21
NOV
Guarani quer ultrapassar Ponte; América precisa vencer para se aproximar da vaga

Dança miudinho quem arrisca favoritismo a esse ou aquele neste Campeonato Brasileiro da Série B, predominantemente de incertezas.

Quem contava com vitória do Atlético Goianiense sobre o Brasil, mesmo em Pelotas, nesta quinta-feira, dançou.

O Brasil até sustentava vitória por 2 a 0, mas cedeu empate por 2 a 2 já nos acréscimos.

A partir disso o jogo entre América Mineiro e Guarani, na noite desta sexta-feira em Campinas, se reveste de tremendo interesse.

Agora o América depende exclusivamente de suas forças, bastando vencer as duas partidas restantes.

Com mais três pontos, ele pula para 61 pontos, mas ainda terá que vencer o São Bento na última rodada.

Ocorre que pega um Guarani com objetivo de terminar a competição à frenta da rival Ponte Preta. Para isso basta que vença o jogo no Estádio Brinco de Ouro.

Assim, chegaria aos 47 pontos, e já não seria alcançado pela rival, cujo limite de pontuação também será nos 47, na hipótese de vencer o Brasil de Pelotas em Campinas, na próxima terça-feira.

No caso específico, com empate na pontuação, o Guarani se prevalece no critério número de vitórias.

E mesmo que perca do América, o Bugre ainda pode termina à frente da Ponte caso vença o Londrina na casa do adversário.

FIGUEIRA POR UM PONTO

A parte de baixo da classificação pode ser definida nesta sexta-feira, na hipótese de o Figueirense arrancar um ponto contra o CRB, em Maceió.

Caso isso ocorra, vai chegar aos 40 pontos e já não poderá ser alcançado por Londrina, Criciúma, Vila Nova e São Bento, todos com 36 pontos.

Mesmo que perca do CRB, o Figueirense ainda terá outra chance de escapar caso apenas empate contra o Operário, em jogo programado para Florianópolis.

CURIOSIDADE

Quem viu aquelas comemorações efusivas de jogadores do São Bento por ocasião do terceiro e quarto gols, na goleada sobre o Londrina por 4 a 1, ficou sem entender nada.

Ora, comemorar pra que se os gols não devem valer pra nada?

Pior é que a televisão flagrou na arquibancada torcedores abrindo largo sorriso com os gols. Sorrir pra que?

E acreditem se quiserem: o público pagante neste jogo em Sorocaba foi de 1.230 torcedores.

Acreditem também que o atacante Zé Roberto, do São Bento, lembrou Breno, do Figueirense, de perder gol incrível e entrar para o Inacreditável F.C.

Pois Zé Roberto perdeu gol a dois metros do goleiro adversário. Pegou de canela na bola. De certo vai culpar o gramado do Estádio Valter Ribeiro.

  • João da Teixeira
    22/11/2019 17:08

    Bom, para a torcida bugrina nos últimos tempos, restou apanhar as migalhas caídas no chão. Vc por uma matéria, falando da necessidade do bugre terminar na frente da Ponte, acabei achando surreal. O objetivo do bugre já foi alcançado, a draga já foi içada da lama, chegar ou não chegar na frente de um time arrasado, vai dar moral para o bugre em2020? Só vcs bugrinos, mesmo!

  • Barba
    22/11/2019 17:08

    A Grande verdade: os 2 times da cidade decepcionaram, de novo. Vamos torcer pra que algo diferente aconteça em 2020. E pensar que já fomos a capital do futebol...

  • Paulo Sergio
    22/11/2019 12:11

    Pois é Agostinis, muita gente também pediu a saída de Carpini até dias atrás mas depois que se manteve querem que ele fique por que tem a cara das galinhas.

  • Paulo Sergio l
    22/11/2019 12:11

    E mais Agostinis, nem amor se faz sem dinheiro, quer comprovar? deixe de pagar as contas da sua casa! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • ARIOVALDO ZANELLI
    22/11/2019 12:10

    CAMPANHA DA PONTE PRETA EM 2019 DE 27 JOGOS ATÉ 37 JOGOS. RODADA: 27 PONTOS 38/ 28 = 39/29 = 40/30= 41/31 = 41/32=42/ 33= 43/34 = 44/35 = 44/36 = 44/37 = 44. NÃO POSSO FALAR NADA, MAS OS DADOS MOSTRAM A REALIDADE DA PONTE, INCOMPETÊNCIA NO FUTEBOL, ETC.

  • Carlos Agostinis
    22/11/2019 11:40

    Engraçado, quando o Kleina desprezou o Guarani pra ir pra ponte, todo mundo deu risada e disse que iam subir, pq o tal é acara da xita.pois é deram com os burros nagua. Agora querem que ele saia..eu já disse outro dia , futebol se faz com dinheiro, sem dinheiro só se faz amor.

20
NOV
Kleina projetou o que fazer; já seu auxiliar Juninho assistiu Guilherme ganhar o jogo

Impedido de trabalhar no espaço destinado a treinadores no gramado, por mais uma suspensão, até que o planejamento tático feito por Gilson Kleina, para a Ponte Preta, foi recomendável diante do Sport, em Recife.

Problema é que quando a bola rolou o auxiliar técnico Juninho não teve a devida percepção pra fazer aquilo que era necessário, e o time dele perdeu um jogo por 2 a 1, de virada, que teoricamente seria controlado na noite desta quarta-feira.

Acertou Kleina quando projetou que dobrassem a marcação sobre o atacante Guilherme do Sport, pelo lado esquerdo, até quando ele fazia a diagonal. Os incumbidos da missão eram Araos, que recuava, e Edilson. De quebra ainda ficava o volante Camilo em suposta sobra.

Durante o primeiro tempo foi neutralizado o criativo Guilherme, e o Sport se transformou num time apenas voluntarioso e 'marcável'.

E assim percorria o primeiro tempo com predomínio da Ponte Preta. Surpreendentemente o meia Renato Cajá fazia boa partida e o volante Lucas havia resolvido ser Lucas Mineiro.

Assim, mesmo com o improvisado e torto Arnaldo na lateral-esquerda, com Camilo perdendo bola, Marquinhos não dando sequência às jogadas, a Ponte ainda teve volume de jogo antes do intervalo.

Na prática, além do gol do centroavante Roger após cobrança de escanteio, ele novamente, Cajá e Marquinhos exigiram defesas do goleiro Luan Polli.

MARCAÇÃO INDIVIDUAL

Encaixotado pela marcação dos pontepretanos durante o primeiro tempo, Guilherme mudou de postura após o intervalo. Ele passou a entrar por dentro repetidas vezes, para confundir a marcação, quando o Sport havia adiantado a marcação.

Ora, se apenas ele merecia cuidado especial, bastava ao auxiliar Juninho fazer o básico: colocar Camilo para individualizar a marcação e pronto.

Nada foi feito e o gol de empate do Sport, aos 14 minutos do segundo tempo, foi de Guilherme.

Camilo ficou marcando a própria sombra, quando o recomendável seria acompanhar o jogador que desequilibra no time pernambucano.

E isso se repetiu já nos acréscimos, no gol que determinou a vitória do Sport.

CAJÁ CANSOU

Com o desgaste físico natural de Cajá logo no início do segundo tempo, evidente que já se esperava decréscimo de rendimento da Ponte. Afinal, era ele quem pensava o jogo e disribuía bola.

Como Roger é dependente de jogada trabalhada, também sucumbiu.

Restava como alternativa ofensiva apenas Marquinhos, apesar do perde e ganha no duelo com o lateral-direito Raul Prata.

Todavia, de forma intempestiva arrumou confusão com Guilherme, Hyuri também se envolveu, e o árbitro carioca João Batista de Arruda expulsou Marquinhos e Hyuri, com prejuízo maior para a Ponte.

Naquela altura Vico já estava em campo em substituição ao apenas esforçado Araos.

Só que a Ponte voltou a ter perda, pois Vico acertou cotovelada no rosto do zagueiro Éder e igualmente foi expulso aos 40 minutos.

GUTO FERREIRA

Se o auxiliar Juninho, da Ponte Preta, não detectou aquilo que deveria ser feito na tentativa de neutralizar Guilherme, convenhamos que faltou ao treinador Guto Ferreira (foto), do Sport, a clara percepção que seu time não precisava sofrer tanto para cravar o resultado.

Ao observar Arnaldo torto pelo lado esquerdo e perdendo disputas até para o irregular Hyuri, seria simples, logo no início, ter deslocado Guilherme por ali pra aproveitar aquela avenida, mesmo com vigilância de Lucas Mineiro no socorro ao improvisado lateral pontepretano.

Considerando-se a trajetória de Guto ao longo desta Série B, tem-se que reconhecer que resgatou a autoestima do torcedor do Sport, com a conquista antecipada do acesso.

Eis a questão: quando o auxiliar técnico é colocado à prova, como foi Juninho, a constatação foi de demora pra pensar no que fazer e a errada oção pelo fraco Dadá em substituição a Cajá.

Pior: Dadá teve chance cristalina pra marcar o segundo gol pontepretano, em trapalhada de Raul Prata, mas mandou a bola na lua.

ADEUS AO VILA NOVA

Que o Vila Nova é o pior time deste Campeonato Brasileiro da Série B, só não vê quem não quer. Por isso está praticamente rebaixado à Série C, após empate por 1 a 1 com o Oeste, em Goiânia, na noite desta quarta-feira.

Alguém acredita em milagre? Teria que vencer o Cuiabá na condição de visitante, na última rodada, e ainda tirar diferença de sete gols no saldo hoje favorável ao Figueirense.

Isso, claro, convencionando-se a hipótese de o Figueirense perder os seus dois jogos.

Portanto, já era para o time goiano.

  • Paulo Sergio
    22/11/2019 11:40

    Caro Ari, por que analisar somente a possibilidade do GFC terminar na frente da Ponte?? vamos lá, se o GFC perder as duas basta a Ponte ganhar do Brasil, se o GFC perder uma e empatar a outra e a Ponte ganhar, também termina na frente, ou não?

  • Jose Ricardo
    22/11/2019 11:39

    Claro que descomprometimento e falta de poder físico pesaram, mas no meu entender o fator preponderante foi a bisonha expulsão do Marquinhos e depois a do Vico, com 11 em campo já tava difícil, com 9 e sem condições físicas foi pedir pra ser derrotado.

  • DE ARI PARA AMORIM
    21/11/2019 22:53

    Prezado Amorim, enquanto o time do Sport correu até o final, concordo com você que de fato a boleirada da Ponte 'arriou' fisicamente após a metade do segundo tempo.

  • João da Teixeira
    21/11/2019 19:44

    Como não dá para falar mais de futebol de Campinas, ontem Dias Tofoli, o próprio professor de javanês do livro de Lima Barreto, ignobilmente disse, mas não disse, qual era a razão do UIF não poder compartilhar informações com a Justiça e Receita. Enrolou bastante e não disse para que veio. Uma vergonha ter o "amigo do amigo do meu pai" como presidente do STF...

  • Amorim
    21/11/2019 15:21

    Ari , estranho foi o comportamento do time Pontepretano enquanto teve pernas, em nenhum jogo do segundo turno o time correu tanto como ontem , será que não foi a famosa " mala " ? Mas como falta qualidade técnica quando acabou o Gás a vaca foi pro brejo .

  • João da Teixeira
    21/11/2019 11:44

    Pois é, jogou como nunca, perdeu como sempre. Até que o 1°tempo a Ponte jogou razoavelmente, até parecia que estavam negociado uma grana com o Sport para fazer corpo mole. No 2°tempo parece que conseguiram a grana e deixaram o Sport tomar conta. Um 100 números de oportunidade de contra ataque desperdiçadas mostra que falta categoria ao time da Ponte. Já entrega o jogo por whatssap para o Brasil de Pelotas e assim economizam o dinheiro da viagem. Credo!

  • Paulo Sergio
    21/11/2019 11:43

    Quando uma diretoria pensa em tudo o resultado é esse do Sport. Vejam que até o empate com o Vila Nova foi programado, por que se tivessem liquidado a fatura naquele jogo, ontem teria no máximo 5.000 torcedores, então empataram com o Vila e ontem encheram os bolsos e sabendo que bateriam fácil esse time de AMEBAS!!

  • Paulo Sergio ll
    21/11/2019 11:43

    Fora toda comissão técnica e 90% disso que chamamos de time!! Penso que Tiãozinho vai fazer sim um bom trabalho, afinal não tem culpa de herdar tanta incompetência de Abdalla.

  • Paulo Sergio lll
    21/11/2019 11:43

    Prezado Ari, Diga por favor no programa da rádio e para seus amigos de imprensa que a torcida da Ponte NÃO quer mais Kleina. Que venha um cara que entenda de esquema e que seja atualizado. Em todos os programas de rádio é unânime a pedida da saída dele.

  • JOAO FRANCO
    21/11/2019 11:41

    BOM DIA A TODOS!! REALMENTE O PRIMEIRO TEMPO DA PONTE FOI RAZOÁVEL, MAS O SEGUNDO TEMPO DEPLORÁVEL, ATÉ AGORA COM 13 DERROTAS, 14 EMPATES, E 10 VITÓRIAS, SENDO 7 VITÓRIAS NO PRIMEIRO TURNO E 3 NO SEGUNDO, POR SINAL SE FOSSEMOS CONSIDERAR APENAS O SEGUNDO TURNO ESTARIA NO Z4. MUITA COISA TEM QUE SER FEITA: JOGADORES, PREPARO FÍSICO, COMISSÃO TÉCNICA, POIS ESSES NÚMEROS NÃO JUSTIFICAM O INVESTIMENTO.........

  • Tony
    21/11/2019 01:39

    Fazia muito tempo que não tínhamos tantos canalhas no Majestoso. Do presidente Abdala até o último atleta! Todos inúteis! Sem compromisso. Fora seus vagais! A ponte tem nojo de vocês!!

  • Barba
    21/11/2019 01:38

    Bora buscar o Guto Ferreira. E fora toda a comissão técnica e diretoria de esportes, inclusive o bando de jogadores inúteis! Vergonha!! Vergonha!!!

  • Ruz
    21/11/2019 01:38

    A Ponte manteve a regularidade, ou seja, perdeu. Gustavo Bueno, Gilson Kleina, 2020 promete .

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo