04
JUN
Vitória da Ponte sobre São Paulo tem o dedo do treinador Gilson Kleina

Aviso: todas as colunas anexas estão atualizadas. No áudio Memórias do Futebol tem até a música em homenagem a Fio Maravilha.

Essa vitória da Ponte Preta sobre o São Paulo por 1 a 0, neste domingo em Campinas, teve muito a ver com a postura do treinador pontepretano Gilson Kleina.

Primeiro porque tentou alguma coisa diferente para quebrar o rigor defensivo projetado pelo treinador são-paulino Rogério Ceni, com três zagueiros e dois volantes posicionados como tarefa de contenção.

Aí Kleina imaginou que a velocidade do lateral-direito Nino Paraíba poderia quebrar a barreira defensiva adversária, e o improvisou como ponta-direita à moda antiga.

Na prática, com a fuga de suas características de explorar arrancadas de trás, com a bola, Nino ficou encaixotado na marcação e sucumbiu naquele período em que Jefferson ficou como lateral.

Assim foi um primeiro tempo com a Ponte absorvida pela marcação são-paulina e sequer ameaçou o goleiro Renan Ribeiro.

De quebra, ainda permitiu algumas incursões do São Paulo no corredor do lado direito ofensivo, sem que isso resultasse em reais oportunidades de gols, exceto um lance que o goleiro Aranha ‘abafou’ finalização de Lucas Pratto.

OUTRO TIME

Kleina mexeu corretamente ao sacar Jefferson e retomar o formato com Nino Paraíba de lateral.

Na mudança, era natural se prever que Emerson Sheik, ao entrar no time, sentisse falta de ritmo e desentrosamento com companheiros.

Contudo, a aptidão para prender a bola permitiu desafogo à sua equipe.

No geral, a Ponte se reorganizou em campo. Nino, no seu estilo explosão ao ataque, participou da jogada aos cinco minutos em que a bola, ao chegar na área adversária, foi resvalada de cabeça pelo meia Léo Arthur antes da certeira conclusão de Lucca.

MUDANÇAS ESTRATÉGICAS

Em seguida, Rogério Ceni optou por mais um atacante de área - caso de Gilberto -, e sacou o meia Tomaz, extremamente discreto.

Para evitar organização são paulina a partir do setor de criação, Kleina colocou o marcador Jadson no lugar de Lins, e depois manteve o esquema de forte pegada no meio de campo na troca do cansado Wendel por Fábio Braga.

Em jogo que cada treinador procurou extrair o máximo de seus respectivos elencos, Ceni desmontou o trio de zagueiro com a entrada do lateral-direito Bruno, procurou usar o veloz garoto Léo Natel no lugar do ala Marcinho, mas a Ponte não permitiu brechas para o adversário explorar.

Tem-se que reconhecer que o questionado zagueiro Rodrigo, da Ponte, correspondeu. Melhor que todos foi o também zagueiro Marllon.

  • João da Teixeira
    06/06/2017 08:27

    Ari, será que esse Leo Natel é parente daquele famigerado governador do Estado SP, Laudo Natel, que sentiu no banco de reservas do São Paulo, para intimidar o juiz no jogo que valia o campeonato Paulista de 1970 contra a Ponte Preta?

  • João da Teixeira
    05/06/2017 21:14

    Pois é, resolvemos dormir em hoteis de luxo: série A, Paulistão, Copa do Brasil, Sulamericana etc... Que hotel mesmo vcs resolveram dormir?

  • JHON
    05/06/2017 19:51

    Com certeza disse muito bem : Dormindo nos últimos anos. Más que mal tem , se existe time que dorme a quase 120 anos ? "NÉ" ?

  • João da Teixeira
    05/06/2017 17:23

    Jhon, haja anti histamínico para o jogador tomar, para poder usar essa cor de camisa. E como todo antialérgico, que sonolência dá. Vai ver que é por isso que seu time anda dormindo nos últimos anos...

  • JHON
    05/06/2017 13:44

    Sobre o W "poste" : Vai ver que a camisa verde fez bem para ele !!! kkkkk

  • João da Teixeira 1
    05/06/2017 10:39

    A 2ª feira começa "braba" também para 1,5 mil trabalhadores da GM de SJCampos. Diz a montadora que tem um excedente de 1,6 mil trabalhadores, por isso da suspensão de contratos. Encheram as fábricas de robôs e esqueceram de treinar os que foram substituídos a fazerem outras coisas. Isso aconteceu em Cosmópolis, onde uma Usina, dona de todas as terras da cidade, não deixado outras empresas instalarem, fazendo monopólio dos empregos oferecidos e depois, sem treinar antecipadamente

  • João da Teixeira 2
    05/06/2017 10:38

    cont. ...sem treinar antecipadamente os seus funcionários, trocou os mesmos por colheitadeiras de cana e deixou esses desempregados a mercê da sorte na cidade. Até hoje a cidade recente desa atitude e da falta de empregos. Tanto é que, vez por outra acontece manifestações, com bloqueio de rodovias, de pedágios etc nas imediações da cidade. Capitalismo é bom, mas desenfreado, sem planejamento, vira caos, afetando todos numa "bola de neve" sem precedentes. E o Temer vem falar merda

  • RMaia
    05/06/2017 10:37

    O dinheiro que o São Paulo recebe é muito maior que o da Ponte, mas vimos que o elenco do São Paulo é ridículo, muitos ali só tem a fama. Rogério Ceni é o escudo da diretoria e a "lua de mel" dele com a torcida já acabou, seu fim como treinador do SP está próximo. A Ponte fez o simples e levou 3 pontos. E o Pottker heim??? Deixou a Ponte na Série A pra se afundar no Inter na Série B....

  • RMaia (2)
    05/06/2017 10:36

    Complementando, esse "feto" Léo Arthur que está sendo gestado na barriga de aluguel Ponte Preta, apesar dos inúmeros rolos extracampo vai demonstrando personalidade, daqui a pouco ninguém se lembrará de Ravnelli e Cajá. Falando em Cajá será que ele ainda joga nesse brasileiro pela Ponte???

  • João da Teixeira
    05/06/2017 10:35

    Eu comentei que aqui o W Poste era um breu só e que no sul, talvez seja um poste iluminado, ajudando a equipe, tanto na marcação da saída de bola, como na feitura de gols. Mas será que é ele que melhorou ou tem algo mais na Chape que aqui na Ponte não tinha. Não me venham falar do Espírito Condá. Será o esquema tático diferente? Será algo que não consigamos ainda perceber? Sabemos que o atacante na Ponte tem que ter luz própria, porque o esquema tático nunca favorece eles...

  • João da Teixeira
    05/06/2017 10:34

    Não é só para os mistos de Campinas que a 2ª feira começa brava, para o Temer também. E não vem aquele advogado de porta de cadeia dizer que a prisão de Loures é uma condenação sem julgamento. O cara é pego com uma mala de dinheiro, em vez de justificar o por quê da grana, ele vai e devolve, assinando uma pré confissão de desonesto e corrupto, já que não tinha justificativa para tê-lo, qdo saiu da pizzaria com o dinheiro, olhando pra todos os lados e correndo para um taxi.

  • João da Teixeira
    04/06/2017 22:38

    Eta cafezinho bom! Plagiando uma propaganda dos anos 1960 do Café Caboclo da União, a Chape vem fazendo história. Lider, depois daquele acidente surreal ocorrido há 6 meses. E meio ex time da Ponte.

  • João da Teixeira
    04/06/2017 22:38

    O W Poste está iluminando na Chape, porque aqui na Ponte o Poste era um breu. Sabe Deus o que aconteceu com ele. Será que a CELESC cuida dele melhor do que a CPFL? Ou a mãe dele voltou a dar aquele apoio chorado para ele.

  • Carlão
    04/06/2017 19:50

    Elton continua lerdo e o filho do Abel, junto com Jadson e Naldo, não sao jogadores de serie A. Sheik muito util e Lucca - CRAQUE do time

  • João da Teixeira
    04/06/2017 19:50

    O "café com leite" continua amargo e não tem adoçante que resolva. O Cruzeiro é a nova vítima. E olha que "café com leite" é uma bebida típica de mineiro. Cruzeiro "provando" da bebida amarga e indigesta. E o gol do W Poste, já fez 3, é mole?

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
03
JUN
Guarani teve a cara do Paulista da Série A2 e Vila Nova soube aproveitar

Antes de a bola rolar no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, na tarde/noite deste sábado, o repórter Luiz Ceará, da Rede TV, perguntou ao treinador Hemerson Maria, do Vila Nova, aquilo que ele esperava de sua equipe no confronto contra o Guarani, pelo Brasileiro da Série B.

A resposta foi curta e grossa: equilíbrio entre compartimentos e organização.

Sem destaques individuais, o time goiano mostrou compactação dos jogadores, de forma que fossem encurtados os espaços do Guarani. E o Vila Nova só saiu desse formato a partir da metade do segundo tempo, quando já havia definido larga vantagem no placar: 3 a 0.

Aí, recuou e aceitou o assédio ofensivo do Guarani, que diminuiu a vantagem para 3 a 1, com gol de cabeça assinalado pelo zagueiro Diego Jussani, após cobrança de escanteio, aos 30 minutos.

VADÃO

No pós-jogo, o treinador bugrino Oswaldo Alvarez, o Vadão, não tirou os méritos do adversário, mas lamentou erros defensivos e ofensivos de sua equipe.

Na prática, o primeiro a errar foi ele, que injustificadamente escalou o meia Fumagalli, jogador totalmente sem mobilidade.

Evidente que Vadão igualmente não esperava rendimento pífio do atacante Claudinho, incapaz de uma jogada lúcida sequer, com o agravante de também não corresponder na recomposição.

Assim, na prática o Guarani atuou durante o primeiro tempo com dois jogadores a menos. O duelo foi travado de forma desigual: 11 x 9.

Por sorte do Guarani, o Vila Nova abusou do direito de errar passes nos primeiros dez minutos de partida, período travado de intermediária a intermediária.

TRAVESSÃO E GOLS

Bastaram acertos de passes para que o Vila começasse a dominar a partida, e assustar.

Primeiro no chute de Alípio que a bola explodiu no travessão. Depois Wallyson finalizou em cima do goleiro Leandro Santos, desperdiçando chance real.

E o volume de jogo ofensivo dos goianos foi premiado com belo gol do atacante Matheus Anderson, que soube proteger a bola, girar, e finalizar com sucesso aos 43 minutos.

Credite o segundo gol do Vila a falha do Guarani, e atribua ao atacante Eliandro que não acompanhou o zagueiro Wesley Matos, que testou de forma indefensável, cinco minutos depois.

ELIANDRO

O mesmo Eliandro escapou do goleiro Elisson, após lançamento de Bruno Nazário, mas finalizou mal, permitindo que Wesley salvasse em cima da risca.

A outra chance do Guarani naquele período se resumiu a cabeçada de Genílson, que Elisson defendeu no puro reflexo.

O terceiro gol do Vila foi uma 'pintura'. Geovane acertou uma belo chute de fora da área.

Por que o Vila Nova teve espaço para trabalhar a bola?

Porque soube explorar avanços dos laterais Maguinho e Gastón Filgueira, e o volante Geovane adiantou as passadas e participou do toque de bola com Alan Mineiro e Alípio.

Naquele cenário, registro para o velho problema do Guarani no Paulista da Série A2, com sobrecarga aos volantes Auremir e Evandro. Isso porque Claudinho e Fumagalli não marcavam, e só a recomposição de Bruno Nazário era insuficiente.

Naquele diapasão, os laterais bugrinos Lenon e Salomão ficaram presos da defesa, e assim o time bugrino ficou sem transição pelos lados do campo.

Como a bola não chegava ao ataque, Eliandro optou pelo posicionamento pelo lado direito, e frequentemente recuava na expectativa de carregá-la.

Teoricamente a função caberia a Fumagalli, mas sem pernas para executá-la, o ataque bugrino padeceu de criatividade.

JUNINHO E EDINHO

Como era impossível Juninho se movimentar menos que Fumagalli, pelo menos foi mais participativo no segundo tempo, porém afoito em alguns lances.

A entrada de Edinho em nada contribuiu para crescimento da equipe.

Apesar disso, em vacilos da zaga do Vila Nova, Edinho e Eliandro tiveram chances reais para marcar e desperdiçaram.

Na mesma medida, Alípio e Alan Mineiro igualmente desperdiçaram chances reais para o Vila Nova.

  • Tito
    05/06/2017 13:44

    O futebol não é feito só com dinheiro, precisa de inteligência e criatividade, coisas que faltam no Guarani. Vejam o São Paulo, acabou de firmar um contrato master, mas a diretoria é ridícula. No Guarani é só bla, bla,bla...são gestões de um conselho administrativo de incompetentes no mundo da bola e da administração. Tudo caminha para mais um rebaixamento. Que venha a série C.

  • RMaia
    05/06/2017 10:38

    O torcedor do Guarani pode ficar sossegado que esse time não conseguirá o acesso e nem será rebaixado desde que o salários não atrasem. Vadão já jogou a toalha, mas deu mostra que não vai colocar o pé no formigueiro sozinho, afinal Fumagalli pode ser até a desculpa caso a coisa desande "eu falei pra diretoria que ele não tinha condições, mas eles me pressionaram para que eu o escalasse...." Caberia ao atleta pedir pra sair, mas ele não faz isso então o time joga com um a menos.

  • Roberto
    05/06/2017 10:32

    APROVEITO O ESPAÇO PARA AGRADECER A PRESENÇA DE QUEM NÃO TEM ESTRELA NA CAMISA, OBRIGADO PELO IBOPE, SÓ ACHO QUE VCS DEVERIAM ERA FREQUENTAR O campo VOSSO, AFINAL DE CONTAS NO QUESITO PÚBLICO PAGANTES VCS PASSAM VERGONHA JÁ FAZ TEMPO. INGRESSO ESMOLA A 7,50, SÓCIO TORCEDOR MAIS BARATO DO BRASIL E MESMO ASSIM PÚBLICOS RIDICULOS, E SE NÃO BASTASSE ISSO, COM MEDO DE SER MINORIA NO PRÓPRIO ESTÁDIO, BARARRAM A PRESENÇA DAS ORGANIZADAS DO SPFC, QUE VERGONHA

  • Tony
    05/06/2017 08:03

    Novo rebaixamento a vista? Ta faltando salario de novo? Cada ano nova desculpa, vergonha da Cidade....

  • JHON
    04/06/2017 19:06

    Disse muito bem : Se apegar a um FATO de muitos anos atrás. Qual fato vc se apegaria com o seu time ? O de vice ? kkkkkk Esse temos para muitos tb, kkkkkk

  • João da Teixeira
    04/06/2017 19:04

    Poderão dizer que meteram a mão no Galo-MG, Prass e a zaga se atrapalharam e a bola sobrou para o atacante mineiro, mas parece que o jogador atleticano ajeitou a bola com o braço, lance difícil, mas...

  • João da Teixeira
    04/06/2017 19:04

    Para tristeza dos mistos torcedores da família dos cervidae, a Macaca ganhou do referido representante e assim a 2°feira não começará bem para esses mistos. Então, o jeito é esperar a 3°feira chegar, aguardando o ET chegar chegar

  • Profeta da Tribo
    04/06/2017 13:51

    Fumagalli extremamente lento, não dá mais. Claudinho jogador tecnicamente muito limitado. Juninho também é fraco. Eliandro e Nazário não vão resolver sempre. Precisamos contratar rápido um substituto para Claudinho e Fumagalli. Uma tentativa que eu faria é ver se o Rick não poderia assumir a 10. Guarani foi muito mal, abusou dos lançamentos, ao invés de trabalhar a bola pelo meio e pelas laterais. Zaga fraca. Preocupante. Torço para que tenha sido um dia atípico.

  • Mar
    04/06/2017 13:50

    Nossa! Aonde estao os comentarios profundos do Eduardo? Fala DUDU!!!

  • Paulo Sergio
    04/06/2017 11:18

    O cara vem de novo com esse papo de campeão!! para lembrar desse fato o cidadão tem que ter pelo menos 50 anos de idade ou sentar na cadeira de balanço no colo do vovô e ouvir a historinha até adormecer. Como é duro ter que se apegar em um fato de 40 anos atrás hein?? também fazer o que?? É tudo que lhes resta!!

  • Paulo Sergio p/ Ari
    04/06/2017 11:18

    Prezado Ari: Só ouço comentário de jogo do nanico gfc quando perde pois, me divirto muito com os comentaristas sentando a lenha e ontem Elias Aredes Jr. foi enfático ao dizer "Metade desse time é de série A2 ou série "C" pode trocar tudo!! Acho que ele entende um pouco de bola, ou não?

  • João da Teixeira
    04/06/2017 10:17

    Digamos que foi uma tina de água gelada nesse dia frio de outono, já que o bugre tinha ganho de 2x0 do Figueira. O problema é que o vigor do Figueira não era nada daquilo, perdeu em casa do Boa, me parece que o ET é o próximo adversário bugrino. Pois é Mães Dinás, dorme com esse barulho...

  • João da Teixeira
    04/06/2017 10:17

    Pela primeira vez que vejo no mundial sub20, os penais classificatórios não são mais batidos alternadamente, misturam as cobranças em batidas duplas de mesmo time. E depois de quase matar as duas torcidas, Uruguai se classificou por 5x4 nos penais sobre Portugal e segue no Mundial sub20.

  • JHON
    04/06/2017 10:16

    E não é que o pessoal de NEVERLAND já estão babando de tanta alegria com a derrota do Campeão !!! Se vcs ficaram contentes com a vitória do VILA NOVA ( que já foram campeões ), imaginem nossa alegria qdo tomaram 3 do Corinthians dentro de casa e ficaram com cara de abobora murcha !!!!! kkkkkkk Vai se catar PS.

  • Paulo Sergio
    03/06/2017 19:54

    Alguém anotou a placa do trator?? Não esquenta não amigos bugrinos, amanhã vocês terão a oportunidade de assistir um CLÁSSICO em Campinas, ainda tem ingresso para bambis. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo