11
MAR
Eduardo Baptista engole Rogério Ceni na goleada do Palmeiras

No ar a coluna Cadê Você. Personagem: Cidinho, ex-zagueiro do Guarani nos anos 60.

A verdade é uma só, diria o saudoso treinador Zé Duarte: o treinador Eduardo Baptista, do Palmeiras, engoliu literalmente seu adversário Rogério Ceni, do São Paulo, na goleada palmeirense por 3 a 0, na Arena do Palmeiras, na tarde deste sábado.

Eduardo Baptista estudou detalhadamente o São Paulo sem o talentoso meia Cueva, e tratou de marcá-lo impondo forte marcação sob pressão, na intermediária ofensiva, de forma que forçasse incorrê-lo ao erro na tentativa de saída de bola defensiva.

Incontáveis vezes, ainda durante o primeiro tempo, o Palmeiras roubou a bola em erro defensivo do São Paulo, mas só soube aproveitá-lo aos 46 minutos, quando o atacante Dudu teve percepção do goleiro Dênis adiantado, e foi feliz na finalização pouco além do meio de campo.

Baptista soube trancar a tentativa de avanço do lado esquerdo do São Paulo com forte marcação pelo setor, que começava com Michel Bastos, deslocado por ali, para não permitir arrancada do lateral-esquerdo Júnior Tavares, irreconhecível na partida.

E quando a bola chegava no lado esquerdo do ataque são-paulino para Luís Araújo, a vigilância palmeirense era dupla, e às vezes até tripla. Inicialmente através do lateral-direito Fabiano, e quando necessário com pronta cobertura do zagueiro Mina.

Pronto, estava aniquilado qualquer atalho ofensivo são-paulino, visto que erroneamente Rogério Ceni avançou o volante Thiago Mendes pelo lado direito, sem a necessária velocidade para fluir as jogadas.

O tempo dará a Rogério Ceni a leitura adequada de jogo que, naquela circunstância, o recomendável seria inverter o bom Luís Araújo de lado, para investir sobre defeitos de marcação de Egídio, ainda no primeiro tempo.

CÍCERO

A rigor, foi um erro crasso o ofensivista Rogério Ceni escalar seu time com quatro volantes, visto que o meia Cícero atuou pouco à frente dos zagueiros Douglas e Rodrigo Caio, provavelmente desconfiado do inseguro zagueiro Douglas, e com atribuição de ajudar o setor defensivo e na saída de bola.

Todavia, a excessiva lentidão do tricolor na saída de bola permitia que o competitivo time palmeirense não desse chance de progressão ao adversário, e assim o goleiro Fernando Prass foi um mero espectador na partida.

O volume de jogo ofensivo do Palmeiras foi mantido no segundo tempo, ocasião em que se constatou a continuidade dos erros do time são-paulino, que seriam fatais.

Uma cabeçada fulminante do lateral-esquerdo Egídio, após cruzamento de Fabiano, já serviria para o Palmeiras ampliar a vantagem, não fosse defesa incrível praticada pelo goleiro Dênis, aos 24 minutos.

Só que na sequência imediata da jogada, Borja, que havia substituído o irregular William Bigode, perdeu gol feito. E segundo depois, Tchê-Tchê, em precisa finalização de fora de área, premiou o aguerrido time palmeirense com o segundo gol.

TERCEIRO GOL

Pronto. Irremediavelmente o São Paulo havia jogado a toalha. Não havia chance de se esboçar mínima reação, e o Palmeiras manteve o seu ‘trem’ de jogo, chegando naturalmente ao terceiro gol, se bem que novamente contou com colaboração do fracassado goleiro Dênis, que injustificavelmente continua no elenco.

Portanto, no aspecto competitividade, reconhecimento ao trabalho bem elaborado por Eduardo Baptista ao escalar três meio-campistas determinados a forte pegada - Thiago Santos, Tchê-Tchê e Guerra - ainda coadjuvados por constantes recuos de Dudu e Michel Bastos, que atuaram pelos lados do campo.

Seria exigir demais leitura completa de jogo de Baptista, para que aproveitasse as oscilações do setor defensivo do São Paulo e ordenasse que Dudu jogasse centralizado no ataque, mais próximo do gol, para explorar o lento e desengonçado zagueiro Douglas, do São Paulo.

No mais, o comportamento do treinador palmeirense foi impecável, e seus críticos ferozes obrigatoriamente têm que reconhecer.

Quanto a Rogério Ceni, fica a lição que ainda precisa amadurecer na nova função. Ficou claro que não precisava ser tão defensivista e colocar em campo um time burocrático e previsível.

Precisa mostrar que além do meia Cueva seu time pode contar com outras alternativas.

  • João da Teixeira
    12/03/2017 12:16

    Como a Ponte conseguiu perder de um monte do S.Paulo. Time sem futebol, sem lenço e sem documento. Goleiro horroroso, técnico vai sair quase sempre de "banho tomado". O Pratto saium com borda lascada...

  • João da Teixeira
    12/03/2017 12:16

    Quem está narrando o jogo do bugre em Votuporanga pela SporTV é o Alberto César Iralah? Tem voz semelhante.

  • João da Teixeira
    12/03/2017 12:16

    Surpresa o 0x0 do Taubate contra o União Barbarense e no jogo do bugre, os times até que foram voluntariosos, mas faltou categoria de ambas as partes. Vamos ver o 2do tempo o que vai dar...

  • João da Teixeira
    12/03/2017 12:15

    Gfc melhorou muito em cima da ruindade e da "falta de abacaxi" da Votuporanguense, que é forte candidato à cair. Penal não existiu, batedor com forca, mas telegrafou... Sor tr e sua Barbieri.

  • Paulo Sergio
    11/03/2017 22:32

    Fala sério em Ari, esse goleiro dos bambis e ruim demais, a Ponte se livrou de um tremendo bonde.

10
MAR
Jorge Henrique, Guarani e Ponte Preta são os assuntos

Dividamos o enfoque deste comentário em três blocos, com passagem por Guarani, Ponte Preta e salário absurdo pago a jogador.

Mesmo sentado, quase caí da cadeira quando ouvi o presidente Horley Senna, do Guarani, falar à Rádio Bandeirantes Campinas que o salário do meia-atacante Jorge Henrique, do Vasco, é de R$ 200 mil mensais.

Horley ainda detalhou que foi proposto ao Guarani emprestá-lo ao Campeonato Brasileiro da Série B, com a condição de pagar R$ 60 mil, ficando o restante para o Vasco.

Gente, precisam mandar prender o doido que teve coragem de fazer contrato de R$ 200 mil mensais para Jorge Henrique, jogador que sequer se encaixaria em clube mediano do futebol paulista, visto que a principal virtude dele era a força física, anos atrás.

ESCONDER O QUE?

Como de praxe, o treinador Maurício Barbieri, do Guarani, fechou o treino do elenco para esconder sabe-se lá o que.

Talvez pra valorizar seus supostos conhecimentos táticos e mostrá-los aos incautos dirigentes bugrinos, que conhecem bola porque comeram almôndega quando eram crianças.

Cuidado hein, Barbieri! Há risco de você esconder tanto e nem encontrar o caminho do esconderijo.

Escondeu tanto que ganhou apenas dois pontos dos nove disputados.

O jeitão do seu Guarani todos sabem de cor e salteado. Você cobrou mais compactação e rapidez na transição ao ataque.

Ora, pra isso teria que se encorajar e sacar do time jogadores lentos. É o ‘bê-a-bá.

Jogada ensaiada de bola parada com ‘subida’ de zagueiros à área adversária também é sobejamente conhecida.

Enfim, mesmo com a sua brincadeirinha de esconde-esconde, oxalá que para o bem do torcedor bugrino o time traga uma vitória de Votuporanga na manhã de domingo.

BRIGATTI: CONTRASTE

Na Ponte Preta o treinador interino João Brigatti ficou exultante com o treino desta sexta-feira, conclamou a torcida para lotar o Estádio Moisés Lucarelli, e transborda em otimismo.

Na prática pode nem acontecer o projetado por Brigatti no jogo deste domingo contra o Corinthians, mas pelo menos cria clima no elenco e puxa a torcida pra jogar junto.

Viram a diferença!

  • Eric AAPP (para o Cabeça)
    12/03/2017 01:54

    O Eduardo merecia sua explicação detalhada sobre o que significa um SÉCULO, pois ele estava confundindo com um CENTENÁRIO. Que ingênuo (ou ele forçava de propósito, como os bugrinos em geral?). Quanto ao Dérbi dos Dérbis, acho que só faltou desenhar para ele que o de 1981 valia uma Taça Oficial (está na nossa sala de Troféus) e um Título de Campeão (Paulista do Turno), sendo que o Dérbi do Medina não deu nada além de uma vaga para depois ser vice do Santos.

  • Paulo Sergio
    11/03/2017 19:18

    Mais um patrocínio de PESO acertou com a MACACA trata-se da rede varejista Casas Bahia. Então vamos lá, ADIDAS, BRASIL KIRIN, PILOT PEN, CAIXA e agora CASAS BAHIA, alguém já viu gigante se interessar por anão?? eu não!! kkkkkkkkkkkkkk...acho que tá provado que um título a cada 40 anos não leva ninguém a lugar algum, a não ser viver de passado!!. kkkkkkkk...

  • TIO LEI - (1)
    11/03/2017 15:35

    Dando um bom tempo ao stress, e deixando de lado alguns entreveros com rivais que sequer sabem o que ou o por que estão escrevendo, elementos que já deram mostras que se sentem envergonhados pelo time que torciam, sim, torciam, pois tudo o que fazem neste blog é vir afrontar A MAIOR E MAIS APAIXONADA TORCIDA DO INTERIOR ou a GLORIOSA PONTE PRETA lidima representante de Campinas nas principais competições do país, torcedores estes que SE ESCONDEM...

  • TIO LEI - (2)
    11/03/2017 15:31

    ...e se CALAM, quando lhes perguntei: Para qual time eles estão torcendo para ser CAMPEÃO PAULISTA, e para qual time estarão torcendo para ser CAMPEÃO BRASILEIRO... São MISTOS. Se escondem e se acovardam quando a verdade lhes é imposta. Estou dizendo isto, pois vejo parceiros dando respostas ao eduardo, cujo elemento, quando vejo seu nome no cabeçalho da mensagem, faço questão em NÃO MAIS LER. Pra mim, TORCEDOR DE VERDADE importa-se mais com o seu time que o time adversário...

  • TIO LEI - (3)
    11/03/2017 15:30

    ...é só prestar atenção, ele não fala sequer 2 linhas de seu time, sem lembrar da NOSSA GLORIOSA PONTE PRETA, um sujeito que via de regra, tem que ser lembrado pelo titular do blog, que em certos momentos, primeiro ele tem que falar do próprio time, um sujeito que CRIA SUAS PRÓPRIAS VERDADES. Uma pessoa assim não merece mais minha atenção. Por isso, repito. Ao ver seu nome no cabeçalho da postagem, esquivo-me de fazer sua leitura, assim como tenho agido com outro cidadão.

  • Paulo Sergio p/ Cabeça
    11/03/2017 15:28

    Prezado Cabeça, valeu seu esforço em desenhar pro rival, mas Tio Lei já cansou de tentar, eu já cansei de tentar e o Fernando também, mas não adianta, não aprende! Até para falar em dérbi do século ele tem dificuldade, coisa de quem VIVE DE PASSADO e adora levar porrada. kkkkkkkkkkkkkk....

  • Celio
    11/03/2017 15:28

    Embora eu fosse bem garoto em 1981, me lembro muito bem desse Derbi. Um clássico entre Corinthians e Palmeiras hoje não serviria nem como preliminar naquela época. O Guarani só com Jorge Mendonça e Careca já dispensava comentários. O time da Ponte era mais raça, parecia o Corinthians de dois anos atrás. Os jogadores medianos dos dois times eram melhores que metade dos de hoje. Se jogassem hoje, estariam todos na Europa. Será que o futebol dessa época um dia vai voltar? NO WAY...

  • Paulo Sergio
    11/03/2017 12:38

    Querem saber o ABISMO que separa a PONTE do terceiro time de Campinas o gfc time da torcida PCM (Pequena,Chata e Mista) então vamos lá: Precisam ganhar do Votuporanga para continuar em 9º isso se a rodada ajudar, se perder ou empatar pode até entrar no Z6. A PONTE mesmo que perca, pode cair para 5º na geral e segundo na chave, eu disse PODE, e tudo isso por que a PONTE está na série A do paulistão e não na varzea!! cont..

  • Paulo Sergio
    11/03/2017 12:37

    Cont...Série A em Campinas é só para a PONTE e RB Brasil, e futebol não é para falido!! kkkkkkkkk... vejam que foi só o Camelô do relógio parar de por din din e de novo salários atrasados, em março pagou Janeiro e Fevereiro (Pelo menos é o que dizem) como ali é tudo mentira e ilusão...quem sabe em Junho paguem os salários de Março, Abril e Maio. kkkkkkkkkkkkk O Batatais vai te pegar hein!! Opa, já pegou faz tempo. kkkkkkk...

  • Denilton GFC
    11/03/2017 12:35

    Caro Ari e amigos bugrinos: Voltei aqui para CONCORDAR com o Ari e vou escrever o nome: FUMAGALLI tem que sair do time. Sua igrejinha dentro do elenco já passou dos limites. Na última derrota para o Capivariano o time já perdia de 1x0 teve o primeiro escanteio ele tocou pro Lenon que retornou para ele em impedimento JUVENIL com o time todo na área. Portanto TREINEIRO TIRA BOLEIRO cansado do time.

  • Cabeça
    11/03/2017 12:34

    E por que 1981 foi o Derbi dos Derbis ? Por que cada time tinha pelo menos 3 jogadores de seleção, era uma final de turno em uma época em que o estadual durava 6 meses e era tão importante quanto o brasileiro, foi televisionado ao vivo pela Rede Globo em horário nobre, Luciano do Valle foi o narrador, e porque foi um jogaço com 5 gols, foi o segundo jogo e não um jogo único, portanto vivemos na época pelo menos uns 10 dias só se falando nisso, e foi muito mais bonito que o de 20

  • Cabeça para Eduardo
    11/03/2017 10:36

    Eduardo, você deve ser petista, montou uma lógica toda para justificar o derbi do século. Não se conta o século pelo data que se iniciou o clássico, mas sim pela data que se inicia o século, século XX começou em 1901 e terminou em 2000, nesse século o dérbi mais importante foi o de 1981, século XXI, teve início em 2001 e irá terminar em 2100, por enquanto o derbi mais importante foi o de 2012, agora entre os dois o mais importante foi o de 1981, foi o derbi dos derbis

  • Fernando para Eduardo
    11/03/2017 09:36

    Eduardo, seja sincero, vc fala tanto que seu time é campeão, mas diz pra mim, vc viu seu time ser campeão? Se viu vc tem o que? 60 anos? Acorda pra realidade, viva o presente, seu time Faliu e acabou. Jogam esses campeonatos ridículos e mesmo assim são humilhados. Vc não acha humilhante a situação de seu clube, que não consegue nem pagar seus funcionários? Não acha ridículo seu time até na A2 nem ficar entre os 4?

  • Fernando para Eduardo 2
    11/03/2017 09:29

    Como seu time é ridículo, uma verdadeira piada, só te resta vir aqui, no espaço do único time profissional de Campinas pra críticar a Ponte. Acorda pra realidade seu frustrado, seu time acabou, faliu..Só te resta vir aqui criticar a Ponte, e quer saber? Seja bem vindo, é bom melhor querer comentar um Ponte X Corinthians do que acompanhar a humilhação de seu time nos TRT da vida ou nesses camp.de várzea do seu timeco.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo