01
NOV
Gustavo Bueno acerta em cheio nas dispensas na Ponte Preta

Alberto César, meu chefe na equipe de esportes da Rádio Brasil-Campinas, me questiona: “Até o lateral-direito Diego Renan na lista dos dispensáveis da Ponte Preta?”

Aí respondo sem hesitação: jogador rigorosamente comum.

Diante do espanto do narrador emoção - o melhor de Campinas -, reafirmo: rigorosamente comum.

E justifico: é veloz? Não. É criativo? Não. Pega bem na bola? Razoável. Erra passes? Muitos. Toma bola nas costas? Incontáveis vezes. É exímio marcador? Razoável. Cobre o miolo da área na bola aérea? A estatura mediana não permite.

Portanto, jogador aquém das exigências técnicas da Ponte Preta.

Aí podem questionar: por que só descobriram isso agora?

Porque falta gente da bola na diretoria executiva e quem fez o planejamento de reforços antecedendo o coordenador Gustavo Bueno abusou do direito de errar.

Por citar Bueno, acertou em cheio nos cinco atletas que integraram a lista de dispensa, casos de Diego Renan, Édson, Gerson Magrão, Alex Maranhão e Rafael Longuine (foto).

Cobra-se dele, todavia, que a lista não pare por aí. Tem boleiro que ele contratou que também precisa ter o mesmo destino, como o atacante Dadá, por exemplo.

REDUÇÃO DE CUSTO?

Claro que num primeiro momento podem argumentar que a Ponte Preta não terá redução de custo, pois os atletas têm contratos vigentes até o final do mês.

Sim. Há que se considerar que a partir do momento em que estão em disponibilidade pela Ponte Preta, é natural que negociem com outras agremiações.

Aí convencionando-se a hipótese de acerto para transferência, é natural a quebra do vínculo com a Ponte Preta, a menos que unilateralmente o clube tenha rescindido os contratos deles, e vai arcar com o pagamento integral do salário de novembro.

QUEM VEM?

Quem sai é que o menos interessa no momento da Ponte Preta. O que se questiona é quem vem? E de que forma?

Histórico dos últimos anos mostra aliança da diretoria da Ponte Preta com influentes empresários, que empurram ao clube jogadores de duvidosa capacidade técnica.

Aquela conversinha de que bancam parte do salário dos supostos reforços tem persuadido dirigentes, que sequer avaliam com critério a validade do negócio.

Esse modelo precisa ser modificado. É de responsabilidade de Gustavo Bueno avaliar as apostas que podem vingar na Ponte, e a partir disso contatar diretamente os respectivos empresários.

É inadmissível a Ponte Preta elaborar folha de pagamento do elenco por volta de R$ 1 milhão com jogadores de condição técnica duvidosa. Não fosse isso o time não estaria no meio da tabela, já sem chances de sonhar com acesso.

Portanto, mãos à obra. E comecem a pensar num treinador com mais repertório de bola rolando, o que faltou por todos que passaram pelo clube nesta temporada.

  • Tito
    02/11/2019 23:14

    Quando o Longuini subiu a avenida eu cantei a pedra para alguns amigos, iria passar a temporada no DM ou pipocando. Ele até chega a impressionar com o faro de gol, mas mas leva a carreira a sério.

  • Profeta da Tribo
    02/11/2019 23:14

    AAPP, na sua arrogância, contratou Longuine, para poder dizer que o tirou do Guarani. Acontece que Longuine, apesar de bom jogador para Série B, possui um histórico enorme de contusões. Vive no DM. Aí não adianta. AAPP é sinônimo de arrogância. E discordo do desligamento, isso vai abalar o elenco ainda mais. A AAPP ainda não escapou da degola.

  • Tony
    02/11/2019 23:13

    Onde está o resto da lista Gustavo? Arnaldo, Edilson, Reginaldo, Marquinhos, Dadá, Marcondele, João Carlos, Thiago, etc. Urgente. Tem que começar o ano com atleta que goste da ponte. Jogadores sem compromisso! Não!

  • Barba
    02/11/2019 23:13

    Ari - Gustavo Bueno já tinha acertado a 1a rapa. Agora só começou a limpeza. Perdemos tudo o que disputamos esse ano, inclusive um troféu do interior em casa e uma copa do Brasil pífia! Tá tudo errado sim! Limpeza geral.pSTW

  • Mabilia
    02/11/2019 23:12

    Queridos amigos deste site espetacular do Ariovaldo Isac, MMesmo em tom de brincadeira, gostaria de sugerir uma mundaça nos treinos dos times de futebol.Ocorre que a maioria dos jogadores de frente para o gol chutam para fora , tanto para lado esquerdo do gol como lado direito.. Vamos treinar agora com duas traves uma do lado direito do goleiro e outra do lado esquerdo, deixar o meio vazio, para a boleiradas chutar. Quem sabe eles acertam mais o gol . Oque vcs acham:? kkkkkk

  • Ruz
    02/11/2019 00:38

    Mas que contratou esses " cracks " não foi o próprio Gustavo Bueno ?

31
OUT
Credite essa vitória do Guarani na conta do treinador Carpini

Um dia o filósofo de botequim disse que jogo é jogado e lambari é pescado. Quando atribuíram favoritismo do Sport sobre o Guarani desconsideraram que o time pernambucano sequer mereceu vencer o Paraná de virada, semana passada, nos minutos finais, pois praticou um futebol previsível e sem criatividade.

Nesta vitória do Guarani sobre o Sport por 1 a 0, gol do atacante Diego Cardoso aos 49 minutos do segundo tempo, crédito total ao treinador Thiago Carpini, que sabiamente anulou o principal jogador adversário: atacante Guilherme. E, de quebra, acreditou que reabilitaria o atacante Diego Cardoso e foi bem sucedido.

Mérito principal de Carpini foi ter puxado o meia-atacante Lucas Crispim do lado esquerdo para o direito, para coadjuvar o lateral Lenon, e duplicar a marcação sobre Guilherme. Assim, transformou o atacante adversário em 'peso morto', incapaz de fazer uma jogada sequer.

Pronto. Com cinquenta por cento do poderio ofensivo do Sport aniquilado, bastaria a defensiva bugrina não falhar para não ser vazada.

Apesar disso falhou duas vezes. Se o volante Charles, do Sport, não é cabeceador, jamais poderia acertar testada na bola que exigiu reflexo do goleiro Jefferson Paulino para tocá-la, e contar com a sorte dela ainda ter se resvalado na trave.

Depois, em cochilo do miolo de zaga, Yuri, cara a cara, conseguiu chutar a bola pra fora.

PREVALECIMENTO DO GUARANI

Afora isso, prevalecimento do Guarani que mais uma vez se superou neste Campeonato Brasileiro da Série B, na noite desta quinta-feira.

Tudo dentro de suas limitações: aplicadíssimo na marcação, cuidado na troca de passes para evitar erros, e acelerar ofensivamente em contra-ataques ou com percepção de buracos a serem explorados.

Embora o Guarani quase nada criou durante primeiro tempo, o chute do meia Artur Rezende com bola na trave, em cobrança de falta, redobrou a confiança da boleirada de que o time poderia acreditar nos três pontos.

Poderia porque o Sport era excessivamente lento na transição ao ataque, e possibilitava recomposição defensiva dos bugrinos.

DIEGO CARDOSO

Assim, com controle ofensivo da partida - principalmente após a entrada de Diego Cardoso no lugar de Rondinelly - o Guarani já poderia ter marcado em conclusão de Nando, mas o goleiro Luan Polli e lateral Sander evitaram.

Como o volume ofensivo persistiu nos acréscimo, em arremate do lateral Lenon a bola foi mal rebatida pela defesa do Sport, sobrando para o atacante Diego Cardoso fazer a pequena torcida bugrina explodir de alegria no Estádio Brinco de Ouro, como a espantar o risco de rebaixamento que ainda não foi superado. Todavia, passo considerável já foi dado.

  • Tito
    02/11/2019 23:15

    Quem esteve no Brinco viu um bom jogo. Viu um Guarani surpresa, isto pela escalação do Rondinelli como titular, muito bem armado taticamente pelo Carpini, que mais uma vez surpreendeu pela coragem e visão que só ele tem, com isso mais um litro de leite tirado de pedras! Mas para mim, como torcedor, tirando os assombros que o Jeferson Paulino causou quando saiu jogando com os pés, foi uma vitória das mais emocionantes. Lindo, lindo, lindo. HSG

  • Herald
    01/11/2019 22:49

    Ótimo jogo. Lenon, B.Silva, Giaretta, Marcelo e A.Rezende, tecnicamente os principais destaques. Exceto M.Douglas, que mostrou apenas muito espírito de luta, os demais também fizeram bom jogo, principalmente no aspecto tático e quanto à seriedade demonstrada. Diminuiram as bobeadas nas trocas de bola na defesa. O Thalisson, menos avoado que em outros jogos, foi importante peça para contra-atacar. E o ataque, mais municiado, pisou mais na área e ofereceu mais perigo ao Sport,

  • Barba
    01/11/2019 16:34

    Parabéns ao carpini! Excelente treinador!

  • Profeta da Tribo
    01/11/2019 16:33

    Depois do jogo contra o São Bento, eu disse que estava preocupado. O Bugre estava perdendo sua identidade. Mas, ontem, retomou o caminho certo. O Guarani está muito longe de ser um time tecnicamente bom, só que tem apresentado, sob Carpini, uma qualidade que enche de orgulho a torcida bugrina: coragem para vencer. O Bugre jogou ofensivamente, propondo o jogo e sendo claramente superior ao Sport. Mantendo Carpini, contratando 8 atletas de nível mais alto, teremos um ótimo 2020!

  • Profeta da Tribo
    01/11/2019 16:33

    Quando vi o Rondinelly de titular, confesso que vários pensamentos passaram pela cabeça. Esse jogador mostrou muita qualidade na A2 de 2018, e depois sumiu. Carpini vai mesmo escalá-lo? Um risco alto, pois uma má partida de Rondinelly e o próprio Carpini começaria a sofrer as críticas. Mas o treinador teve coragem e ousou fazer algo diferente. Essa coragem que é marca registrada do Bugre. Coragem para lutar, para atacar, para vencer. Muito orgulho de ver o DNA bugrino em açao.

  • Ruz
    01/11/2019 00:31

    Interessante saber quantos pontos o Carpini ganhou nos jogos do Guarani.

  • JOAO FRANCO
    01/11/2019 00:30

    ASSISTI PARTE DO JOGO PELO SITE DO GLOBO ESPORTE, VI O GUARANI JOGAR COM GARRA , DISPOSIÇÃO, APLICAÇÃO; O GOL DE CRAQUE DE DIEGO CARDOSO, GIROU O CORPO COM A BOLA PARA O LADO ESQUERDO, E METEU UM CANUDO DE CANHOTA.....VAMOS TER UM DÉRBI COM PEGA PRA CAPA DE AMBAS AS PARTES....

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo