01
FEB
Valorizar posse de bola ou arriscar velocidade pelos lados? Eis a questão

Natural se projetar que a coluna Cadê Você, da semana, fosse focalizar um pouco da história do volante Flamarion, 'cria' do Guarani, assim como a trajetória como treinador. Ele morreu no final de janeiro. Leia!

Já citei 'centas' vezes que há uns cinco anos aboli postagens sobre o pré-jogo devido à similaridade entre as equipes, dificuldade da supostamente melhor transpôr adversário retrancado, e que fatores campo e torcida deixaram de ter peso considerável.

Logo, caso o bugrino pretenda citações sobre o jogo da noite deste domingo em Campinas contra o líder Santo André, na seção de comentários, fique à vontade.

EDUARDO COUDET

Fui dar uma espiada sobre o time do Inter (RS) contra o Ypiranga, pelo Campeonato Gaúcho, pra avaliar aquilo que o treinador argentino Eduardo Coudet (foto) está colocando em prática.

Todavia, visando a estreia na Libertadores já na terça-feira, contra a Universidad de Chile, no Estádio Nacional de Santiago (CHI), a opção do comandante foi poupar alguns titulares, o que desconfigura avaliação mais apropriada deste novo desafio dele.

Após o empate sem gols do Inter em Erechim (RS), a percepção clara foi que Coudet é mais um daqueles adeptos da valorização de posse de bola, mesmo que isso custe lentidão ao time quando o adversário amplia o cinturão de marcação na cabeça da área.

Sem espaços para penetração, o que se viu foram sucessivos e até irritantes recuos de bola.

Esse foi mais um dos incontáveis exemplos de equipes que optam por rodar a bola até sem pressa, a procura de brecha para penetração e complemento da jogada.

Eis a discussão: seria essa a opção tática mais prática para se ultrapassar forte marcação, ou seria recomendável velocidade pelos lados do campo, mesmo que isso implique em risco de perda de bola e se originar contra-ataque ao adversário?

BARCELONA

Se o espanhol Barcelona ensinou que ficar com a bola, preferencialmente no campo do ataque, é o caminho mais recomendável, convém considerar que adoção dessa estratégia é cabível num time que alia conjunto à individualidade.

Se o adversário monta duas linhas de quatro em sua intermediária defensiva, a capacidade do drible é imprescindível para que se quebre a marcação.

Quando não se tem as chamadas individualidades, o que se vê são irritantes recuos de bola, quando há obstáculos pela frente.

Quem supôs que Coudet fosse mostrar variações com velocidade pelos lados do campo, não viu isso.

TELÊ SANTANA

Pra enfrentar adversários que marcam atrás da linha da bola, uma das formas é recorrer à receita do finado Telê Santana, que pedia a atacante e meia arriscarem o drible nas imediações da área adversária, pois a possibilidade de sofrerem faltas é enorme.

Telê fazia isso no São Paulo, mas não esqueceu de preparar o então meia Raí para ser o executor das cobranças, quer para colocar força na bola de média distância, quer colocado mais próximo do gol adversário.

Lembrem-se que é sempre recomendável rebuscar coisas aplaudidas do passado, para que sejam aplicadas no presente.

  • Tony
    03/02/2020 19:11

    Ari - na minha humilde opinião, o time da Ponte que enfrenta a Inter é o melhor time. Os 2 laterais que entram jogam mais, apoiam mais. E a entrada do Danrley no meio era o que faltava. Junto com o Bruno,da estabilidade.

  • BARBA
    02/02/2020 18:22

    Ari - escreva aí: o menino volante chamado Danrley joga muito. Vai dar muitas alegrias a torcida sofrida da Ponte. Parabéns ao Kleyna pela coragem e olhos de lince!

  • Marco da Macaca
    02/02/2020 18:22

    Sim, Mabilia, mas alguns números são sintomáticos e indicam que precisamos evoluir. De onde vieram os jogadores da Macaca: AAPP; CSA, Operário-PR, Santos, Estoril-PT, Sport, Botafogo-RJ; Avaí, CRB, Londrina, Tombense; Vila Nova, Paraná, Botafogo RP.

  • Mabilia
    02/02/2020 15:38

    Tudo bem, Marco da Macaca, então , números espetaculares mas, a bola na rede foi da Macaquinha né?

  • Paulo Sergio
    02/02/2020 12:41

    Ari, o que se chama valorizar posse de bola nos dias atuais, era chamado de RETRANCA ou CERA, lembra? Dias desse eu vi uma entrevista de um técnico inglês na ESPN falando do futebol brasileiro e disse ele: "O futebol-arte do Brasil acabou por que os técnicos com medo de perder emprego, cont...

  • Paulo Sergio
    02/02/2020 12:38

    Enchem o time de volantes e só querem trabalhar com laterais que sabem defender, orientam seus jogadores a jogar por uma bola e se fazem um gol recua todo mundo e qualquer falta é motivo para paralisação, jogador fica caído se contorcendo quando não houve nada. J.Jesus não inventou a roda, simplesmente acabou com isso!

  • Marco da Macaca
    02/02/2020 12:38

    Paulistão: Um jogo no sábado e 3 jogos na 2.a feira (um deles às 17h): estranho, lamentável.

  • Marco da Macaca
    02/02/2020 12:37

    Ponte Preta 2x1 Corinthians Estatísticas: Chutes 8x23; Posse de bola: 30x70% Passes 217x517; Precisão passes 68x86% Escanteios 6x9; Cartões amarelos 4x1; Faltas 14x13.

  • Marco da Macaca
    01/02/2020 23:07

    Neste sábado, um canal fechado exibiu o filme do alemão Win Wenders "O medo do goleiro diante do pênalti". O ator protagonista certamente não é Ygor Vinhas. E, a bem da verdade, também não é Ivan, o Terrível, goleiro da seleção brasileira pré olímpica.

31
JAN
Eis aí a chance de Apodi ser escalado na lateral-direita

Apodi: chance na lateral
Apodi: chance na lateral
Se o goleiro Ygor Vinhas, da Ponte Preta, praticou defesas difíceis e se transformou no homem do jogo na vitória de sua equipe por 2 a 1, na quinta-feira em Campinas; se o Corinthians ainda não rendeu aquilo que dele se espera, a dedução lógica é que nem tudo está arrumado na malha de marcação pontepretana.

Pode ser, mas o torcedor quer é comemorar o momento. Ganhar do Corinthians, independentemente da circunstância, é extremamente prazeroso ao pontepretano, que entende o triunfo como passaporte para recuperação psicológica e confiança da equipe.

Pra completar, o adversário na próxima segunda-feira é a Inter, que jogando em Limeira pressupõe-se que vai tomar iniciativa e, em isso ocorrendo, deixaria vulnerável a sua defensiva.

JEFERSON

Já que a teimosia do treinador Gilson Kleina implicou em escalações do limitadíssimo lateral-direito Jeferson nas três primeiras partidas, o destino parece se encarregar da correção, visto que o então titular da posição se lesionou e pode até não se recuperar à próxima partida.

Estaria aí, portanto, uma chance de Kleina rever as suas convicções e ponderar sobre sugestões de torcedores para recuo do polivalente Apodi à velha função de lateral.

Assim, pelo menos em um lado do campo o time ganharia alternativa para saída de bola, o que já provocaria redução de quebrá-la sistematicamente.

  • Paulo Sergio
    02/02/2020 12:42

    Caro TIO LEI, o problema dos repórteres é que são outros que tem que se garantir no emprego, pois se apertarem um diretor ou técnico, das duas uma ou vai pra geladeira (ninguém mais dá entrevista a ele) ou perde o emprego por ordem da diretoria do clube, essa é a verdade.

  • Paulo Sergio ll
    02/02/2020 12:42

    Caro TIO LEI, quanto ao Gustavinho, deve ter feito um belo curso de política ou seja, quando a coisa vai bem ou mais ou menos bem, esquece tudo que prometeu e vida que segue, quando o caldeirão começa ferver ele volta em cena com as promessas que ele mesmo sabe NUNCA SERÃO CUMPRIDAS!! kkkkkkkk

  • TIO LEI
    01/02/2020 22:11

    Caros parceiros, inclusive você Ari. Quando voce colocou matéria sobre "possíveis inversões" de posição de jogadores. Na época eu ja dizia SER CONTRA a escalação do Apodi em outra função que não fosse a LATERAL. Mas, ainda esta pra nascer técnico que não seja teimoso em suas convicções. Com certeza ele ira escalar o Mateus Alexandre para substituir o Jefferson. Quem viver verá.

  • TIO LEI - Com a palavra: o gustavinho
    01/02/2020 22:10

    E a contratação de mais um meio campista de profissão? Até quando irão esperar pelo tal de Marlon? Como é praxe do INÚTIL gustavinho, basta o time ganhar uma ou duas partidas, para ele "se calar" ou "se esconder" da reportaiada, se bem que esses também são "cobras mandadas", só noticiam aquilo que é de "interesse" da diretoria.Não têm um mínimo de decência profissional para se fazerem ser respeitados em suas funções. Alias, repórter hoje presta um desserviço ao torcedor.

  • Barba
    01/02/2020 13:50

    Kleyna é teimoso. Jeferson e Saraiva são atraso de vida. Nunca deram certo em nenhum lugar. Tem que entrar com Apodi. Assim acertamos um problema antigo da lateral direita e ainda ganhamos no ataque. Mas a natureza vai cuidar, já que o técnico é teimoso!

  • Marco da Macaca
    01/02/2020 13:49

    O comunicado oficial do Lyon-FR informa que o técnico Jorginho indicou Camilo ao diretor do time francês, Juninho Pernambucano. Jorginho também ajudou a Ponte a vender o Abner (R$10 milhões). Elogiou fartamente seu goleiro, Ivan, enfim convocado por Tite para a seleção brasileira principal. Jorginho prestou um extraordinário serviço à instituição Associação Atlética Ponte Preta. Ao menos fora do campo. Que não seja esquecido.

  • BARBA
    01/02/2020 13:49

    A única teimosia do Kleyna é a manutenção do Jeferson. Nunca deu nada! Nunca vai dar. Com Apodi na direita, ganhamos mais 1 atacante.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo