuvar Reginaldo Lopes na marcação, e assim conseguiu fechar as principais jogadas criadas pelo Guarani, com participações de Rangel e Bidu. .

Com Bill em campo, aberto na ponta-esquerda no time do CRB, foram inibidos os avanços do lateral Ludke. Assim o CRB passou a controlar o jogo.

  • João da Teixeira
    12/01/2021 22:14

    Canal da TV portuguesa crava a saída de Ceni do Mengo, após jogo contra o Goiás e o técnico português Ruy Porto é o favorito a assumir o posto no ninho do urubú. Pedra cantada, Ceni criou muita confusão com seus comentários para livrar sua barra. Os técnicos brasileiros estão em baixa por aqui. Os dirigentes estão "porraquí!", já plagiando o humorista Orlando Drummond, o Seu Peru, da Escolinha...

  • Herald
    12/01/2021 22:13

    A molecada lutou, mas saiu derrotada de Maceió. Resultado previsível, considerando os 10 desfalques do time que, mesmo completo, tem muitas deficiências, como a quantidade de presentes que a defesa dá ao adversário na maioria dos jogos e a ausência de bons atacantes finalizadores. Como falo há tempos, mais uma vez Cristóvam mostrou lentidão e falta de preparo físico, falhando novamente, Deivid deixou a desejar e Giovanny foi nulo outra vez.

  • Herald II
    12/01/2021 22:12

    Com a possibilidade de acesso praticamente descartada e o Paulistão chegando, pra não ficar de novo com a xepa, é preciso iniciar logo o ciclo de contratações de atletas que se enquadrem no orçamento do clube e no estilo de jogo praticado. Avaliar a situação de Deivid e Waguininho e liberar Rafael Pin, Cristóvam, Romércio, Giovanny, Rafael Costa, Todinho, Erick Daltro, Lucas Abreu etc

  • Léo - Pr
    12/01/2021 19:36

    Concordo com o parceiro bugre sempre,esperamos que esse ano esses caras não venha com essa conversa outra vez,chega tamos três ou quatro anos ouvindo isso primeiro fazer 45 pontos depois pensar em coisa maior que nunca vem, não tem capacidade pede pra sair esses dirigentes pensa pequeno de mais,e tem sempre torcedor batendo palma por não cair achando o máximo.

  • Léo - Pr (1)
    12/01/2021 19:35

    Nosso diretor deve estar de braços cruzado só viajando com time satisfeito com o não rebaixamento achando que fez grande coisa o paulistão está aí era hora desses caras ter acertado com pelo menos três ou quatro jogadores que se destacou, é a cara deles dizer que vai fazer contratação pontual coisa e tal e nada acontece, Anderson Conceição que belo zagueiro não deve continuar no Cuiabá,Pedrinho e Fábio do oeste será que vão jogar A2 Guilherme meia do confiança..

  • Léo - Pr (2)
    12/01/2021 19:35

    Logo esses jogadores estão empregado em outro clube eles dizendo que o mercado tá agitado muita procura jogador valorizado sempre as mesma desculpa,aí começa trazer um monte de volantes, começamos com oito ou nove volantes tamos terminando o campeonato com zagueiro na posição veja quanto dinheiro jogado no lixo,e depois os cara vem dizer que aprende com os erros, será mesmo vamos aguardar mais não acredito muito nesses pilantras.

  • Luiz Otto Heimpel
    12/01/2021 19:32

    Fomos ate longe demais com o elenco que tinhamos. Agora e fundamental mantermos o tecnico e fazer as dispensas que todo bugrino sabe e contratar alguns reforcos ( para titularidade e nao apostas) para termos um ano positivo

  • Luiz Otto Heimpel
    12/01/2021 19:32

    Obrigado pelo “moco” Tio Lei, mas pode ter certeza que tenho mais idade que voce. Amo tanto o Guarani quanto voce ama a Ponte e nos dois sabemos da importancia que esse amor tem nas nossas vidas. Vamos torcer para que esse ano os dirigentes facam menos “cagadas” e que possamos ter um ano futebolistico com mais alegrias que tristezas.

  • João da Teixeira
    12/01/2021 19:31

    E o Paulistão não vai ser moleza. Já está batendo às portas. A classificação será dentro dos grupos de cada um, não se jogando contra os mesmos dos seus grupos, mas jogando contra times dos outros grupos. Ponte está no Grupo B com São Paulo. Ferroviária. São Bento e bugre no Grupo D com Santos. Mirassol. São Caetano. Os demais times em comum que jogarão são Corinthians. Santo André. Inter de Limeira. Botafogo-SP. Palmeiras. Red Bull. Novorizontino. Ituano. Ponte entra tropega...

  • Marcio
    12/01/2021 13:54

    Sem desculpa de covid, de que faltaram 10 jogadores, o CRB tinha que vencer para afastar de vez o perigo de rebaixamento. Deixou o Paraná e Náutico virarem em casa, o Sampaio empatar no último minuto de penalti e ficou no 0x0 com o Brasil em baixa na época, lembrando lógico que era o Carpini o técnico, então o não acesso começou lá atrás...

  • Bugre Sempre
    12/01/2021 13:53

    O Guarani, jogou no lixo tanto a boa performance no Paulistão, antes da epidemia, como agora, a possibilidade de ascesso. Precisamos acabar com a mentalidade de sei contentar com a permanência. Jogadores e técnicos tem que ser cobrados, pela decadência nós últimos jogos, no Paulistão e Série B. C Tomaram gols de escanteio os campeonatos todos, e, problema não foi corrigido. Goleiros inseguros, zaga entregando,vide últimos jogos. E o pior o contentando da equipe e diretoria.

  • Amorim
    12/01/2021 13:52

    Ari precisamos ser claros , o Guarani fez quase o Impossivel ao escapar da degola com muitos " jogadores Limitados " e alguns que vieram só para fazer Turismo em Campinas . quantos jogos fez o Todinho ? quantos jogos fez o Wagninho ? precisa contratar pelo menos 8 jogadores razoaveis já que não tem grana prá contratar os Bons. Quanto a Ponte pode erguer as mãos para o Céu e agradecer por não perder para o Cuiabá que foi muito mas muito superior durante todo jogo .

  • Léo - Pr
    12/01/2021 10:18

    Ari mesmo com tantos desfalques ouve ero sim na escalação eu defendia a volta do Cristóvão mais não como zagueiro já e fraco na posição dele zagueiro então,outra vez Rickson não tem condições de jogar no Guarani e aguarde vai ser ponto de atrito entre treinador e torcida no paulista tá clara a preferência dele pelo jogador, Eliel tbm é fraco tem entrado com frequência mais não vi um jogo que mostrasse alguma coisa.

  • Profeta da Tribo
    12/01/2021 10:17

    Valeu, Guarani. Sair de 19 e brigar pelo acesso na reta final, alimentando a esperança da torcida, foi um grande feito. Jogar um futebol para frente, vertical, que busca o gol, foi ótimo. Trazer jogadores da base ao time de cima e trabalhar para lapidá-los e consolidá-los, foi maravilhoso. Vejam a evolução do Renanzinho e o bom desempenho do Ludke. Esses dois vão nos dar muitas alegrias ainda, vão crescer mais e mais. Matheus Souza também. Vamos nos preparar, porque 2021 promete!

  • Léo - Pr
    12/01/2021 10:14

    Uma das mudanças a ser feita no Guarani e troca dessa defesa contratar zagueiros que preste porque foi sofrido essa série B com uma defesa que só faz merda, não fez uma partida segura mesmo quando não levamos gol,empates contra figueirense e ponte que tirou o Guaraní do páreo vamos ver a capacidade dos nossos dirigentes para esse ano.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
11
JAN
Acabou! Reformulação já, viu Ponte Preta!

Até aquele pontepretano cético em relação as chances de acesso de seu time nesta Série B do Campeonato Brasileiro arregalou os olhos e passou a acreditar em reviravolta quando aos 35 minutos do segundo tempo o lateral-esquerdo Yuri foi ao fundo do campo, cruzou a bola no segundo pau, para testada com estilo de Orobó.

Era um 2 a 1 sobre o Cuiabá, na tarde/noite desta segunda-feira em Campinas, que colocaria a Ponte Preta decisivamente no páreo, mas como acreditar num time que frequentemente falha?

Acreditem: zagueiro Luizão e volante Barretos foram driblados pelo atacante Jenison, do Cuiabá, de forma quase idêntica quando passaram lotados na jogada do garoto Matheus Souza, do Guarani, no dérbi de terça-feira passada.

A diferença é que o atacante bugrino chutou a bola na lua, enquanto Jenison, ao repetir os mesmos dribles na corrida, chutou a bola rasteira e defensável, com falha do goleiro Ygor Vinhas, sem elasticidade para a defesa.

Justiça seja dita: conta a favor de Luizão ter salvado gol do Cuiabá em cima da risca fatal do atacante Elton, no mesmo lance em que Vinhas defendeu milagrosamente chute de Anderson Conceição.

MEIO DO CAMINHO

O resultado de 2 a 2 deixa a Ponte Preta no meio do caminho, pois com 48 pontos seu limite passa ser de 60 na hipótese de ganhar todos os jogos restantes.

Já o Cuiabá, agora com 55 pontos, continua no páreo visando acesso nesta Série B do Brasileiro.

Bem ou mal, o treinador João Brigatti havia deixado uma gordurinha na passagem pelo Ponte nesta Série B.

Com a chegada do sucessor Marcelo Oliveira, sequer competitividade o time demonstrava em campo.

CINTURÃO DE MARCAÇÃO

Aí, no pré-jogo o treinador Fábio Moreno tem definido estratégias que se ajustam às limitações do elenco, ampliando-se o cinturão de marcação, e tentativa de opção de contra-ataques.

Tem lógica o esquema porque a Ponte não tem saída de bola qualificada da defesa, exagera no chutão, e quando presume-se que a bola vai ser trabalhada, são frequentes os desperdícios de lances até com jogadores mais qualificados como o meia Camilo e Bruno Rodrigues.

CUIABÁ ATACA

Ao estudar as deficiências da Ponte, o Cuiabá contrariou suas características em jogos fora de casa - quando prefere o contra-ataque - para propor o jogo.

E por ser um time mais ajustado, consegue trabalhar a bola até as proximidades da área adversária, porém peca pela lentidão.

Neste duelo, o estilo imposto favoreceu o trabalho de recomposição da Ponte Preta, que mesmo sem consistência ofensiva chegou ao gol aos 24 minutos, quando Guilherme Pato cruzou, lateral-esquerdo Romário perdeu a disputa de cabeça para Bruno Rodrigues, em lance que o goleiro João Carlos poderia ter espalmado a bola, mas tentou segurá-la e deixou que ela ultrapassasse a linha fatal.

CAMILO

Além de ter destoado nas últimas partidas da Ponte Preta, Camilo teve a bola do jogo para ampliar a vantagem aos 32 minutos, quando ficou cara a cara com João Carlos e chutou nos pés dele.

Apesar do gol marcado, Bruno Rodrigues errou a maioria das jogadas, com o agravante que Pato foi absorvido pela marcação, valendo-se apenas do desdobramento na marcação, até cansar.

Por isso, mesmo com a vantagem, faltou 'estrada' para o treinador Moreno observar que precisaria trocar peças ainda no intervalo, provavelmente fechar mais o meio de campo com outro volante no lugar de Pato.

Como isso não foi feito, foi aumentando o volume de jogo do Cuiabá, até a finalização de Marcinho e a bola desviar na perna de Luizão e trair o goleiro Ygor Vinhas, aos nove minutos: 1 a 1.

Apesar da maior presença ofensiva do Cuiabá, o gol de Orobó reacendeu a esperança pontepretana, mas além do time ter cedido o empate em seguida, ainda correu risco de derrota quando Maxwel perdeu gol feito.

REFORMULAÇÃO JÁ

Como o Paulistão 2021 bate as portas, recomendável é que Fábio Moreno volte os olhos para a preparação da equipe visando a competição.

Embora tímido na marcação na maior parte do jogo, outras chances deveriam ser dadas ao lateral-esquerdo Yuri.

Que se dê pelo menos uma chance para o zagueiro Léo, a fim de que seja avaliado.

Há quem diga que é impossível ser tão deficiente como Luizão e Wellington Carvalho.

Que se aproveite os quatro jogos restantes para se dar oportunidade ao garoto Pedrinho, da base, que no pouco tempo que atuou mostrou lampejos.

  • Jose Ricardo
    12/01/2021 01:05

    Nada a comentar sobre o jogo de hoje. Desse elenco só se salva o Bruno Rodrigues e Apodi pela entrega em campo. Pro resto da temporada, desse elenco muito poucos servem pra compor elenco e a grande maioria será dispensada sem deixar saudades. Esperamos a volta do Ivan, porque Ygor Vinhas mostrou que é um bom reserva. Espero que Alex Brasil tenha autonomia para contratar um treinador e um elenco compatível com o orçamento disponível e condizente com o anseios da torcida.

  • Luiz Otto Heimpel
    12/01/2021 01:05

    Agora que os dois times empacaram,o Guarani gastando pouco mas pagando em dia e a Ponte gastando muito e nao conseguindo pagar, posso dizer que vou visitar a sala de trofeus do Guarani enquanto o Tio por nao ter essa sala vai tomar um calmante para aplacar a onveja que ele sente do unico campeao de Campinas.

  • João da Teixeira
    12/01/2021 01:04

    Se acabou para Ponte, se a Ponte foi despachada, deve ter ocorrido o mesmo com o bugre, né? Deve ter acabado para o bugre e despachado tbém, por sinal bem melhor despachado, certo? Os dois com 48 pontos, 4 pontos da 4° vaga podendo ficar pior. Estranhei.a queda bugrina agora, algo ocorreu, inclusive coincide com o papo furado do Conceição, promovendo base etc etc... A Série B vai pesar esse ano.

  • TIO LEI
    11/01/2021 22:14

    Só concordando com aquele moço e reiterando que em seu passado houve aquela conquista, e merecida por sinal, ela não se apagará na história, assim como também não será apagado o vexame em ter o título de DECA REBAIXADO, batendo o RECORD DE REBAIXAMENTOS no menor espaço de tempo; a greve das cozinheiras; os cortes de água e energia; o jogar de favor naquele campo que um dia lhes pertenceu e essa mesma história irá registrar o BUUUUMMMMM, que também não se apagará.

  • TIO LEI - I
    11/01/2021 22:13

    Obrigado Cuiabá por antecipar aquilo que alguns ainda teimavam em acreditar ser possível. ACABOU, C'est fini, finalmente livres da agonia. Agora queremos ver realmente "a cara" do "diretor" que arrebentou com o Paraná. Será que ele teria peito para iniciar DESDE JÁ a limpeza no elenco? Nossos "garotos" da base, ao que parece NÃO POSSUEM CONDIÇÕES TÉCNICAS para disputar o Paulistão. Qual será a "espinha dorsal" que ele alardeou? O planejamento já deveria estar previsto ...

  • TIO LEI - II
    11/01/2021 22:12

    ... e pronto para ser colocado em prática. Será que agora veremos "a cara" desse diretor? Não vou comentar sobre o jogo e sobre as "peças raras" desse elenco, afinal, todo jogo é a mesma coisa, e como já comentei sobre vários durante esta triste jornada, eu estou me tornando repetitivo, pois NADA MUDOU desde a era Brigati. Trocaram-se as moscas, mas a m... continua a mesma. Mais triste é saber que mais uma vez o planejamento e a montagem do elenco estará nas mãos ...

  • TIO LEI - III
    11/01/2021 22:12

    ... de um diretor que sabidamente veio como MAIS UM FANTOCHE, NÃO ESTANDO CAPACITADO para a função que exerce e terá um treinador que está "engatinhando" na profissão não possuindo o Know How para definir quem deve ou não ser contratado. Portanto, não é preciso ser profeta para vislumbrar que penaremos tenebrosa e perigosamente neste Paulistão.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo