24
MAI
Mais um final de semana de coisas desconexas no futebol

Como de praxe, as três colunas agregadas ao blog estão atualizadas. Carreira do saudoso Eli Carlos no plano nacional é contada no áudio Memórias de Futebol. Coluna Informacão é acessada no desativado link Anda Campinas, com um dos enfoques sobre tártaros em dentes de cachorros.

Que tal a gente discorrer rapidamente sobre assuntos variados?

1 - Não culpem apenas o Guarani pelo atraso de pagamento a jogadores e funcionários. Por ora, esta é a triste realidade que vai atingir incontáveis clubes.

2 - Núcleo Transitório de Dirigentes do Cruzeiro conduzia destino do clube desde 23 de dezembro passado. Duas semanas após ter assumido, grupo provisório constatou déficit de R$ 800 milhões provocado pela gestão passada.

Convenhamos que seria motivo mais de que suficiente para que não aparecessem voluntários pra enfrentamento daquele abacaxi.

Ledo engano: das chapas registradas para recente eleição de diretoria executiva do clube, o candidato Giovanni Baroni perdeu a disputa pela presidência para Paulo César Pedroso por diferença de dez votos.

Como era tido como favorito, ele suspeita de irregularidade na votação, e pretende recorrer. Vai vendo!

Piá, com policiais
Piá, com policiais
3 - Há um dito antigo em que se aplica ao ex-jogador Piá, da Ponte Preta: 'pau que nasce torno não endireita'. Mais uma vez flagrado em furto, e acabou preso.

4 - Até dá pra assistir teipes de jogos antigos pela televisão, como o título paulista do São Paulo sobre o Corinthians em 1998, na vitória por 3 a 1, mostrado pela Bandeirantes.

Cá pra nós: reprise de jogos antigos pelo rádio é o que há. E a Rádio Bandeirantes-São Paulo tem pautado isso nas tardes de domingo.

5 - Alô parceiros que participavam no blog com comentários: campeonatos estão parados, mas os assuntos não.

Ainda não existem comentários.

23
MAI
Setenta dias sem 'peladas' de fim de semana; a ordem é pra você ficar em casa

E aí, meu camarada: como você reage àquela tremenda vontade de participar do futebolzinho com amigos nos finais de semanas, mas te mandam ficar em casa?Com certeza isso é bem pior de que o seu tempo de criança, quando o dono da bola se zangava por qualquer motivo, passava nela, e a levava embora.

Pronto, acabava a brincadeira.

Que raiva que dava!

Hoje, as chuteiras estão empoeiradas em sapatarias ou locais adaptados nas residências. Aí resta aquela vontade de dar uma suadinha que não seja de corrida individualizada.

Já passaram mais de dois meses sem você erguer o tom de voz na cobrança ao companheiro de equipe, daquela azucrinada no árbitro, e principalmente da gelada pós-brincadeira, quando se molham as palavras.

PERNAS TRAVADAS

Se está difícil pra quem gosta de correr atrás de bola, se há 70 dias você está afastado dela, conforme-se.

Meu caso é mais doloroso. Há três anos me foi retirado esse prazer. A ortopedia 'sentenciou' que o meu prazo de validade nos gramados estava vencido.

E quando as pernas travam de vez, não há 'milagreiro' na fisioterapia que indique sobreviva.

Portanto, apesar daquela cosquinha incrível pra volta àquelas peladinhas de final de semana, 'guente' firme aí.

É sabido que você detesta ouvir a frase mais repetida por prefeitos e governadores, mas no quesito futebolzinho varzeano é o que resta: 'Fique em casa. Logo tudo passa'.

Ainda não existem comentários.

Confiram as Postagens Anteriores:

1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14 
 

Jornalista esportivo há 40 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.

Fale comigo