08
JUN
Ponte Preta fez sim uma ‘força danada’ para perder; e foi goleada

Pois é, de fato a Ponte Preta fez uma ‘força danada’ para perder do apenas esforçado Atlético Goianiense. Pior ainda: passou vergonha ao sofrer goleada por 3 a 0 na noite desta quinta-feira em Goiânia, e deixou a gente aqui também passando vergonha, visto que a destacamos como favoritíssima antes de a bola rolar.

O time goiano vinha de quatro ‘sapatadas’, a última delas por 3 a 0 diante do Bahia segunda-feira passada. Ele também havia marcado apenas um gol até então.

Todavia, a Ponte começou a levar o jogo em ritmo de treino, dando totozinho na bola e abusando de recuo, como a esperar uma brecha que o adversário não dava.

O que jamais se previa no time pontepretano era que o regularíssimo Marllon fosse falhar nos dois primeiros gols dos goianos.

No primeiro, em cobrança de escanteio, perdeu a disputa por cima para Everaldo, que testou de forma indefensável.

Ainda no primeiro tempo, Marllon empurrou Jorginho infantilmente aos 45 minutos e, na cobrança, Everaldo converteu.

A zaga da Ponte já havia falhado quando o placar estava em branco, ocasião em que Andrigo ficou na cara do goleiro Aranha, que defendeu.

Foi um período em que a Ponte sequer exigiu defesa do goleiro Felipe. Ninguém, no time, jogou absolutamente nada.

O lateral-direito Nino Paraíba, que poderia servir de válvula de escape para levar a bola ao ataque, teve que ficar mais preso à marcação, visto que a maioria das jogadas de ataque do adversário foi concentradas no seu setor.

SKEIK E CAJÁ

Após o equívoco ao escalar o volante Fábio Braga, o treinador pontepretano Gilson Kleina buscou colocar mais ofensividade na equipe sacando os volantes Wendel e Fábio Braga, colocando Sheik e Cajá.

Como o time goiano passou a ter mais preocupação defensiva, Sheik foi absorvido pela marcação e Cajá continua fora de forma, sem a mínima mobilidade para acompanhar o fluxo natural das jogadas.

Como Lins e Lucca não davam sequência às jogadas ofensivas, a defesa do Atlético Goianiense passou todo segundo tempo sem ser ameaçado.

Na prática, três chutes fracos que sequer incomodaram o goleiro Felipe, através de Emerson Sheik, Cajá e Léo Artur.

Preocupante aos pontepretanos foi a atuação do zagueiro Rodrigo, sem recuperação e tomando bola nas costas.

Apesar da péssima atuação da Ponte Preta, errou o árbitro Pericles Bassols Cortez ao validar o terceiro gol dos goianos com Luís Fernando em posição de impedimento aos 33 minutos do segundo tempo.

Acertou, todavia, ao expulsar o volante Élton por jogada violenta aos 45 minutos.

A rigor, não fosse o goleiro Aranha, que voltou a praticar defesa difícil em arremate de Andrigo, o placar seria mais elástico.

Nesse cenário, se presumia-se que o Atlético Goianiense fosse uma ‘baba’, no frigir dos ovos uma ‘baba’ foi a Ponte Preta.

  • João AAPP
    09/06/2017 21:54

    Caros amigos, não entendo o que passa na cabeça de treinador, vamos aos fatos: jogo retrasado , contra o São Paulo, li a seguinte manchete: "Emerson Sheik entra no 2º tempo, time melhora e ponte vence" Cacete!! Porque não entrou com esse mesmo time contra o Atletico?? Entrar com Sheik e Cajá no 2º tempo , perdendo de 2x0 foi queimar os caras. Aviso, contra a Chapecoense tem que ficar muito esperto, a CHAPE tem um time muito superior que do atletico.

  • Barba
    09/06/2017 17:50

    Bora buscra o Eduardo Baptista. Kleyna está ultrapassado e está dando ouvidos aos amiguinhos do Rei. Chega de tanta me...rda.

  • Amaury
    09/06/2017 17:09

    Impressionante como se iludem com a Ponte Preta.O time é fraco.Será mais um ano de campanha pífia.E ainda querem torcedor no estádio.lamentável

  • Tito
    09/06/2017 17:09

    Coisas do futebol. Os dois times de Campinas alavancaram os times de Goiás na Tabela. Assim fica difícil, depois eles querem que as torcidas lotem os estádios!

  • João da Teixeira
    09/06/2017 17:08

    A tropa de choque do Temer no TSE está terrível, Gilmar, Admar, bom, todos "homes do mar", como diria o caipira. Outra coisa, o governo foi obrigado a se manifestar sobre a viagem de Temer com o jatinho da JBS, mostrando o nível de intimidade que ambos tinham. O dono da JBS até enviou flores, o que foi informado ao então vice-presidente, que não estava no voo, mas teria ficado com ciúmes. Teriam orientado o piloto a dizer que foi a mãe de JB que enviou. Será que foi uma cantada?

  • RMaia
    09/06/2017 12:14

    Como eu amigo meu me disse agora a pouco, e tenho que concordar com ele, a Ponte se especializou em reabilitar times em apuros e perder finais de campeonato.

  • MARCELO
    09/06/2017 12:14

    Goiania 6 X 1 Campinas

  • Carlão da Farmácia
    09/06/2017 12:14

    Onde está Matheus Jesus? Bando de empresarios comandados pelo Corleone.

  • Tony
    09/06/2017 12:13

    Professor Pardal!! Para de inventar! Robin Woody de sempre. Acho bom parar de escalar através de empresários. Aqui é macaca!!

  • João da Teixeira
    09/06/2017 12:13

    Sheik e Cajá, será que esse meio dá liga? No time do Lar dos Velhinhos, com certeza, mas na série A, tenho minhas dúvidas. Eles andam dizendo que a bola tem corrido muito, que é redonda demais. Convenhamos, Sheik chegou agora, mas o Cajazeiras já está há pelo menos 3 meses no SPA pontepretano e ainda não acertaram o preparo do cara. O cardápio dele com certeza, tá ganhando consistência ... Mesmo dando porrada o time não vai, mas não desistamos, porrada, porrada...

  • Barba
    09/06/2017 12:12

    Fora Rodrigo. Elton, Caja! A Ponte não precisa de vocês!

  • Profeta da Tribo
    09/06/2017 10:51

    Acho que a Ponte vai mandar o Kleina embora se perder o próximo jogo.

  • Wanderlei
    09/06/2017 09:42

    Com todo respeito ao técnico Gilson Kleina, é um treinador ultrapassado e não é treinador para seria A, muito confuso ou ele começa a repensar nas suas escolhas ou não vai durar muito na PONTE PRETA.

  • Paulo Sergio p/ Ataulfo
    09/06/2017 08:52

    Caro Ataulfo, por falar em Sheikira, quando estréia Bicharlison?

  • RMaia
    09/06/2017 08:51

    Tudo conforme eu escrevi ontem, a Ponte deu uma de Chile e reabilitou o AG., foi o adversário ideal para os goianos. Com os três pontos de ontem, a Ponte já desperdiçou 5 pontos no Brasileiro. Quase totalidade dos clubes vão fazer 6 pontos sobre o Atlético de Goiás, já a Ponte se dá o luxo de dar 3 pro coitadinho.... Fico aqui com minhas dúvidas se Kleina não está sendo obrigado a escalar alguns medalhões pra justificar investimento do Clube.

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
07
JUN
Ponte terá que fazer uma ‘força danada’ para não vencer o fraco Atlético Goianiense

Tenho por hábito não fazer projeção sobre pré-jogo, na maioria das vezes fincada no achismo.

Como toda regra tem exceção, permitam-me citar que a Ponte Preta jamais pode desperdiçar a chance de ouro de trazer três pontos de Goiânia na noite desta quinta-feira.

Eu vi esse time do Atlético Goianiense enfrentar o Corinthians na terceira rodada e perder por 1 a 0 no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Logo, pelo futebol mostrado digo com clareza: é uma ‘baba’.

Moleza igual essa raríssimas vezes a Ponte vai pegar nesse Campeonato Brasileiro.

Portanto, não cola o papo furaco que empate fora de casa é resultado bem recebido.

Sim, é aceito conforme as circunstâncias, quando enfrenta-se um adversário devidamente qualificado e com peso da torcida.

RESPEITAR

Convenhamos que agora não é o caso. E evidentemente o discurso da comissão técnica também deve ser de respeitar o adversário, para que os jogadores pontepretanos não afrouxem, projetando que o resultado ocorrerá naturalmente.

Vitórias, por regra, são buscadas. É obrigação, seja qual for o adversário, de os jogadores se desdobrarem em campo.

O raciocínio lógico indica que a Ponte vai precisar fazer uma força danada pra perder esse jogo programado para a noite desta quinta-feira. Terá que jogar muito mal, o que não tem ocorrido nesse início de competição.

O retrospecto do Atlético Goianiense é de quatro jogos e quatro derrotas, a última delas por 3 a 0 para o Bahia, em Salvador.

Assim, independentemente de o treinador pontepretano Gilson Kleina optar por três volantes, a Ponte tem que ser ousada ofensivamente e fazer o resultado.

  • Léo Ramalho
    09/06/2017 12:12

    durante a semana o discurso era não menospresar o adversário por ser o ultimo da tabela.Porém o que se viu em campo foi um time sem compromisso tático e achando que o resultado viria a qualquer momento. Não foi isso que aconteceu. Gilson Kleina não me engana, concordo com um companheiro que escreveu anteriormente. Sim Kleina é treinador de serie B! Até quando vamos ficar na mesmisse de treinadores café com leite e termos treinadores que fazem a diferença.

  • João da Teixeira
    09/06/2017 12:11

    2x0 acabou sendo pouco, foi 3x0 com Walter "Redondo" e tudo mais. Se eles tinha o Walter Redondo, nós tínhamos o Rodrigo Quadrado no que tange a seu futebol. Hoje, no fuso horário Australiano, foi dia de reabilitações, das 7h15 às 09h. da matina, a Ponte reabilitou o Drogão, desculpe, o Dragão, também tanto faz, vai? E das 20h. às 21h45 o Brasil reabilita a Argentina e essa acaba quebrando o "lacre" do Tite. Só esperamos que a coisa não descambe pelos lados de ambos os times.

  • João da Teixeira
    08/06/2017 22:16

    2x0 no lombo, a Ponte mostra para seus torcedores porque eles não devem ir ao campo. Para morrer infartado, é melhor morrer em casa, no aconchego da família. Pelo jeito a Síndrome pegou, mas não é a do "sir" de Sherwood e sim a da Madre Tereza de Calcutá, protetora dos fracos e oprimidos. Dá para encarar tal situação dentro da Ponte se não for na porrada? Adiantou falar em respeito da boca para fora?

  • RMaia
    08/06/2017 16:06

    Sei não, Atlético vem com treinador novo e eu já considero um forte candidato ao rebaixamento. Quando a Seleção está mal das pernas, sempre marcam amistoso contra o Chile, ela sempre vence e inicia reabilitação, pois é a Ponte muitas vezes é o Chile, sempre perde e acaba reabilitando time que tá atolado, Foi assim contra o lanterna Vasco em 2015 e este ano contra Santo André.

  • João da Teixeira
    08/06/2017 16:05

    Memória curta do Temer foi avivada rapidinho, qdo disse não saber de quem era o avião emprestado. Lembraram ele que, a sua mulher Marcela recebeu um ramalhete de flores do Joesley, dono do avião, ao sair de Comandatuba e assim que ficou sabendo, Temer ligou para o Joesley dizendo nas entrelinhas do agradecimento dado pelas flores recebidas pela sua mulher, que "a nêga é minha ninguém tasca eu vi primeiro...". Se cuida Temer ...

  • Ruz
    08/06/2017 16:04

    Síndrome de Robin Hood ?

  • João da Teixeira
    08/06/2017 16:04

    Alguns times já estão mostrando a bunda no brasileiro. Um é o time que a Ponte joga hoje em Goiânia, mas tem 3 outros que já estão tomando friagem nos fundilhos. O Vasco, o Vitoria, o Avai e o Atletico-PR. Nem vou considerar o Parmitão, o Galo, Mengo e Santos, que com toda certeza recuperam. A Ponte que abra o olho, pois o jogo de hoje é de 6 pontos, pensando no futuro, para não ficar entre os 4 do "strike" final.

  • João da Teixeira
    08/06/2017 16:03

    Ouvi o kleina falar em manter o foco e respeitar o adversário. Não adianta falar da boca para fora. Tem que pensar em ganhar. O adversário pode até estar respirando por aparelhos, mas está vivo. O atacante Walter é um artilheiro nato, apesar de todo seu tamanho esférico, e não podemos dar mole. Síndrome de Robin Hood nesse momento seria o mesmo que "peidar no meio de uma relação", broxante. O negócio e dar uma de São Jorge, enfiar o espeto no Dragão...

  • João da Teixeira
    07/06/2017 23:21

    Ari, se conheço a Ponte, temos que dar porrada de cara e ainda assim corremos o risco de sofrer a Síndrome de Robin Hood. Não me arrisco em falar de vitória fácil. Agora o Parmitão, só deu ele no 1°tempo e no 2° tempo o Curitiba fez 3 ataques e fez 1x0, mas poderia ter sido 2x0 já que um atacante do coxa perdeu um gol que minha avó não perdia. Cuca veio como solucionática e poderá sair como problemática para os dirigentes. E olha que ele já está pedindo arrego...

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo