16
NOV
Foi pênalti, Guarani mereceu vencer, e já ultrapassa a Ponte Preta

Sem bairrismo, sem nada. Acertou o árbitro do Rio de Janeiro Pathrice Wallace Correa Maia ao assinar pênalti do goleiro André Luiz, do Operário (PR), sobre o meia Rondinelly, do Guarani, que repetiu atuação convincente.

No primeiro lance de fato o goleiro tocou primeiro na bola, mas no desdobramento puxou claramente a perna do jogador bugrino, e não há o que contestar.

Aí, aos 33 minutos, o atacante Diego Cardoso bateu forte, rasteiro, no canto esquerdo, e assinalou o gol da vitória do Guarani, que serviu igualmente para garantir, com duas rodadas de antecedência, a permanência no Campeonato Brasileiro da Série B.

E mais: com a vitória deste sábado à tarde em Campinas, o Guarani ultrapassou a Ponte Preta na classificação. Ambos estão com 44 pontos, mas o Bugre se prevalece no critério número de vitórias.

INQUESTIONÁVEL

Foi na prática uma vitória inquestionável do Guarani, que soube se superar, exercer forte marcação quando perdeu o volante Marcelo, por expulsão, aos 15 minutos do segundo tempo, e praticamente não permitiu espaço para infiltração do adversário, que tocou a bola de forma infrutífera no ataque.

A rigor, após o intervalo, mesmo quando não tinha um homem a menos o Guarani desistiu do jogo ofensivo e se preocupou em administrar a vantagem.

Todavia, excetuando os dez primeiros minutos do primeiro tempo, marcado por sonolência, o time bugrino dominou inteiramente o time adversário naquele período.

Claro que no início contou com a sorte de o Operário ter desperdiçado chance de ouro através do meia-atacante Rafael Chorão, que quase da marca de pênalti isolou a bola.

Naquele espaço o goleiro Jefferson Paulista, atento, praticou defesas em finalizações de Índio e Marcelo.

Pronto. Aí o Guarani impôs volume ofensivo e por quatro vezes ameaçou a meta do Operário, uma delas com o volante Jardel salvando cabeçada do zagueiro Luís Gustavo quase em cima da risca fatal.

VALORIZAR A BOLA

Ao entrar em campo o Guarani repetiu o estilo praticado desde que o treinador Thiago Carpini assumiu a equipe: valorização da posse de bola.

Assim, até atingir a intermediária adversária, a orientação é o passe para o companheiro desmarcado, para se evitar o erro. Na impossibilidade, a clara opção é recuo de bola até a espera de situação propícia à evolução da jogada.

Claro que quando se constata atacantes, meias ou laterais em condições de receber lançamento, aí é permitido a ousadia, mesmo que custe interceptação do adversário, o que ocorreu na maioria das vezes.

Enfim, essa foi a fórmula que o Guarani encontrou para a somatória de pontos, a fim de que saísse da encruzilhada em que havia se metido.

MARCELOS DECEPCIONAM

Os dois Marcelos adversários, que estiveram em campo, decepcionaram.

O volante bugrino até que correspondia na marcação, mas foi inadmissível aquela entrada violenta sobre o lateral Maílton, que resultou em expulsão.

Por sorte os seus companheiros se desdobraram em campo e supriram a composição do time com um homem a menos.

Já o principal jogador do Operário - o meia Marcelo - ficou incomodado com a dura marcação e sequer rendeu metade daquilo que é capaz.

Sem espaço pra progredir nas jogadas, no segundo tempo optou por atuação na zona morta do campo, na beirada pelo lado direito, e dali procurou enfiar bola, rechaçada pela marcação bugrina.

Lateral Maílton, que pauta por incursões em velocidade, também ficou devendo. Não criou uma jogada com objetividade.

  • João da Teixeira
    17/11/2019 23:37

    Tanto Ponte como o bugre devem fechar para balanço e sabe Deus o que vão ser em 2020, Paulista e Série B. Será que irão ficar Kleina e Carpini? Acredito que Carpini seria uma boa opção para o dois clubes. Não acredito que Kleina fique, Carpini saiu valorizado, porque conseguiu levantar a draga bugrina do buraco do areieiro e olha que isso não foi fácil. Fechar para balanço é unanimidade no seio de ambas as torcidas. Que venha 2020. Sábado teremos decisão da Libertadores...

  • João da Teixeira
    17/11/2019 23:36

    Mengão iluminado, Lázaro iluminado, virou duas partidas contra França na semifinal e agora contra o México e de presente levam a taça da Copa do Mundo do sub17...

  • Ruz
    17/11/2019 23:36

    Ainda bem que já escaparam porque os próximos jogos são de doer .

  • João da Teixeira
    17/11/2019 23:36

    Ari, vi o lance do penal que originou o gol do bugre. Já vi penais bem mais convincentes. Esse aí não foi penal nem aqui nem na China, mas não faz a menor diferença, não precisa nem brigar. Coitado de nós, pontepretanos, que precisamos achar alguma coisa palpável para justificar a ruindade do nosso time rôto, por estar atrás do rival time rasgado...

  • DE ARI PARA JHON
    17/11/2019 23:35

    Prezado Jhon, seja bem-vindo ao blog, mas infelizmente tive que editar a sua postagem por causa de ofensa a uma pessoa não devidamente identificada. Sugiro a todos que voltem com espírito desarmado. Vamos dar parcela de contribuição visando acerto dos dirigentes. Todos nós queremos que os times de Campinas estejam em situações melhores.

  • Jhon
    17/11/2019 23:29

    Muito tempo ausente aqui. Sou bugrino da pele até o osso... queria ressaltar duas coisas: Concordo com um aí : não ganhar do time da linha do trem , vai ganhar de quem ?? Outro comentário : Ortiz , você é um ..., diante da colocação em seu comentário na sua coluna. Foi um milagre o Bugre não ter caído?...e pare com utopia! Ano que vem, com essa política, estará bom demais se permanecer na B. Quanto aos nunca serão... já sabemos o final..

  • Luiz da Farmácia
    17/11/2019 15:35

    Que vergonha - De novo o GFC é ajudado pelas arbitragens. Não foi pênalty! Mas derbi é com a macaca!

  • Herald
    17/11/2019 15:35

    Parabéns, Carpini. Em 3 meses de trabalho conseguiu reverter o desastre causado pelo presidente anterior e dirigentes incapazes ou sem autonomia, que cometeram toda a sorte de erros na contratação de técnicos fracos e jogadores tecnicamente questionáveis, desconhecidos, em fim de carreira (bois cansados), sem condições físicas, com lesões crônicas, ou seja, aqueles refugos que ninguém quis. Parabéns também ao atual presidente. A partir de hoje,planejar 2020, com mais competência.

  • Barba
    17/11/2019 15:34

    Ari , não foi penalti não! Foi o 7o pênalty inexistente marcado para o GFC este ano. Senão estariam amargando novo rebaixamento. Aliás, procure na WEB - Maior rebaixado do século e vergonha da Cidade, e ainda só 3%.

  • Luiz Otto Heimpel
    17/11/2019 15:34

    Parabens ao Caroini e a alguns jogadores Agora mudancas profundas de jogadores e pensamento.Vejam o exemplo do RBBraganca ( Ferroviaria seguindo pelo mesmo caminho) Sera que o pessoal de Braganca prefere o antigo Braganrino ou o novo mesmo com o R B no nome? Nada e melhor do que vitorias

  • Tony
    17/11/2019 15:32

    Foi um ano para Campinas esquecer. Futebol dos 2 times uma vergonha. Limpeza geral nos elencos e pé no chão. Y2

  • ARIOVALDO ZANELLI (1)
    17/11/2019 10:57

    PONTEPRETANOS E BUGRINOS, ANO DE 2019 TIVEMOS UMA LIÇÃO SOBRE A ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E COMANDO TANTO NA ADMINISTRAÇÃO E NO FUTEBOL. O FUTEBOL PARA MIM ERA UM RELAXAMENTO, ALEGRIA, DIVERTIMENTO. HOJE É UM SOFRIMENTO. MEU CARDIOLOGISTA (PONTEPRETANO) FALOU ASSIM QUER: VIVER ESQUEÇA A PONTE PRETA. ISTO É PARE DE ASSISTIR OU OUVIR JOGOS, PODE TER ENFARTE...

  • ARIOVALDO ZANELLI (2)
    17/11/2019 10:57

    ... HOJE SOMENTE ASSISTO MELHORES MOMENTOS DO JOGO DA PONTE PRETA. É DE CHORAR DE TANTA RUIDADE JUNTO. COM O EMPATE DO LONDRINA ONTEM, ESTAMOS LIVRES DO REBAIXAMENTO. TIVEMOS SORTE E EMOÇÔES. TENTEI NO MISTÉRIO PUBLICO DE SÃO PAULO ACABAR COM TORCIDA ÚNICA, MAS NÃO CONSEGUI, PORQUE NÃO POSSO ESCREVER...

  • ARIOVALDO ZANELLI (3)
    17/11/2019 10:57

    ... TENTEI NA PREFEITURA DE CAMPINAS AJUDA PARA OS TIMES DE CAMPINAS, TAMBÉM NÃO CONSEGUI, POIS AJUDAVAM COM TERRENOS E IPTU. ANO DE 2019 TEMOS QUE ESQUECER TUDO QUE ACONTECEU NO FUTEBOL DE CAMPINAS. É LAMENTAVEL E TRISTE...

  • ARIOVALDO ZANELLI (4)
    17/11/2019 10:57

    ... AGORA ESTOU CHORANDO DE TANTA VERGONHA DO MEU TIME DO CORAÇÃO QUE É A PONTE PRETA. NÃO ESTOU CONSEGUINDO ESCREVER MAIS NADA. AGORA QUERO DEIXAR MEU ABRAÇO PARA TODOS TORCEDORES DA PONTE PRETA E GUARANI.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
15
NOV
Esconde-esconde à parte, torcida bugrina quer 'respirar' diante do Operário

Exepcionalmente neste feriado de 15 de novembro a coluna é desmembrada em duas publicações.

Segue na sequência o texto sobre a chance de o Guarani matematicamente escapar de qualquer risco de rebaixamento, enquanto no espaço abaixo foi feito apanhado sobre a quantas anda a zona da degola, suposto interesse do futebol holandês pelo volante Camilo da Ponte Preta, e decréscimo de rendimento da Seleção Brasileira na derrota para a Argentina.

Mesmo considerando o time paranaense do Operário mais organizado de que o Guarani nesta Série B do Campeonato Brasileiro, tem-se que considerar a obrigatoriedade de vitória dos bugrinos, até porque não se curvaram a desafios maiores contra Bragantino, Sport Recife e Atlético Goianiense.

Aquela bolinha que o Guarani jogou em Goiânia, no empate por 1 a 1 contra o fraco Vila Nova, não condiz com aquilo que o time tem condições de render.

Logo, o seu torcedor espera que volte a ser competitivo, organizado, e que se imponha na tarde deste sábado, para que as atenções possam se voltar essencialmente a 2020.

ESCONDE-ESCONDE

O desagradável joguinho de esconde-esconde de comissão técnica e diretoria do Guarani, que se arrasta há semanas, teve um capítulo desagradável, adjetivo em questão pra se evitar outro mais contundente.

Acreditem: o repórter Carlos Rodrigues, da Rádio Central de Campinas, foi convidado a se retirar da sala de imprensa do Estádio Brinco de Ouro, na tarde desta sexta-feira, para não verificar os jogadores bugrinos relacionados à concentração, que entrariam no ônibus estacionado defronte à porta do vestiário, visando à partida contra o Operário.

Com a imposição, o repórter foi obrigado a relatar o informativo do Guarani de uma rua nas cercanias do estádio.

EXTRAPOLAM

Esconder escalação de time que vai entrar em campo faz parte da cultura do futebol e é compreensível. É exagero sequer divulgarem atletas relacionados para jogos. E isso os dirigentes do Guarani já têm feito.

No caso específico eles extrapolam, com a finalidade de evitar que um profissional de comunicação constate quem vai para a concentração.

Alô senhores cartolas: convenhamos que é até sem graça querer esconder se os volantes Marcelo e Deivid - em recuperação de lesões - estão relacionados.

SE FOSSE CARECA!

Calma lá. Até na década de 70, quando o centroavante Careca fazia toda diferença em campo no time bugrino, não se recorria a expediente como o de agora.

Observem que o reserva dele era Miltão, jogador de nível técnico quilometricamente inferior.

A rigor, de certo esse esconde-esconde que adotaram tem colocado pulga atrás da orelha da 'reportaiada' setorista do Guarani.

Como os treinos são fechado prevalece o mistério. Rodadas passadas, uma hora antes de a equipe bugrina entrar em campo, surpreendentemente apareceu o nome do meia Rondinelly na escalação.

DAVÓ

Na viagem a Goiânia foi informado que o treinador Thiago Carpini deixaria o atacante Davó na reserva, e a mídia campineira especulou definição de ordem técnica.

Só depois da enxurrada de críticas ao treinador é que informaram situação de desconforto físico do atleta para não ser escalado.

Naquelas condições, por que viajou?

Façamos o seguinte: parem com esse desagradável jogo de esconde-esconde, até porque o profissional de comunicação é prestador de serviço aos torcedores do clube.

Outra coisa, senhores cartolas: será que vão aprender a contratar jogadores visando 2020? Deu pra se 'mancar' que fizeram tudo errado e deixaram toda coletividade bugrina neste suplício?

  • João da Teixeira
    16/11/2019 20:22

    Pode esconder a vontade, o bugre vai chegar na frente da Ponte.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo