20
DEC
Quem não faz toma, né Guarani?

Foto: Thomaz Marostegan
Foto: Thomaz Marostegan

Um dia o filósofo de botequim disse que futebol é jogado e lambari é pescado.

Pois o suposto favoritismo do ascendente Guarani sobre o atolado Figueirense, na noite deste domingo em Campinas, caiu por terra, e o resultado foi empate por 2 a 2.

Este jogo no Estádio Brinco de Ouro pode ser analisado por diferentes ângulos e interrogações.

Teria o Figueirense proposta de encarar o Guarani mano a mano? Ou ao sofrer o gol, logo aos cinco minutos, as linhas teriam sido avançadas automaticamente?

Foi um jogo que se desenhava como a nona vitória consecutiva da equipe bugrina em seu estádio quando o meia Murilo Rangel foi ao fundo de campo e cruzou na cabeça do atacante Renanzinho, que, livre de marcação, testou e não deu chances de defesa ao goleiro Rodolfo Castro.

A tentativa do Figueirense na busca pelo empate ofereceu preciosos espaços para o Guarani contra-atacar.

PÊNALTI

Assim, apesar da falha grotesca de seu goleiro Gabriel Mesquita, ao sair atabalhoadamente da meta e cometer pênalti sobre o atacante Diego Gonçalves, aos 23 minutos, convertido por Lucas Barcelos, estava tudo aberto para o Guarani consolidar o placar. E não tardou para se colocar novamente à frente do placar.

Zagueiro Wálber arrancou com a bola de trás e o passe foi precioso para Renanzinho, que entrou por dentro, para explorar o 'costado' da zaga adversária. Aí, só tocou a bola pra rede na saída do goleiro Rodolfo Castro: 2 a 1.

E a consolidação da vantagem deixou de ocorrer por três motivos ainda no primeiro tempo: primeiro quando Bruno Sávio chutou bola açucara pra fora, em passe de Renanzinho. Depois, um lance com desdobramento. Pablo invadiu a área, sofreu pênalti do zagueiro Vitor Mendes, mas não marcado pelo árbitro Zandick Gondim Alves Júnior. Com sequência da jogada, Renanzinho finalizou e obrigou Rodolfo Castro a praticar defesa difícil

RANGEL E BRUNO SÁVIO

Duas mexidas no time bugrino durante o intervalo começaram a mudar a cara do Guarani.

Por lesões ou opção técnica do treinador Felipe Conceição, saíram Murilo Rangel e Bruno Sávio, para entradas de Rickson e Matheus Souza, respectivamente.

Se taticamente Rangel ocupava bem o lado esquerdo do campo, Rickson embolou por dentro, foi confuso, e a equipe teve perda de rendimento.

Pior ainda foi a participação de Matheus Souza, com perda de lances fáceis e redução do fluxo ofensivo.

Apesar disso, o Guarani ainda contava com o dinamismo do meia Lucas Crispim na organização de jogadas de ataque, o que deixou de ocorrer quando ele saiu para entrada do meio-campista Arthur Rezende, aos 28 minutos do segundo tempo.

Aí cabe explicação de Conceição por que tirou seu melhor jogador em campo?

Se estava claro que Crispim não fazia frequentemente a recomposição, compensava com a bola nos pés. Teria, ele, reclamado de lesão?

E as trocas foram se sucedendo na equipe bugrina, sempre com desvantagem. Para saída de Renanzinho entrou Giovanny. Pablo deixou a vaga para Rafael Costa.

MELHOR PARA O FIGUEIRENSE

No Guarani, aumentou a incidência de erros de passes, assim como possibilitou mais desarme de jogadas aos atletas do Figueirense, que mesmo sem força ofensiva para exigir defesas do goleiro Gabriel Mesquita, pelo menos passou a ampliar o volume de jogo no campo defensivo bugrino, já com três trocas de jogadores de ataque.

Assim, numa das vezes que o time catarinense rondou a área bugrina, em cobrança de escanteio, coube ao polivalente Matheus Neri acertar belo voleio no desdobramento da jogada, com bola fora do alcance de Gabriel Mesquita, no gol de empate aos 30 minutos.

Apesar da queda de ímpeto durante o segundo tempo, por duas vezes o Guarani teve chance de chegar ao gol.

Zagueiro Bruno Silva, livre de marcação, na pequena área, errou a testada. Depois, em cabeceio, Rafael Costa exigiu precisa defesa de Rodolfo Castro.

VAGA DISTANTE?

Ao subir para 44 pontos, cinco abaixo do Juventude que abre o G4, a questão que se coloca é sobre diminuição ou não das chances bugrinas de ingresso no G4.

Partindo-se de pressuposto de que apenas América Mineiro e Chapecoense têm mantido regularidade e praticamente garantiram acesso, as outras duas vagas estão abertas, até porque Cuiabá e Juventude têm oscilado.

Até a Ponte Preta, com 43 pontos, não pode ser descartada como postulante ao acesso.

  • João da Teixeira
    21/12/2020 21:34

    E o Paraná, pelo jeito está querendo abraçar o satanás e ir lá na Série C. O Brasil era pretendente direto a ficar ali no empurra-empurra da porta do Z4, mas aí vem o Paraná e ajuda a se desvencilhar das amarras do buraco do inferno. Eu como pontepretano, sem esperanças de mais nada pela frente, tenho que ficar torcendo para que a rampeiragem se afunde mais. É isso Alex Brasil, ou vc vai enfiar a vara no coelho que está dentro da cartola?

  • Léo - Pr
    21/12/2020 21:33

    O Felipe Conceição com um gol de vantagem ele tá desmontado o ataque no segundo tempo aí sofre o empate não tem força pra reagir,ele fez isso com o confiança levou sufoco e deu certo,ontem o tiro saiu pela culatra, precisando fazer gols o time com Rickson, Giovanny, Rafael Costa Matheus Sousa de atacantes eu já sabia no que ia dá.

  • João da Teixeira 1
    21/12/2020 19:20

    Ari, deixe eu por um caroço de azeitona na empada. Hoje vi o lance de novo, o bate e rebate no gol pontepretano, onde no final a bola sobrou para o goleiro Ygor Vinhas abraçar. Lazarone salvou 2 vezes na linha de gol, antes de sobrar para o Ygor pegar. Acontece que qdo tudo isso ocorria, tinha um jogador do Confiança dentro do gol pontepretano, segurando nas redes. Esse jogador estava impedido. Pela nova regra, um jogador não pode sair de campo propositalmente ou para ficar...

  • João da Teixeira 2
    21/12/2020 19:19

    ...um jogador não pode sair de campo propositalmente ou para ficar fora de jogo para tirar o impedimento de uma jogada do seu time. Lembro num amistoso do Brasil com a Alemanha em Dusseldorf, onde o Zé Maria, para nao ficar impedido, pulou dentro do gol alemão e assim ficar fora de jogo, validar o gol do Brasil, propositalmente Naquela época podia, hoje tem que apitar o impedimento, mesmo fora das 4 linhas. Ocorreu exatamente isso, o jogador do Confiança ficou dentro do gol.

  • Tito
    21/12/2020 19:18

    Perder pra Náutico e Brasil de Pelotas é amarelar em jogo decisivo, pra nós bugrino fica de bom tamanho a recuperação do time, que saiu de uma vice-lanterna para terminar entre os 10. Aliás pra nos só tem restado isso, campanhas de permanência no sufoco. Com uma defesa que toma mais de 1 gol por jogo fica difícil pensar em dias melhores. Zagueiros ridículos, pelos quais ouvi alguns da imprensa de Campinas elogiar utopicamente. Giovani é outro puta pé de rato.

  • Marcio
    21/12/2020 19:17

    Outra m.... é o site chance de gol dando 27,8 % de chance de acesso para o Cruzeiro, que p.... de cálculo é esse ? Eles estão sabendo de algo mais ? Vão devolver os 6 pontos ? Então é melhor GFC e AAPP esquecerem o tal acesso !!!! A palhaçada está armada então !!!

  • Marciao
    21/12/2020 12:45

    Ari, vamos ser sinceros... Falar que os times de Campinas tem chance de acesso é iludir os torcedores. Infelizmente não dá mais. Pior que esse ano ta fácil pra subir !!! Ano que vem vai ter o Cruzeiro ( também não sobe) Botafogo, Vasco... Ai fica mais difícil .

  • Profeta da Tribo
    21/12/2020 11:53

    E, Guarani, hein? Poderia ter terminado o primeiro tempo com 3x1 ou até 4x1. Perdeu muitas chances. Agora é vencer ou vencer o Sampaio para continuar alimentando esperança.

  • LaercioJr
    21/12/2020 11:53

    É claro que o treineiro tem crédito, faz um ótimo trabalho. Mas, por que Matheus Souza (inexperiente e imaturo), e não Rafael Costa??? Molecada tem que ser posta pra jogar aos poucos, em jogos já definidos (e ontem não estava). Pra mim, ele errou.

  • João da Teixeira
    21/12/2020 10:16

    Sem conseguir se desvencilhar da urubuzada na carniça, que são os times que também postulam as 2 vagas remanescentes na Série B, o bugre que tem mais chance de chegar, em virtude de um futebol melhor praticado, vê que não conseguiu seu intento de encostar no G4 e agora faz uma série de jogos direto com a concorrência. Vai ter que se aplicar mais, pois os postulantes são times de Capitais federativas, muito interessados em subir e evidenciar o seu Estado no Brasileiro. Paulera

  • DE ARIOVALDO ZANELLI PARA JOÃO DA TEIXEIRA (1)
    20/12/2020 23:36

    CARO COLEGA, NÃO CONCORDO COM VOCÊ, POIS O ÚNICO QUE ANDOU QUERENDO MOSTRAR O QUE NÃO É CHAMA-SE EUGÊNIO, MAS A MINHA RESPOSTA O MEU AMIGO ARIOVALDO IZAC NÃO POSTOU. VERIFICOU QUE A SUA CONDUTA SEMPRE GOSTA DE COLOCAR O MEU NOME EM BAILA COMO DIZ...

  • DE ARIOVALDO ZANELLI PARA JOÃO DA TEIXEIRA (2)
    20/12/2020 23:36

    ... MEU CHAPA, EU TENHO PAVIO CURTO, PORTANTO NUNCA LEVEI PARA CASA QUALQUER CASO QUE EU NÃO GOSTE, POIS COMIGO O BICHO PEGA MESMO. NO PRIMÁRIO, DEI UMA PORRADA EM UM ALUNO E FUI EXPULSO E ELE PARA HOSPITAL BEM GRAVE. QUASE SUBIU AV. SAUDADE...

  • DE ARIOVALDO ZANELLI PARA JOÃO DA TEIXEIRA (3)
    20/12/2020 23:35

    ... QUEM PROVOCA O BICHO PEGA. NÃO TENHO MEDO DE NADA, POIS TIVE TREINAMENTOS ESPECIAIS. CASO CONSIGO DAR O GOLPE, JÁ ERA. POIS EVITO QUALQUER PROBLEMA, POIS ESTOU ENQUADADO EM UMA LEI ESPECIAL. ESCREVO NO BLOG DO ARI PORQUE GOSTO, MAS OFENDEU A MINHA PESSOA LEVA O TROCO. ARIOVALDO IZAC SEMPRE VETOU ALGUMAS RESPOSTAS MINHAS.

  • Luiz Otto Heimpel
    20/12/2020 23:21

    Perder gols parece ser uma especialidade de nossos atacantes. Mesmo com o penal não marcado pelo medíocre soprador de apito, era para ter ganho com facilidade hoje. Jogamos 2 pontos no lixo. Contando com hoje, o Guarani já desperdiçou 12 pontos com os times que estão no Z4. Não há ambição de classificação que resista a isso.

  • Herald
    20/12/2020 23:20

    Que o Guarani tire desse jogo as lições necessárias para as próximas batalhas. Não se pode desperdiçar, por falta de precisão ou capricho no último passe, tantas chances de gol pra matar o jogo. Quem não faz, toma. Uma bobeada no meio de campo permitiu lançamento às costas do Bidu (como várias vezes no 1º tempo) e a saída precipitada do bom e inexperiente goleiro G.Mesquita culminou no pênalti do 1º gol do Figueira. E depois de fazer 2 a 1, o time achou que tinha ganho o jogo.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
19
DEC
Sabe-se lá como a Ponte Preta venceu o Confiança!

Foto: Luiz Neto/ADC
Foto: Luiz Neto/ADC

Vitórias no futebol estão aí pra serem comemoradas, mas desculpe-me, torcedor pontepretano, pois você não tem o mínimo motivo para comemorar o resultado por 2 a 1 sobre o Confiança, a menos que seja como aproximação da contagem clássica de 45 pontos para fuga de rebaixamento desta Série B do Campeonato Brasileiro.

Este jogo realizado na noite deste sábado em Sergipe foi fraquíssimo, embora não tivesse faltado transpiração de ambos os lados.

Com o treinador efetivado Fábio Moreno observa-se, além da mesma desorganização tática dos tempos do antecessor Marcelo Oliveira, falta de discernimento em escalação e troca de jogadores.

ALISSON

Sabia-se do risco da equipe com a escalação do zagueiro Alisson, mas o treinador pagou pra ver e viu o atleta cortar mal cruzamento, presenteando adversário, no lance que precedeu o gol de empate do Confiança aos 44 do primeiro tempo, ocasião em que erradamente foi o lateral-esquerdo Lazaroni quem subiu e perdeu de cabeça para o quarto-zagueiro Mancini do time sergipano.

Aos 28 minutos do segundo tempo, outra falha gritante de Alisson, mas por sorte dos pontepretanos o atacante Reis, que ganhou a jogada, praticamente recuou a bola para o goleiro Ygor Vinhas.

Isso tudo além dele não qualificar saída de bola.

Ora, por que um atleta com tamanha limitação é escalado?

Num elenco em que apenas o volante Dawhan mostra regularidade, por que Bruno Reis não tem camisa?

Aí insiste-se ora com Neto Moura, ora Luís Oyama, sem que ambos tenham convencido.

LENTO E PREVISÍVEL

Aquela lentidão na saída de bola dos tempos de Marcelo Oliveira, com passes improdutivos entre defensores e recuos de bola continuam como dantes no quartel de Abrantes.

A impressão que se teve é que a Ponte administrava o empate e deixava o tempo escoar no segundo tempo.

Com a ausência do atacante Bruno Rodrigues, que tem tentado fazer o papel de organizador da equipe e recuado para buscar a bola, o time perdeu rapidez na transição.

Soma-se à lentidão a pior atuação do meia Camilo com a camisa da Ponte. Ele não conseguia dar sequência a um lance sequer, compensado pelo esforço do meia Luan Dias, inclusive na recomposição.

LUAN DIAS

A rigor, a voluntariedade de Luan Dias em disputa de bola foi determinante para que a Ponte pudesse abrir o placar, pois ele ganhou de um adversário, serviu o atacante João Veras, que, incontinente, colocou o atacante Moisés na cara do gol, para fazer Ponte Preta 1 a 0, aos 29 minutos.

Antes disso, o mesmo Moisés havia se embaraçado com adversário, na tentativa de completar jogada, e ficou nisso a participação ofensiva da Ponte Preta durante o primeiro tempo.

MATHEUS PEIXOTO

Quando cita-se falta de discernimento de Fábio Moreno em escalação, isso se comprova com a insistência de João Veras como titular.

Embora ele tenha procurado se movimentar bastante, desperdiça a maioria das jogadas, e assim o time não segura a bola no ataque. Fica naquele bate e volta.

O indicado seria a fixação de Matheus Peixoto, que entrou aos 16 minutos do segundo tempo, mas naquela altura a bola pouco chegava ao ataque.

LÉO PEREIRA

Incompreensível foi a troca do lateral-direito Apodi - embora aquém de suas reais possibilidades -, para entrada de um lateral apenas marcador, caso de Léo Pereira.

Isso a menos que Apodi tenha se lesionado e pedido substituição.

E na metade do segundo tempo, como Moisés já mostrava desgaste e menos movimentação, teve validade substituí-lo por Guilherme Pato, que pelo menos correu e foi premiado com o gol da vitória, em jogada atribuída ao acaso.

Deslocado pelo lado direito do ataque, Oyama - que havia entrado no lugar de Neto Moura - deu chutão pra área. Aí, no desdobramento da jogada, em bola espirrada, Pato finalizou e marcou aos 38 minutos.

CONFIANÇA MAL

Nem se longe o Confiança repetiu o futebol bem agrupado que havia mostrado contra o Guarani, na quarta-feira, quando teve o domínio do jogo durante o segundo tempo.

Naquela partida o lateral-direito Thiago Ennes havia se destacado, ao criar volume de jogo pelo seu corredor.

Provavelmente devido à desgaste físico, optou por se resguardar e as jogadas de ataque do time sergipano se desenrolaram mais pelo lado esquerdo, porém sem consequência prática pela falta de qualidade dos atacantes.

Para a Ponte os problemas de arrumação da equipe estão aí, e pelo menos o resultado de vitória desanuvia o ambiente e provoca retorno de confiança perdida por alguns jogadores.

  • Jose Ricardo
    21/12/2020 10:15

    Quem é o empresário do zagueiro Alisson??? Esse cara fez reza brava pra cegar - no sentido metafórico - os treinadores da Ponte que insistem em escalá-lo. Qual foi o jogo que ele não comprometeu individualmente e permitiu que a Ponte tomasse gol??? Em campo vimos o mesmo time do tempo do Marcelo Oliveira no banco, time sonolento, sem iniciativa, sem treinamento, mas que ganhou sem brilhar, ao menos agora faltam só dois pontos pra ultrapassar a linha da degola.

  • João da Teixeira
    20/12/2020 18:14

    A Queridinha, na dúvida é beneficiada. O América perdia de 1x2 e conseguiu empatar, mas teve chance de virar o jogo, qdo teve um gol anulado injustamente pelo bandeirinha e juíza já no fim da partida. Lisca saiu cuspindo marimbondo com o trio de arbitragem. Sem VAR, a coisa fica difícil para a arbitragem num lance como esse gol. Se ocorresse a vitória do América, ele seria o líder da campeonato e a Queridinha a vice líder...

  • João da Teixeira
    20/12/2020 18:14

    O Mirassol na Serie D está massacrando um dos favoritos à classificação, o Brasiliense, por 4x0. Resultado surpreendente pela contagem, não pela vitória do Mirassol que tbem tem um bom time. Na Serie C, o Ituano está arrepiando, ganhou ontem do V.Nova fora de casa por 1x2 já na 2° fase do campeonato.

  • João da Teixeira
    20/12/2020 18:13

    Assistindo Marilia x Lusa no Sampaio Vidal. Bom jogo, de virada a Lusa vai ganhando de 1x2 da "namorada de Dirceu" e com isso joga por um empate no jogo de volta. Quem for campeão poderá escolher entre disputar a Copa do Brasil ou uma vaga na Série D e o vice fica com a vaga remanescente da escolhida pelo campeão. Em Marília tem a rádio Dirceu de Marília, nome dado em virtude do casal romântico da obra de Tomaz Antonio Gonzaga, poeta lírico que fez parte da Inconfidência Mineira

  • Herald
    20/12/2020 18:13

    Ari, li sua coluna “Cadê você” só prá relembrar aquele episódio. Realmente foi hilariante ver aquilo de longe. Esportista e habitual frequentador do Brinco desde o início da década de 70, também estava presente naquele jogo das abelhas. Época em que o futebol campineiro começava a mostrar a sua força no âmbito estadual e depois nacionalmente, chegando ao ápice com a conquista do título de Campeão Brasileiro da Primeira Divisão pelo Guarani FC.

  • Herald - II
    20/12/2020 18:12

    Agora, me desculpe, pontepretano: desde aquela época, o “Moisés” é interditado por atos violentos. Talvez seja o campeão nesse quesito. E, realmente, o pós-jogo era terrível. Quem é da região e tem velhos amigos em Jundiaí, Piracicaba e outras cidades, sabe muito bem qual torcida eles mais odiavam pelo rastro de vandalismo que ficava entre o estádio e a estação ferroviária daquelas cidades. Talvez fosse a descarga pela raiva dos 10 anos seguidos de Segundinha Paulista.

  • Léo - Pr
    20/12/2020 18:11

    Série B 2021 vai tá com cara de série A pelo jeito vamos ter Cruzeiro Vasco, Botafogo Coritiba Goiás vai ser mais competitivo obriga os times se preparar melhor,contratar jogador de melhor qualidade se não vai ser só sofrimento,mais do que é hoje.

  • João da Teixeira
    20/12/2020 11:05

    Ari, vc nem comentou, mas teve um gol mal anulado da Ponte. O juiz e bandeirinha fizeram que nao viram. Cabeçada no pé do poste do gol foi para dentro, a bola correndo beirando a linha do gol e o goleiro se virou, pegou e puxando para fora. Veja que o goleiro estava em cima da linha de gol, então como virar, pegar a bola atrás dele e a bola não ter entrado. Juiz caseiro, mas o Confiança iria jogar até amanhã e não ganharia o jogo. Não era dia do Confiança...

  • João da Teixeira
    20/12/2020 07:56

    Nossa gente passei resultados parciais de jogos, só falei merda, o Coritiba conseguiu perder de virada do Botafogo do Rio. Bom, pelo jeito vão os dois fazer companhia na B do ano que vem. E o Sport que ganhava parcialmente do Grêmio, acabou cedendo o empate, 1x1. Só o Parmitão que jogou em cima do Inter, mas tomou 2 no contra ataque e veio para casa com o rabinho entre as pernas. Inter além dos 2x0, deu muita sorte, podia até ter perdido o jogo. Ganhou na despedida do Alessandro

  • João da Teixeira
    19/12/2020 22:44

    São José de S.José dos Campos foi campeão da 2°Divisão do Paulista em cima do Badeirantes de Birigui. Ano que vem o São José como campeão e Bandeirantes como vice estarão na A3 do Paulista. Amanhã começa a decisão da Copa Paulista entre Marília x Lusa e 4°feira o jogo de volta no Canindé, valendo a vaga na Copa do Brasil de 2021. Série A, Sport ganhou do Gremio 1x0, Coritiba ganhou do Botafogo do Rio de 1x0 e Palmeiras vai perdendo do Inter-RS...

  • TIO LEI
    19/12/2020 22:42

    Vencemos uma .... viiiiivaaaaa .... ufaaa, até que enfim. Como não pude assistir ao jogo, nada a comentar, apenas acompanhar pelos comentários de NOSSOS PARCEIROS.

  • João da Teixeira
    19/12/2020 22:41

    Ganhou, mas nao mudou nada, continuo afirmando tudo que falei, em genero, número e grau, a Ponte horrorosa, sem pé nem cabeça. Só nao perdemos porque Deus nao quis e o Lazaroni fez o resto, salvou por duas vezes o gol deles. E olha quem fwz o gol, Pato, um dos piores jogadores do time. Qdo acontece isso, desconfia da vitória. Vem 46 pontos, pelo amor de Deus...

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo