28
AGO
Apesar da classificação, Guarani fica devendo melhor rendimento

A vitória do Guarani sobre a Portuguesa por 1 a 0, na noite deste domingo no Estádio Brinco de Ouro, pelo Campeonato Brasileiro da Série C, pode ser dividida em dois blocos.

O torcedor bugrino tem que ser parabenizado pelo público de 7.219 pagantes em jogo praticamente de torcida única. E se ele saiu aliviado do estádio com o objetivo da classificação alcançado, o feito tem que ser ressaltado. Afinal, é conseguido com antecedência, e se abre a possibilidade de manutenção de liderança do grupo B e vantagem de ser mandante do segundo jogo na fase de mata-mata, posteriormente.

Acrescente ainda a relevante disposição tática defensiva, pouco permitindo ao time adversário. E como o Guarani marcou um gol em duas chances reais criadas ao longo da partida, a vitória foi merecida.

Gilton participou dos dois principais lances do Guarani
Gilton participou dos dois principais lances do Guarani

GILTON

O lateral-esquerdo Gilton protagonizou as duas jogadas agudas do Bugre no segundo tempo.

Ao arrancar em velocidade ao ataque, cruzou no primeiro pau, e o meia Fumagalli, enfiado entre dois zagueiros lusos, testou livre e de forma indefensável para o goleiro Pegorari.

Logo em seguida, o próprio Gilton chutou cruzado e a bola resvalou no travessão.

Já a Portuguesa só ameaçou num chute de fora da área de Bruno Duarte, com a bola atingindo o pé da trave esquerda do goleiro bugrino Leandro Santos.

REALISTA

Afora os fatos já enumerados, há uma outra discussão que o torcedor bugrino não pode fugir: o jogo foi extremamente pobre. Considere que o Guarani enfrentou um adversário na iminência de rebaixamento à Série D. Sim ‘D’ de dado.

Logo, quem corre risco de ser rebaixado, boa coisa não é. E de fato a Portuguesa justificou os reais motivos da ameaça de desgraça.

Ora, se diante de um adversário que se pauta basicamente pela correria, sem criatividade e força ofensiva, é cobrado do Guarani um rendimento bem melhor.

O argumento de que a Portuguesa teria se fechado por ter sido escalada com três zagueiros para eventuais dificuldades do Guarani não cola.

Diferentemente de que se supunha, ainda no primeiro tempo a Lusa saiu pro jogo com seus parcos recursos. Portanto, o Guarani não pode reclamar de espaços encurtados.

MARCINHO

O problema é que os laterais Lenon e Gilson só melhoraram no segundo tempo, e o meio de campo bugrino não fez a devida ligação ao ataque. Ou melhor: quando cresceu o rendimento de Marcinho no segundo tempo, surpreendentemente o treinador Marcelo Chamusca resolveu substitui-lo.

Nada contra a entrada de Dênis Neves. Convenhamos que pelo futebol decepcionante do atacante Pipico, era natural que fosse o primeiro da lista a ser substituído, e não Marcinho.

Sem acompanhamento das condições técnicas de equipes do grupo A - do Norte e Nordeste -, onde se dará o cruzamento dos jogos na segunda fase, não dá pra conjecturar as reais possibilidades de acesso do Guarani.

Então, para a torcida bugrina, a expectativa é que o nível técnico dos clubes do grupo A seja semelhante do grupo B. Do contrário, há risco sim.

  • Ruz
    28/08/2016 23:54

    Ano passado faltava meia, agora falta centro avante

27
AGO
Apatia do Corinthians a parte, Ponte convence e ganha com autoridade

A justificativa de que a expulsão do zagueiro Balbuena aos 18 minutos do primeiro tempo desarrumou o time do Corinthians é conversa pra boi dormir. A Ponte Preta venceria a partida mesmo que o adversário atuasse com onze jogadores o tempo todo. E o placar de 2 a 0 não espelha as chances de gols que ela perdeu na partida da tarde deste sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

Foi sim uma atuação convivente da Ponte Preta e implementando variações extremamente produtivas no meio de campo.

Inicialmente faço questão de abrir um parêntese para avaliar o degradante estágio do Corinthians. Desconheço nos meus sessenta e tantos anos de vida um jogo sequer em que a equipe tenha chutado apenas uma bola ao gol adversário, e ainda assim sem preocupação para defesa do goleiro Aranha, da Ponte Preta, através do lateral-esquerdo Uendel aos 45 minutos do segundo tempo.

Lamentável, igualmente, a postura da nova geração de radialistas esportivos da capital paulista que ignorou esse fato tão marcante durante a entrevista coletiva com o treinador corintiano Cristóvão.

A rigor, muito mais teria que ser perguntado ao treinador, não apenas se foi a pior partida sobre o comando dele. Foi a pior partida do ano do Timão.

Como é admissível um jogador voluntarioso como o lateral-direito Facner se poupar visivelmente para evitar contusão? Ficou claro que ele se preocupou mais em não desperdiçar a oportunidade de integrar a Seleção Brasileira de que o time que paga o seu salário.

Como pode um time sinônimo de raça ter se relaxado e mostrado precárias condições físicas?

Ganhar ou perder faz parte do esporte, mas em se tratando de Corinthians, jamais se admite a apatia evidenciada na derrota para a Ponte Preta.

De certo, para os cartolas do Corinthians Cristóvão terá que se explicar. A conversa não será mamão com açúcar como ocorreu com repórteres da nova geração que sequer exploram a obviedade.

PONTE MARCA

Como a Ponte Preta nada tem a ver com os problemas do Corinthians, aproveitou a circunstância e impôs o seu costumeiro jogo de forte pegada a partir do meio de campo, e com isso evitou atalhos ao adversário. Sua defesa sequer chegou a ser incomodada.

A disciplina tática da Ponte implica em apenas o atacante Roger não ter obrigatoriedade de marcar. Sem a bola, o atacante Clayson e os meias Thiago Galhardo e Rhayner fecham os espaços e ajudam no desarme. A partir daí colocam em prática passes precisos para jogadas de velocidade dos atacantes, na tentativa de explorar o erro do adversário.

E foi explorando indecisão do zagueiro Pedro Henrique e goleiro Cássio que Roger colocou a Ponte Preta em vantagem aos 35 minutos do primeiro tempo, depois de desperdiçar duas chances reais para marcar.

Chances também teve Clayson, que antes de marcar um belo gol, aos cinco minutos do segundo tempo, já havia acertado o poste direito do goleiro Cássio.

E com o placar definido e diante de um Corinthians resignado, a Ponte passou a administrar a vantagem e colocou o adversário na roda.

RHAYNER

E por que as oportunidades de gols da Ponte Preta foram ampliadas? Porque ganhou criatividade com a fixação de dois meias: Thiago Galhardo pela meia-esquerda; Rhayner pela meia-direita.

Quem havia se habituado com Rhayner como atacante de beirada, agora o vê livre por dentro e com excelente visão de jogo. Assim coloca companheiros de ataque em excelentes condições de finalização.

Se Rhayner foi o homem do jogo nesta vitória da Ponte, observa-se crescimento gradativo de Thiago Galhardo, que começa a ganhar confiança como titular. Às vezes, afoito, ele ainda peca em alguns lances, mas nada que não se possa corrigir na sequência.

Quem ganha com isso é Roger, abastecido com frequência pelo setor de criação.

Assim, aquela dependência de a Ponte criar os principais lances com as descidas do lateral-esquerdo Reinaldo foi minimizada.

  • TIO LEI
    28/08/2016 23:54

    Mais um que está surtando????

  • Ruz
    28/08/2016 22:22

    Segunda feira o técnico Eduardo Baptista estará no SportTV 29/08.

  • Ruz
    28/08/2016 22:22

    Faltou o programa Bem Amigos

  • ALBERTO
    28/08/2016 20:35

    Tem "gente" que nem comenta sobre o seu time...prefere falar do jogo do Bugre contra a Lusa...triste heim !!!! Não é para menos ...jogo contra o timão e levaram 8500 pessoas ao estádio !! ( Lógico que 1/2 era corintianos )

  • Cabeça
    28/08/2016 20:34

    Esse foi o Ponte x Corintians mais fácil que já assisti. Plano tatico e estrutura do time permanece competitivo independente dos jogadores. Esquece essa meta de 46, já escapamos, ano passado quando conseguimos a meta, o time dispersou, alô Gustavo Bueno, Dimarzio, vamos trabalhar com a meta de Libertadores.

  • adolfo
    28/08/2016 20:34

    Os guaranys são videntes e nostálgicos,uma pena.Videntes pq cismam em prever o futuro: Nunca serão e Quando o Carnielli morrer...E Nostálgicos qdo ficam falando de título de 38 anos atrás.ACORDEM!!!! VIVAM O PRESENTE!!!!!!!!!!

  • João da Teixeira
    28/08/2016 20:33

    Mengao se reabilitou bem. Ganhar da a Chapecoense lá não é fácil. Diego parece que encaixou. Gosto mais de pegar time que vem de vitória, se achando. Se vem pressionado, até juiz o ajuda. Ir com pegada e arrancar um pontinho é a nossa cara.

  • Rodrigo U.
    28/08/2016 16:00

    Desde o começo do campeonato o time conseguiu boas vitórias contra equipes com o mesmo orçamento, mas tremia contra os considerados grandes. Nos últimos jogos isto mudou, méritos do Eduardo, que conseguiu recuperar diversos jogadores e demonstrou que a Ponte pode jogar de igual para igual com qualquer clube do futebol brasileiro. Isto aliado a algumas contratações cirúrgicas, exemplo do Galhardo e Pottker, pode mudar as previsões pessimistas que tínhamos no início do campeonato.

  • TIO LEI P/ PAULO SERGIO
    28/08/2016 15:59

    Caro Paulo Sergio...Ganhei de você, pois eu estou a 600 Km de Campinas... Quanto ao nosso amigo "amiguinho", dá até dó dele...Não duvido nadinha de ele ter comparecido ao estádio que PERTENCE À GLORIOSA PONTE PRETA, afinal como ele mesmo costuma dizer, uma afirmação feita repetidas vezes, acaba por se tornar realidade, e hoje eu acredito que ele pode ATÉ PENSAR que é bugrino, mas no seu intimo ele já esta se rendendo à PAIXÃO PONTE PRETANA. receba um abraço.

  • João da Teixeira
    28/08/2016 15:58

    Ponte, dever cumprido e assunto encerrado. Corinthians é passado. Vem agora o Mengo mordido e nós mordendo. Jogo complicado devido ser fora de casa e time que sempre tem uma ajudinha extra campo. Humildade e pegada. O resultado assim poderá vir...

  • João da Teixeira
    28/08/2016 15:57

    Bugre quer subir nas tamancas. Coitadinha da Lulusinha se não se retrancar toma bicho da defensiva bugrina. O ataque é inoperante, mas a defesa é perigosa, faz gol 3x0 Amaro 2 e Ferreira 1. Só se o imponderável aparecer...

  • NYNYKO
    28/08/2016 10:23

    Nossa diferença neste campeonato é que temos vários jogadores que sente orgulho de vestir nossa camisa ou seja tem tesão em jogar aqui. Como ja disse anteriormente estamos crescendo no decorrer do campeonato, acredito que vem coisas muito boas ainda neste campeonato. PONTE MACACA QUERIDA AMOR DA MINHA VIDA!!!

  • Toninho--Web
    28/08/2016 10:22

    A Atlética Ponte Preta e a sensação do Brasileirão, dito pela imprensa falada e escrita paulista e carioca,(CBN-Rio/SP; G-1). É um time em evolução, estruturado tecnicamente, graças ao competente técnico, e com potencial para figurar no G-4 e com um pouco de sorte chegar ao topo da tabela e ser campeão. No entanto, a torcida está decepcionando, e muito.So um terço abraçou o time. Era para encher o Majestoso. O que está faltando torcida...?

  • Paulo Sérgio p/ Ari
    28/08/2016 10:21

    Prezado Ari: Você deveria se aposentar e nunca mais falar de futebol, afinal ficou provado ontem que você não sabe nada de bola, onde já se viu dizer que a Ponte ganhou com autoridade!! até a manchete sua está errada e você deveria ter escrito COM SORTE a Ponte venceu o Corinthians e reconhecer que o Eduardo está corretíssimo, a campanha da Ponte é uma campanha de SORTE!! kkkkkkkkkkkkkkk...

  • Paulo Sérgio p/ Tio Lei
    28/08/2016 10:20

    Prezado Tio Lei: Não fui no jogo pois, estou a 300 km de Campinas, mas assisti pelo Premier e te respondo, o Eduardo foi flagrado por uma câmera bem do ladinho do Crô bozó e após o segundo gol na leitura labial Crô disse a ele: A viola foi pro caco!! Pena que o Eduardo não pode comemorar os gols da Ponte, né?? Mas saiu do estádio feliz, feliz..kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

« Anterior : [ 1 ] 2 : Próxima »
Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo