20
AGO
Sheik salva o mau trabalho de Kleina na vitória da Ponte Preta

Olhe meu ‘merchan’ aí, gente! Em Cadê Você, seis anos sem o volante Sérgio Moraes, da Ponte Preta. No áudio Memórias do Futebol, o chute forte de Baroninho. Virada Esportiva é assunto no Anda Campinas. Em setembro vacine o seu animal. Confira no Informacão.

Obrigatoriamente é preciso que dividam qualquer comentário da vitória da Ponte Preta sobre o Botafogo, por 2 a 1, na tarde chuvosa deste domingo em Campinas, em dois ângulos diferentes.

Primeiro Emerson Sheik desmente argumentos dos sábios que alegam a improbabilidade de o raio cair duas vezes no mesmo lugar.

Pois o gol decisivo marcado por Sheik contra o Botafogo foi idêntico àquele diante do paraguaio Sol América pela Copa Sul-Americana, dia 29 de junho passado, também no Estádio Moisés Lucarelli.

Sheik marcou os dois gols da valiosa vitória da Macaca
Sheik marcou os dois gols da valiosa vitória da Macaca
A única diferença foi tempo de jogo. Se diante dos paraguaios a ‘pancada’ na bola, de fora da área, ocorreu aos 44 minutos do segundo tempo, em vitória por 1 a 0; agora o chute foi no mesmo estilo, idêntica direção (canto esquerdo), goleiro adversário imóvel, mas apenas dois minutos antes, ou seja: 42 do segundo tempo.

E veja que Sheik já havia dado a sua contribuição ao time pontepretano neste domingo, ao abrir o placar aos 13 minutos, quando, após cobrança de escanteio, dominou a bola e finalizou com precisão.

DESCONFIGURADA

A rigor, foi uma Ponte Preta desconfigurada durante o primeiro tempo.

E começa por um time mal escalado, por teimosia injustificável do treinador Gilson Kleina, com inaceitável preferência pelo meia-atacante Léo Artur.

O jogador não convence, é visado pela torcida, e isso resulta em substituição previsível.

Como o golaço de Sheik salvou a pele do treinador, aí, durante entrevista coletiva pós-jogo, ele enrolou a ‘reportaiada’ com elucubração sobre variáveis táticas, etc, etc, como se o torcedor engolisse tais explicações.

TIME MAL TREINADO

O que se viu ao longo da partida foi o time da Ponte mal treinado, que, quando ataca, alça bola à área adversária pra ver aquilo que possa acontecer.

Por causa disso o treinador precipitou a estreia do centroavante Léo Gamalho, totalmente fora de forma, que não aproveitou os raros cruzamentos com acerto dos laterais Nino Paraíba e Danilo Barcelos, apesar da tentativa de articulação de Sheik, que tentou organizar o meio de campo no segundo tempo.

Não bastasse isso, a Ponte sofreu gol e correu risco em jogadas ofensivas previsíveis do Botafogo, e alertada em coluna anterior.

JOGADAS DO BOTAFOGO

Mesmo com formação praticamente reserva, o time carioca é treinado para usar os lados do campo quando ataca. Aí, no prolongamento da grande área, o cruzamento visa às costas dos zagueiros adversários.

Foi assim que o botafoguense Leo Valência perdeu gol certo logo no início, após passe, no estilo programado, de Brenner.

O lateral-direito Arnaldo, ao ser lançado, foi derrubado na área, imprudentemente, pelo atacante pontepretano Lucca, que acompanhava a jogada. Pênalti convertido por Brenner aos 19 minutos.

Ainda na jogada cantada de cruzamento nas costas da zaga pontepretana, Brenner não aproveitou falha de Marllon para colocar os botafoguenses em vantagem aos 40 minutos do primeiro tempo.

A saída do volante Jean Patrick para entrada do centroavante Léo Gamalho, no intervalo, era prenúncio que, no desorganizado time pontepretano, restaria a esperança do atacante empurrar a bola pra rede entre os incontáveis cruzamentos que se previa.

SARAIVA

Todavia, apenas quando Kleina sacou o improdutivo Léo Artur e colocou o garoto Saraiva a Ponte ganhou sentido de penetração. Foi quando o atleta perdeu um gol e obrigou o goleiro Jefferson a praticar defesa difícil.

Naquela altura, o Botafogo teve perda de qualidade ofensiva com a entrada do desinteressado Rodrigo Pimpão, no intervalo.

Precisando da vitória, a Ponte intensificou a pressão, e até teve oportunidade nos pés do volante Élton, que após bola espirrada, a chutou para fora.

SOBREVIDA DE KLEINA

Assim, quando tudo indicava mais um empate da Ponte neste Campeonato Brasileiro, o chute certeiro de Sheik fez a diferença e, de certo, vai encobrir o mau trabalho de Kleina no comando do elenco.

Com isso, ele ganha sobrevida, e isso vai persistir enquanto o time somar pontinhos imprescindíveis para escalar do rebaixamento.

Desta forma o torcedor pontepretano fica com o terço nas mãos por desconfiar do pior, devido à pobreza técnica e tática da equipe.

  • TIO LEI
    21/08/2017 03:11

    Emerson é responsável pela sobrevida dada ao Kleina. Agora, tão importante quanto aos gols que fez, Emerson disse tudo em sua entrevista ao final da partida, foi mais ou menos isso: "Não da pra falar muito ao final de uma partida, pois com a CABEÇA QUENTE podemos FALAR DEMAIS, mas que precisamos rever algumas coisas, pois se continuar jogando assim, TODO O PLANEJAMENTO irá por água abaixo". Deus para entender? Precisa dizer mais?

  • João da Teixeira
    20/08/2017 21:07

    Como postei anteriormente, quem tem Sheik tem uma cáfila de camelos para andar no deserto árido que é o time da Ponte. Árido tecnicamente e taticamente, Kleina é obrigado a colocar pernas de pau e depois se perde em suas elucubrações táticas, fazendo o time se desfazer em campo. Leo Arthur não joga no time bugrino para se ter idéia da ruindade. Como vc disse, Rosário na mão e novena para qualquer santo. E o Parmitão? Chorem vara suinícola, 0x2 para a Chape...

  • Marcelo Macaco
    20/08/2017 21:07

    Infelizmente só não vê quem não quer,certos jogadores são escalados por imposição de empresarios com bençãos ( e algo a mais) da diretoria e do técnico,fora isso resta a nós verdadeiros pontepretanos torcer muito para chegarmos logo nos 50 PTS e se salvar ....e por favor se alguém souber onde foi parar o dinheiro prometido da premiação do Paulista favor pedir pra pagar os jogadores !!!......na Ponte é assim empresarios com bolsos cheios e Ponte de bolso vazio

  • serjao
    20/08/2017 21:06

    Vitoria importante. Mas o gol que o Elton perdeu no segundo tempo poderia ter feito falta. Tenho certeza que se a bola caísse no pé do Wendel a chance seria muito maior de ja termos feito naquele lance o segundo gol. Meio com Naldo, Bob, Wendel e Sheik; Lucca e Saraiva (Gamalho). Ou entao tire um volante e coloque na frente Lucca, Saraiva e Gamalho. Leo Artur e Elton nao podem ser titulares.

  • JP
    20/08/2017 21:05

    Time que vive de apostas acontece essas coisas. Você pode acertar 1 , 2, quem sabe 3 anos. Mas quando erra, vemos esse time limitado e despreparado de hoje. Claro que acertaram com Luan, Marlon, Bob, Lucca e principalmente Sheik. Mas time médio como a Ponte tem que ter mais de 70% de acertos nas contratações. Porque senão cai! E nesse Brasileiro, a Diretoria cometeu erros medíocres como Xuxa, Negueba, Lins e mais uma dezenas que sabíamos que o risco de dar errado era imenso !

  • Tony
    20/08/2017 19:31

    é uma pena que o Sheike adiou a dispensa do GK. De novo......Time mal treinado, sem quqlaquer esquema de ogo, jogadores perdidos, sem a minima vontade... Culpa do outro boneco de dirigente diretor da Ponte! Diretoria de empresarios!!

  • Moacir
    20/08/2017 19:31

    Que a vitoria não postergue o que seria inevitável em caso de empate: a troca de téxnico. Foi uma partida horrivel a da Ponte. Não fosse pelo total desinteresse do Botafogo em vencer (obrigado, Bota), a Ponte perderia feio. Time totalmente desarrumado que vive de raríssimos lampejos individuais. De resto, parabéns Luan (sensacional), Sheik e a todo o elenco - vontade e entrega nao faltou.

  • Barba
    20/08/2017 19:30

    Este momento da Ponte merece uma analise um pouco mais profunda. A começar pelo Kleyna que não sabe mais o que fazer, o elenco não confia mais nele e quem perde é a nação pontepretana......

  • Barba
    20/08/2017 19:30

    Falando do time: Marlon está perdido, agora é hora de manter o Luan Peres, que a cada jogo se firma mais, e entrar com Yago, nosso capitão. Na direita Nino mostrou que é o cara e na esquerda Danilo foi a melhor contratação do ano... continua...

  • Barba
    20/08/2017 19:30

    Continuando, no meio campo só o Naldo se salvou. O Elton entregou todas e continua lerdo; o Jean Patrick não é jogador de 1a Divisão.. e o Léo Artur é imposicão de empresarios. Horrivel... Tem que voltar Bob, Cajá e Wendel, alias a bronca do GK com ele é enorme. Chega de teimosia estragando nosso ambiente... continua...

  • Barba
    20/08/2017 19:30

    Continuando, no ataque é preciso dar uma folga ao Lucca, pois o fato de não ser negociado com a França fez mal a ele... E Sheike é nosso herói. Entrar com Leo Gamalho é imperativo!

  • Barba
    20/08/2017 19:29

    E Resumindo.... Gilson faz mal a Ponte Preta e a torcida não suporta mais, a Diretoria precisa tomar coragem e limpar o elenco.... e a partir do proximo jogo entrar com o melhor time, sem medo de ser feliz!

19
AGO
Avassalador no início, Guarani constrói resultado; depois mostra garra para sustentá-lo

Cumprir o papel de vencer era imprescindível ao Guarani. E isso foi atingido no resultado por 2 a 0 sobre o Santa Cruz, na tarde chuvosa deste sábado em Campinas.

Se tecnicamente o time ainda carece de encaixes para atingir o patamar exigido, não faltou voluntariedade. Ressalta-se o ritmo avassalador imposto nos primeiros dez minutos, quando sufocou o adversário em seu campo de defesa, e sequer deu chances para que pudesse se organizar.

Foi o tempo que, com gols de cabeça - aos seis e oito minutos -, praticamente aniquilou o adversário.

Coincidentemente dois gols em lances de bola parada, em cobranças do meia Bruno Nazário.

Primeiro quando o zagueiro Wilson Rocha aproveitou escanteio e testou de forma indefensável ao goleiro Júlio César. Depois, em cobrança de falta, foi a vez de Éwerton Páscoa escorar a bola à rede.

Era natural que o Santa Cruz forçaria mais o jogo ofensivo e isso obrigaria o Guarani a se resguardar, para optar pelo contra-ataque.

BOLA NA TRAVE

Foi numa dessas jogadas que Bruno Nazário escapou do marcador e só não ampliou a vantagem porque a bola chocou no poste direito da meta pernambucana, após precisa finalização.

O Santa Cruz só aumentou o volume de jogo por duas razões: embora não seja um time de velocidade, ficou claro a compactação de seus jogadores, que rodavam a bola. Aí, faltava participação mais ativa no desarme dos jogadores bugrinos Caíque e Juninho. Eles até voltavam pra fechar espaços, mas na maioria das vezes envolvidos.

Assim, havia sobrecarga aos volantes Betinho e Evandro. Todavia, não havia progressão em jogadas ofensivas do Santa Cruz pela lentidão do atacante Grafite e postura eficiente dos zagueiros Willian Rocha e Éwerton Páscoa, do Guarani.

VAGNER

A rigor, ao longo da partida, apenas por duas vezes o goleiro Vagner, do Guarani, foi exigido, ambas no segundo tempo.

Primeiro quando rebateu chute de Bruno Paulo e André Luís, cara a cara, desperdiçou o rebote. Depois quando Bruno Paulo exigiu a única defesa difícil do goleiro, no canto esquerdo.

Foi o período em que, embora pouco tivesse criado ofensivamente, o Guarani percebia que a sua vitória não estava ameaçada.

A rigor, quando o Santa Cruz passou a ter mais posse de bola no segundo tempo, o treinador bugrino Oswaldo Alvarez, o Vadão, já deveria ter sacado Juninho e colocado Richarlyson para provocar fechamento de espaços ao adversário na meiúca.

Contra adversário mais qualificado, é perigoso propiciar crescimento semelhante. De certo Vadão será mais prudente nas próximas partidas.

Interessava ao torcedor bugrino um time guerreiro, que mostrasse perspectiva de progresso. E isso foi o bastante para retomada geral de confiança, para que o time recupere posições perdidas na classificação nesse Campeonato Brasileiro da Série B.

  • João da Teixeira
    20/08/2017 19:35

    Ari, vem jogo, passa jogo e sempre a mesma coisa, bate em moribundo e já acham que serão felizes. Mesma coisa na Ponte, jogou e empatou os 3 últimos sem mostrar futebol, então. .. Num único jogo o Vitória fez tudo que a Ponte fez em 3 rodadas. Se não ganhar, cai, entenderam? E com esse time? Não sei não! Não querendo, mas já fazendo alusão, estamos a "pão com banana" nesse campeonato.

  • João da Teixeira
    20/08/2017 19:33

    O grande problema da Ponte é que ela não faz gols qdo. precisa, como contra o Vasco, Vitória etc e os outros, como o Bahia, fazem. Numa dessa "olha o gato comendo os pintos"

  • João da Teixeira
    20/08/2017 19:33

    Quem tem Sheik tem uma cáfila de camelos para andar no deserto árido que é o time da Ponte. Essa é a resenha...

  • Denilton GFC
    20/08/2017 19:33

    Caro Ari e amigos bugrinos: VITÓRIA importante(ponto). Fui ao Brinco ontem e gostei do que assisti. Porém não gostei do CENTROAVANTE, fraco tecnicamente e perdido em campo. Bruno Mendes mais bola. Eliandro é melhor que Renteria(ponto). Betinho em pouco tempo já mostra o futebol que o (Auremir) jogava. Betinho necessita melhorar a condição física e o mesmo falo do Evandro. Agora que o Paulinho chegou (mais jogador que Samudio) o BUGRÃO vai dar trabalho na série B...

  • Denilton GFC
    20/08/2017 19:32

    Ari meu amigo pontepretano SEMPRE me fala par cuidar do meu time GFC, porém sou de CAMPINAS e fico preocupado com o time da linha de trem ou o time do usocapião.KKKKKK Brincadeiras a parte a nega véia está muito próxima do Z4, se cuida, porque senão teremos DERBY na série B em 2018.

  • JHON
    19/08/2017 23:31

    Vitória importantíssima na hora certa. Primeira meta está sendo conseguida em se afastar da zona da degola. Essa é a principal meta desde que iniciou-se a competição. O que vier será lucro...´más até que seria legal um derby na série B...rsrs

  • marcelo
    19/08/2017 23:31

    Sem sombra de dúvidas o trio defensivo passa muito mais confiança e qualidade ao setor, muito boa a dupla de zaga e o goleiro. Betinho também bastante consciente, Evandro ídem. Gílton como sempre horrível e Lenon mais ou menos. Renteria perdido em campo e o Nazário apesar de jogar bem tem hora que peca pela máscara. Tomara que o Rafael Silva esteja pronto. Ataque Paulinho/Rafael/Mendes com o Nazário ajudando...vai dar liga, isto se ninguém estourar o músculo...Abs

  • Tito
    19/08/2017 23:30

    As mudanças eram necessárias. Wagner, Willian e Pascoa são de longe superiores tecnicamente aos que vinham jogando. Porém o meio campo ainda precisa de ajuste, principalmente porque o Juninho não foi bem e podia ter saído antes, não fosse a contusão do Caíque. Quanto ao ataque, não há duvida que o titular será o Bruno Mendes. Os dois laterais são muito limitados. Resumindo, h,j chutamos mais um gato morto, mas já ouve melhoras com as mudanças.

  • José Roberto
    19/08/2017 23:29

    Ari, vai ficar barato como sempre, a teimosia do seu Vadão?? Ewerton Paschoa, ficou o primeiro turno praticamente no banco?? E o goleiro Wagner?? Saí do gol, é rapido. E os pontos que perdemos por erros individuais do Leandro Santos e Jussani?? Fica por isso mesmo e seu Vadão? Vai na coletiva na cara de paú. Admita sua teimosia, seus erros; E o Fumagalli 20 rodadas andando em campo. E vc Ari, comentou só o jogo? Imprensa campineira só faz média, daí o nivel do futebol de Campinas.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo